sexta-feira, 30 de setembro de 2011

Dennis Woodruff: Ator que vive em carro bizarro fatura € 252 mil com filmes caseiros

O ator norte-americano Dennis Woodruff (Foto: Caters)

Dennis Woodruff vende seus filmes principalmente para turistas.
Ele é uma figura conhecida nas ruas de Los Angeles, na Califórnia.

Conhecido nas ruas de Los Angeles, nos EUA, por dirigir um veículo bizarro, o excêntrico ator norte-americano Dennis Woodruff tem faturado mais de € 252 mil por ano com a venda de seus filmes caseiros.

Por 20 anos, Woodruff tentou realizar seu sonho de participar de filmes em Hollywood. Ele procurou mais de 200 agências, mas sempre ouviu não atrás de não.

Mas, depois de se tornar um rosto conhecido nas ruas de Los Angeles, Woodruff decidiu escrever, dirigir e estrelar seus próprios filmes. E, enfim, Woodruff alcançou o sucesso.

Ele já vende mais de 100 mil filmes a partir de seu carro bizarro. "Eu já vendi mais de 100 mil filmes por € 4 cada um", disse ele.

“Há uma grande demanda, até os grandes estúdios querem ver meus filmes agora”, disse ele.

Agora, Woodruff ganha mais de € 252 mil por ano com seus filmes caseiros, que são vendidos principalmente para turistas.

Fonte: Planeta Bizarro

Imposto para os Gays...


Quem pagou os estragos de Hitler e da Alemanha?


MEMÓRIA CURTA ...
Convém relembrar a História.... E FAZER CIRCULAR ESTAS COISAS PARA QUE CONSTE
Alemanha "rainha das dívidas"
O historiador Albrecht Ritschl evoca hoje em entrevista ao site de Der Spiegel vários momentos na História do século XX em que a Alemanha equilibrou as suas contas à custa de generosas injecções de capital norte-americano ou do cancelamento de dívidas astronómicas, suportadas por grandes e pequenos países credores. Ritschl começa por lembrar que a República de Weimar viveu entre 1924 e 1929 a pagar com empréstimos norte-americanos as reparações de guerra a que ficara condenada pelo Tratado de Versalhes, após a derrota sofrida na Primeira Grande Guerra. Como a crise de 1931, decorrente do crash bolsista de 1929, impediu o pagamento desses empréstimos, foram os EUA a arcar com os custos das reparações.

A Guerra Fria cancela a dívida alemã, depois da Segunda Guerra Mundial, os EUA anteciparam-se e impediram que fossem exigidas à Alemanha reparações de guerra tão avultadas como o foram em Versalhes. Quase tudo ficou adiado até ao dia de uma eventual reunificação alemã. E, lembra Ritschl, isso significou que os trabalhadores escravizados pelo nazismo não foram compensados e que a maioria dos países europeus se viu obrigada a renunciar às indemnizações que lhe correspondiam devido à ocupação alemã.

No caso da Grécia, essa renúncia foi imposta por uma sangrenta guerra civil, ganha pelas forças pró-ocidentais já no contexto da Guerra Fria. Por muito que a Alemanha de Konrad Adenauer e Ludwig Ehrard tivesse recusado pagar indemnizações à Grécia, teria sempre à perna a reivindicação desse pagamento se não fosse por a esquerda grega ficar silenciada na sequência da guerra civil.

À pergunta do entrevistador, pressupondo a importância da primeira ajuda à Grécia, no valor de 110 mil milhões de euros, e da segunda, em valor semelhante, contrapõe Ritschl a perspectiva histórica: essas somas são peanuts ao lado do incumprimento alemão dos anos 30, apenas comparável aos custos que teve para os EUA a crise do sub prime em 2008. A gravidade da crise grega, acrescenta o especialista em História económica, não reside tanto no volume da ajuda requerida pelo pequeno país, como no risco de contágio a outros países europeus.

Tiram-nos tudo, "até a camisa"Ritschl lembra também que em 1953 os próprios EUA cancelaram uma parte substancial da dívida alemã, um haircut, segundo a moderna expressão, que reduziu a abundante cabeleira "afro" da potência devedora a uma reluzente careca. E o resultado paradoxal foi exonerar a Alemanha dos custos da guerra que tinha causado, e deixá-los aos países vítimas da ocupação.

