domingo, 30 de dezembro de 2012

Gregos preveem que 2013 será pior que este ano

Mais de dois terços dos gregos, incluindo o ministro das Finanças, Yannis Stournaras, preveem que 2013 será um ano pior que 2012, de acordo com uma sondagem e entrevista hoje publicada no jornal To Vima.

Para 64% dos gregos, 2013 será "pior" para a Grécia do que em 2012, país que vai atravessar pelo sexto ano consecutivo uma recessão, de acordo com uma sondagem realizada pelo instituto Kapa a 1.028 pessoas, entre 20 e 21 de dezembro.

A taxa de pessimistas sobe para 71,7% no que respeita às perspetivas sobre a situação pessoal dos entrevistados, embora 77% tenha afirmado que tiveram dificuldades em fazer face às despesas em 2012.

Quase um terço dos inquiridos teme perder o seu emprego, já que a taxa de desemprego tem vindo a aumentar.

Apesar dos sacrifícios, 76,5% dos gregos são a favor da manutenção do país no euro, contra 15,8% que defendem o regresso ao dracma.

Em declarações ao To Vima, o presidente da Comissão Europeia, Durão Barroso, considerou que 2013 "será um ano difícil" porque "a solidariedade não é sem condições. Ela depende da manutenção dos esforços de reforma".

Para o ministro das Finanças grego, "agora é a parte difícil que começa", salientando que há "muito trabalho a fazer".

Fonte: DN.PT

Nenhum comentário:

Postar um comentário