E, finalmente, também em 1990 a Alemanha passou um calote aos seus credores, quando o chanceler Helmut Kohl decidiu ignorar o tal acordo que remetia para o dia da reunificação alemã os pagamentos devidos pela guerra. É que isso era fácil de prometer enquanto a reunificação parecia música de um futuro distante, mas difícil de cumprir quando chegasse o dia. E tinha chegado.

Ritschl conclui aconselhando os bancos alemães credores da Grécia a moderarem a sua sofreguidão cobradora, não só porque a Alemanha vive de exportações e uma crise contagiosa a arrastaria igualmente para a ruína, mas também porque o calote da Segunda Guerra Mundial, afirma, vive na memória colectiva do povo grego. Uma atitude de cobrança implacável das dívidas actuais não deixaria, segundo o historiador, de reanimar em retaliação as velhas reivindicações congeladas, da Grécia e doutros países e, nesse caso, "despojar-nos-ão de tudo, até da camisa". 

Os Pobres ( I )

" ... ó geração de vapor e de pó de pedra, macadamizai estradas, fazei caminhos de ferro, construí passarolas de Ícaro, para andar a qual mais depressa, essas horas contadas de uma vida toda material, massuda e grossa como tendes feito esta que Deus nos deu tão diferente daquela que hoje vivemos. Andai, ganha-pães, andai : reduzi tudo a cifras, todas as considerações deste mundo a equações de interesse corporal, comprai, vendei, agiotai - No fim de tudo isto, o que lucrou a espécie humana ? Que há mais umas poucas dúzias de homens ricos. E eu pergunto aos economistas políticos, aos moralistas, se já calcularam o número de indivíduos que é forçoso condenar à miséria, ao trabalho desproporcionado, à desmoralização, à infâmia, à ignorância crapulosa, à desgraça invencível, à penúria absoluta, para produzir um rico ? [ ... ] cada homem rico, abastado, custa centos de infelizes, de miseráveis. "

Almeida Garrett, in " Viagens na Minha Terra ", ( 1843 )

Pingo Amargo: A nova cadeia de lojas portuguesa

Imagens engraçadas - Pingo amargo...!!!

Escreve o teu nome em Ninja

Imagens engraçadas - Para descontrair.

Taxas moderadoras: Quem está isento

Taxas moderadoras: Quem está isento
O diploma hoje aprovado em Conselho de Ministros que revê as categorias de isenção das taxas moderadoras no acesso aos cuidados de saúde distingue entre quem está ou não isento diretamente.

Assim, de acordo com um documento do Ministério da Saúde, estão isentos diretamente do pagamento de todas as taxas moderadoras:

- Utentes em situação de comprovada insuficiência económica;

- Grávidas e parturientes;

- Crianças até aos 12 anos, inclusive;

- Utentes com grau de incapacidade igual ou superior a 60%;

- Doentes transplantados de órgãos;

- Deficientes das Forças Armadas.

Nos cuidados primários (centros de saúde) estão ainda isentos:

- Dadores benévolos de sangue;

- Dadores de órgãos;

- Bombeiros e militares.

Estão ainda previstas isenções para doentes crónicos, mas nas prestações ou atos de saúde associadas à condição da doença. Nestes casos, é ao médico que cabe definir o âmbito da doença.

Fonte: DN.PT

Plataformas do Ártico perderam metade do seu tamanho em seis anos

As grandes plataformas de gelo do Ártico, formações que datam de milhares de anos, reduziram quase que metade do seu tamanho ao longo dos últimos seis anos.

Pesquisadores que regularmente analisam imagens de satélite da região também descobriram que a maior parte dessas plataformas se dividiram ao meio no último verão, e outras peças que cobriam uma área quase duas vezes maior que Manhattan se desprenderam no final de julho.

As temperaturas consistentemente maiores no Ártico foram a principal causa do gigante declínio.

De acordo com os pesquisadores, é fascinante testemunhar isso enquanto cientistas, mas como cidadãos do planeta, é triste ver esse fato acontecer.

Essas plataformas de gelo são tão grandes quanto antigas. E normalmente são tão grossas quanto um prédio de 10 andares, embora às vezes alcancem mais que o dobro desse tamanho.

Enquanto o aumento da temperatura do Ártico diminui as plataformas de gelo criando fissuras, ele também está prejudicando as formações, jogando-as diretamente nas águas do Oceano Ártico. Historicamente, as plataformas eram protegidas do mar pelas grandes barreiras de gelo de vários anos de idade. Agora que o gelo desapareceu em muitas áreas, as plataforma foram expostas e entram em contato direto com as ondas, causando a destruição quase completa do gelo.

Além de reduzir o único ambiente que suporta alguns tipos de vida microbiana, o quebrar das plataformas de gelo pode dificultar os planos de explorar a parte do Ártico mais aquecida, como rota de navegação e ou até como bacia de perfuração de petróleo.

Enquanto a parte oriental do Ártico canadense tem sido atormentada por icebergs que se separaram das geleiras, na parte ociedental isso ainda não havia ocorrido.

Porém, agora, com as peças das plataformas de gelo se quebrando, enormes icebergs também estão chegando no Ártico ocidental.

Esta é uma área do mundo onde as temperaturas estão subindo muito rapidamente – e as plataformas de gelo estão respondendo.

Fonte: NewYorkTimes

Radiação espacial deve aumentar nos próximos anos

Você que é viajante do ar, passageiro de companhias aéreas e astronautas, fique atento. Os níveis de radiação provavelmente vão aumentar nos próximos anos devido a mudanças na atividade solar.

Raios cósmicos do espaço e partículas de alta energia do sol podem ser perigosos para os astronautas, podem expor tripulações e passageiros de linhas aéreas à radiação, bem como danificar aeronaves espaciais e satélites.

Campos magnéticos solares protegem a Terra repelindo a entrada de raios cósmicos galácticos. Mas o período mais forte da atividade magnética solar, conhecido como máximo solar, parece estar chegando ao fim e os níveis de partículas solares podem começar a subir ao mesmo tempo.

Raios cósmicos bombardeiam constantemente a Terra, mas a atividade solar depende do ciclo regular do sol. Atualmente, o sol está se aproximando do 11° ano do ciclo em curso, chamado ciclo solar 24. De acordo com a NASA, o pico ocorrerá em 2013.

Quando tempestades solares poderosas alcançam diretamente a Terra, elas podem representar uma séria ameaça para os astronautas em órbita, danos para naves espaciais, interferência nos sistemas de comunicações e outros impactos em geral. Suaves eventos espaciais climáticos – como uma tempestade geomagnética- também podem sobrecarregar a Terra.

Para ver o que os futuros níveis de radiação espacial podem causar, os pesquisadores analisaram um registro de 9.300 anos de raios cósmicos e atividades solares, na forma de gelo extraído da Groenlândia e da Antártida.

Átomos podem ser transmutados de um elemento para outro através de raios cósmicos e partículas solares que batem neles – a partir das amostras de gelo, os cientistas podem detectar esses eventos. Os registros antigos são complementados com dados atuais de uma rede global de estações de monitoramento de nêutrons.

Com base nisso, os pesquisadores analisaram as possíveis futuras variações nos níveis de raios cósmicos galácticos, no campo magnético interplanetário próximo à Terra, no número de manchas solares e no tamanho das tempestades solares. Eles descobriram que o risco de clima espacial perigoso deverá aumentar consideravelmente durante o século que vem a partir do nível em décadas recentes.

Mas calma, não precisa adiar suas viagens de avião.

No entanto, é bom estar ciente de que haverá mais exposição a partículas perigosas, particularmente nos voos trans-polares. Para os realmente frequentes aviadores, que fazem várias viagens ao longo dos dias, pode ser bom tomar alguns cuidados como, por exemplo, os trabalhadores da indústria de radiação fazem, além de fazer exames mais aprofundados de saúde.

E para diminuir a exposição dos passageiros e tripulantes a doses mais elevadas de radiação durante os eventos solares, os voos podem ser desviados para latitutes e altitudes mais baixas, mesmo que com implicações em atrasos e custos.

Se o preço das passagens subirem demais nos próximos anos, não reclame muito. A culpa não é da companhia aérea, mas dos raios cósmicos galácticos. 

Fonte: Space

quinta-feira, 29 de setembro de 2011

Mistérios: O Disco de Festos (Phaistos)

Em 03 de Julho de 1908, durante uma escavação nas ruínas da cidade cretense de Festos, foi encontrado por Luigi Pernier um pequeno disco de argila medindo 16 centímetros de tamanho e 16 milímetros de espessura. Em ambos os lados havia dezenas de sinais representados por figuras humanas, objectos do quotidiano, animais e plantas. Estes sinais eram separados em grupos pequenos divididos por linhas verticais, sendo ao todo 31 grupos de sinais no lado A e 30 grupos de sinais no lado B. Tudo indica que tais grupos de sinais encerram cada um o conceito de palavra. O que ainda não se sabe é se esse disco forma um texto, um calendário, uma relação ou outro tipo qualquer de registo.


O Disco de Festos foi composto com linhas espirais, divididas com linhas verticais. Há uma grande probabilidade destes quadros marcados por linhas verticais encerrarem cada um, uma palavra isolada. O disco comporta ao todo 31 “palavras” no lado A e 30 “palavras” no lado B. São ao todo 241 símbolos impressos, 122 símbolos no lado A e 119 símbolos no lado B. Mas a quantidade total de sinais sem repetição é de apenas de 45 símbolos. 

As ruínas de Festos localizam-se no sul da Ilha de Creta, nas planícies de Mesara no extremo leste do Monte Kastri. Festos foi construído no Período Proto-palacial (1900-1700 a.C.) da civilização minóica ou cretense. 


Não é possível decifrar as escritas hieroglíficas anteriores à escrita Linear A e Linear B. Segundo os dados arqueológicos Creta torna-se uma potência marítima em torno de 1900 a.C. Esse é o período em que são construídos diversos palácios, Knossos e Festos. 

OS SÍMBOLOS E SEUS CÓDIGOS

Observando detalhadamente os símbolos do Disco de Festos podemos perceber que alguns destes sinais também encontram similaridades com os hieróglifos egípcios. Desta forma, a hipótese de ser uma escrita hieroglífica cretense derivada da escrita egípcia antiga não é infundada. A questão gira em torno de saber se esta escrita é logográfica ou fonográfica.

Há a possibilidade de serem os sinais do Disco de Festos apenas uma escrita logográfica, isto é, ela representaria numa frase ideias. Por exemplo, se a escrita de Festos fosse logográfica poderíamos talvez lê-la associando os símbolos entre si. No lado A do Disco de Festos, utilizando o primeiro quadro na periferia do disco que é encerrado por uma linha vertical com quatro pontos há as respectivas figuras de um “rei”, de um “sol com sete pontos”, de uma “espiga de cereal”, de um “homem a andar” e de um “boomerang”. Numa escrita logográfica o que importa mais são os conceitos e não o sons. O sons não são delimitados dentro de regras estritas como no sistema fonético silábico de Linear B. Então este trecho poderia ser traduzido como: “o rei divino ao campo foi para caçar”. A característica da escrita logográfica é a de que não se precisa de conhecer a língua em que se foi escrito tal texto, basta apenas saber os significados dos sinais.

No Disco de Festos alguns sinais relacionam-se com os modelos dos sinais egípcios. Não há a possibilidade de se considerar este sistema de escrita como estritamente alfabética, pois existem ao todo 45 sinais utilizados no disco, sendo que a escrita alfabética necessita de muito menos. Então, a escrita hieroglífica de Festos pode ser também abordada como um conjunto misto de escrita, da mesma forma que a escrita hieroglífica egípcia. Além de sinais com valor fonético consonantal, próprio de uma escrita alfabética, haverá também outros sinais hipotéticos representando entre outros, sílabas, morfemas, ideias ou contextos.


A DESCODIFICAÇÃO

Se os sinais de Festos tiverem valores fonográficos, o que resta saber é como os grupos de sinais no Disco de Festos são lidos, isto é, a partir de que direcção se deve iniciar a leitura e a apreensão da semântica textual. A possibilidade do texto escapar do curso em espiral, dependendo de uma regra de leitura parece ser muito pequena. Então, tanto começando pela periferia como a partir do centro do disco, só há uma direcção a seguir, a espiral.

No Disco de Festos, pode-se perceber que na periferia e em ambos os lados a sequência do texto é limitada por uma linha vertical com cinco e quatro pontos e o grupo do centro não possui nenhum sinal que os caracterize como ponto de partida para a leitura. Esta seria a percepção mais óbvia, mas há a necessidade de se levar em conta também outros factores.

Saúde: Subida das taxas moderadoras vai render 400 milhões

O ministro da Saúde, Paulo Macedo, vai levar hoje a Conselho de Ministros um decreto-lei que regula as taxas moderadoras.

Uma subida que pesará mais no acesso aos hospitais do que nos centros de saúde. O objectivo é desencorajar os portugueses de recorrem às urgências.

As novas taxas poderão render cerca de 400 milhões de euros por ano aos cofres do Estado, um valor que já tinha sido avançado pelo ex-ministro Correia de Campos, numa recente entrevista ao jornal i. Um montante que será conseguido à custa do aumento do preço e do corte nas isenções. Contas feitas, o Estado passa a arrecadar quatro vezes mais receita com as taxas, uma vez que agora estas valem cerca de 100 milhões de euros.

Em cima da mesa está também, sabe o Diário Económico, a criação de novas taxas. Uma das hipóteses poderá passar pela reintrodução de taxas nos internamentos e cirurgias, que tinham sido revogadas pelo anterior Governo de José Sócrates.

Fonte: Económico

Divórcio, bebidas e cigarro podem fazer você ficar careca, principalmente nas mulheres

Perder cabelo pode não ser apenas uma questão de idade ou azar. Novos estudos sugerem que uma ampla gama de fatores de estilos de vida, incluindo o estresse, tabagismo, alcoolismo e exposição ao sol também podem deixar as pessoas carecas.

O divórcio também faz as pessoas perderem o cabelo, principalmente as mulheres. Um estudo descobriu que mulheres que perderam o parceiro por morte ou divórcio tinham mais risco de perder as madeixas.

Nos homens, os genes parecem ser um gatilho para a calvície, embora o tabagismo, a exposição ao sol, bebida em excesso e estresse também sejam fatores que podem piorar a situação.

Tantas maneiras de ficar careca pode ser algo realmente desanimador, mas especialistas dizem que não há motivo para pânico: adotar hábitos saudáveis e controlar o estresse pode ajudar o cabelo a voltar – ou nem mesmo cair. Além disso, eles afirmam que quanto mais cedo você tentar resolver o problema, maiores são as chances de recuperação.

Fonte: WebMD

Marido afirma que mulher foi violada por homem invisível


Um homem na Malásia apresentou queixa na polícia pelo crime de violação da mulher, alegadamente por um homem invisível.

O jovem de 20 anos, perturbado e preocupado com a situação, contou às autoridades que a mulher tinha tirado as suas roupas, acariciado o corpo e "emitido sons" enquanto dormia. Tendo assim o homem, chegado à conclusão de que a mulher fora violada pelo...homem invisível!

O marido terá consultado um vidente que justificou o sucedido com o facto de alguém ter usado magia negra para roubar a alma da sua mulher e violá-la.

Sem qualquer tipo de hesitação nem dúvidas o homem disse: "vamos denunciar o violador!". O problema é que a polícia não pôde fazer muita coisa sobre o sucedido. Os oficiais disseram que não poderiam prender um homem invisível.

Fonte: Correio da Manhã

Daniel Bessa: O "dinheiro acabou" em Portugal

Daniel Bessa, antigo ministro da Economia
O antigo ministro da Economia Daniel Bessa afirmou hoje que o "dinheiro acabou" em Portugal e que Lisboa não tem, actualmente, autonomia "absolutamente nenhuma" face a Bruxelas.

"O que há de novo é que o dinheiro acabou. E acabou dramaticamente porque o setor financeiro português tem que fazer uma desalavancagem brutal", disse o economista durante uma intervenção no 13.º Fórum da Indústria Têxtil, que decorreu hoje no Porto.

Daniel Bessa salientou que os bancos vão ter que fazer uma "redução do 'stock' de crédito" na ordem dos 20 por cento, que vai ter que incidir maioritariamente sobre as empresas.

Para o ex-ministro o maior erro do programa desenvolvido atualmente pelo Governo é "não ter previsto que as empresas públicas pagassem o que devem à banca para que [esta] pudesse libertar financiamento" ao restante tecido empresarial.

"Não tenho a certeza de que os portugueses em geral estejam já suficientemente convencidos do que lhes aconteceu", começou por dizer o também diretor-geral da COTEC, referindo-se a uma "novidade que precisa de ser incorporada" e que diz respeito à perda de soberania do país: "Nós não temos autonomia neste momento absolutamente nenhuma".

Daniel Bessa destacou que um banco português "no limite" deveria considerar tornar-se num "franchising" de uma instituição financeira internacional, reconhecendo a difícil situação do momento: "Eu não tenho dinheiro e procuro um parceiro".

Ainda assim, o diretor-geral da COTEC disse-se surpreendido pelo interesse demonstrado por investidores estrangeiros nas grandes empresas nacionais, ressalvando não estar apenas a referir-se a companhias como a REN, a EDP ou a Galp, mas sem querer precisar.

Uma das características da sociedade portuguesa é que "o capital não circula", afirmou Daniel Bessa, algo que vai mudar "violentamente" e vai causar alterações "radicais" na vida das empresas, uma vez que as estruturas acionistas vão ser mudadas.

Fonte: DN.PT

quarta-feira, 28 de setembro de 2011

Fugitivo Preso em Portugal: O sequestro de avião que deixou o FBI em fato de banho

O momento em que os agentes do FBI se aproximam do avião em fato de banho
George Wright, o fugitivo norte-americano de 68 anos capturado em Portugal na segunda-feira, participou num dos mais dramáticos sequestros de aviões nos EUA nos anos 1970, que teve repercussões políticas importantes.

Nos Estados Unidos, o desvio do voo 841 da Delta Airlines, em 1972, ficou marcado pelas imagens de um agente do FBI (polícia federal) a dirigir-se para o avião na pista do aeroporto de Miami, vestido apenas com um fato de banho, e carregando um saco de dinheiro.

O diário norte-americano New York Daily News escreve na sua edição de hoje que a "humilhação" do "incidente do fato de banho" contribuiu para que o FBI prosseguisse a sua busca por Wright, mesmo ao fim de quase quatro décadas.

A 31 de Julho de 1972, Wright entrou num avião que seguia de Detroit (norte dos EUA) para Miami (sudeste) vestido de padre. Levava uma bíblia - dentro da qual escondia uma arma.

Wright e os seus cúmplices assumiram controlo do avião, tomando como reféns 88 passageiros, e exigiram o pagamento de um resgate de um milhão de dólares (o maior de sempre na altura num caso de pirataria aérea).

"Sigam as minhas instruções ou alguém se magoa", disse um dos raptores por rádio à torre de controlo do aeroporto de Miami, segundo gravações reproduzidas pela televisão NBC.

"Estamos agora a meter o dinheiro em malas", respondeu a torre. "Antes de deixarmos sair passageiros, tem de estar aqui o dinheiro", disse o sequestrador.

Nos relatos da época da imprensa norte-americana, o número de cúmplices de Wright varia. Segundo a agência Associated Press o grupo incluía dois ou três outros homens, mais duas mulheres e ainda três crianças.

Certo é que as exigências dos raptores foram atendidas: um agente do FBI, só com um fato de banho vestido (para não poder ocultar armas), entregou o resgate. O avião seguiu para Boston, onde foi reabastecido, partindo para a Argélia.

Os sequestradores foram recebidos em Argel por Eldridge Cleaver, um ativista e escritor norte-americano com ligações aos Panteras Negras, movimento radical negro norte-americano.

O Presidente argelino da altura era Houari Boumédiène, cujo regime pertencia ao grupo dos Não-Alinhados e apoiava movimentos subversivos em África, na América Latina e nos EUA. No entanto, Boumédiène estava em negociações com Washington e queria manter boas relações com o Ocidente.

A Argélia manteve os sequestradores sob prisão domiciliária durante alguns dias (embora não os tenha expulsado nem prendido) e confiscou o avião e o resgate, que acabaria por devolver aos Estados Unidos.

Em 1976, os sequestradores - com excepção de Wright - foram detidos e julgados em França. A justiça francesa recusou contudo expatriar os sequestradores para os EUA, considerando que o caso tinha contornos "políticos".

As repercussões políticas do caso do Delta Airlines 841 não se ficaram por aí. No final dos anos 1960 e no início dos anos 1970 registaram-se vários desvios de aviões nos EUA, alguns dos quais causando mortos; em 1974, o presidente Richard Nixon promulgou um pacote legislativo para melhorar a segurança aérea nos EUA, que incluiu, pela primeira vez, a obrigatoriedade de todos os passageiros passarem por detectores de metais nos aeroportos.

Fonte: DN.PT

Morreu o actor David Croft da Série "Allo Allo"

Morreu o actor David Croft
O argumentista e produtor britânico David Croft, coautor de séries cómicas clássicas como "Alô Alô", morreu ontem aos 89 anos na sua casa em Tavira, anunciou a família.

Numa declaração divulgada no seu site oficial, a família indicou que David Croft morreu tranquilamente durante o sono e classificou-o como "um homem verdadeiramente extraordinário, cuja falta será sentida por todos aqueles que tiveram a grande sorte de o conhecer e amar".


David Croft ficou conhecido em Portugal durante a exibição pela RTP da série cómica, "Alô Alô", cuja acção decorria durante a Segunda Guerra Mundial, em Nouvion, uma vila da França ocupada pelos nazis, e se centrava na figura de René Artois (David Croft), um cidadão francês proprietário de um café.

Em 2003, David Croft foi homenageado nos prémios de comédia britânicos, "British Comedy Awards", tendo recebido o prémio carreira.

Fonte: 

Canárias preparam-se para erupção vulcânica

Evacuações em curso na ilha espanhola de Hierro após aumento de intensidade e frequência dos abalos sísmicos. Erupção poderá estar iminente.

De acordo com o El País, uma unidade especial do exército espanhol partiu esta quarta-feira para Hierro, pequena ilha do arquipélago das Canárias, para auxiliar uma eventual evacuação em massa. Também a ministra da Defesa Carme Chacón deslocou-se para a ilha. Até ao momento, apenas foram retirados 53 habitantes de zonas em risco. 

Mais de 8.000 sismos de reduzida magnitude foram registados em Hierro desde 19 de Julho. A intensidade e frequência dos abalos tem aumentado nos últimos dias. Mais preocupante para os sismólogos do Instituto Geográfico Nacional (IGN), o hipocentro (profundidade) dos sismos encontra-se cada vez mais próximo do solo, o que poderá indicar que o magma está prestes a irromper pelas montanhas da ilha. Esta madrugada, foi registado um sismo a apenas dois quilómetros do solo. 

Segundo o IGN, que realizou medições com aparelhos GPS, a ilha ‘inchou’ quatro centímetros desde o início da crise sísmica, o que é interpretado como mais um indício de que a lava está a subir à superfície, dilatando o terreno. Tem também aumentado o valor de dióxido de carbono na atmosfera de Hierro, ilha de 10.000 habitantes. Contudo, e apesar destes dados, os especialistas sublinham que uma eventual erupção não tem data marcada, e que esta pode nem sequer ocorrer. 

No entanto, reina a precaução. Na terça-feira, a Guardia Civil aconselhou os habitantes de quatro aldeias da costa norte de Hierro a abandonar as suas casas perante o risco de derrocadas. A principal estrada da ilha encontra-se encerrada e há vários barcos a auxiliar o transporte da população. Um terço das escolas foram fechadas.

Fonte: Sol

Uma estrela gigante com forma de ovo estrelado

As estrelas, embora pareçam todos iguais quando brilham no céu à noite, não só têm tamanhos muito diferentes com também são distintas na sua forma. Uma das mais peculiares estrelas foi descoberta recentemente por uma equipa do Observatório Austral Europeu (ESO) e tem a forma de um ovo estrelado.

Trata-se de um astro que foi batizado por IRAS 17163-3907, com um diâmetro que é 1000 vezes maior que o Sol e que brilha mais meio milhão de vezes. Os astrónomos afirmam que se encontra a 13.000 anos de luz da Terra e, segundo asseguram, é a estrela amarela mais próxima encontrada até agora. Eric lagadec, da ESO, diz que já se tinha detetado a IRAS pelas ondas infravermelhas que emite, mas não se sabia que era amarela.

A descoberta foi feita com uma câmara de infravermelhos do Very Large Telescope (VLT) instalado no Observatório do Paranal, Chile, no qual foram captadas as imagens que mostram claramente uma nebulosa circular à volta do astro, quase perfeitamente esférica. Para captar a imagem do ovo estrelado, o VLT utilizou uma câmara com 3 filtros de infravermelhos, o azul, o verde e o vermelho.

Pelo que puderam detetar, esta casca externa tem um raio que é 10.000 vezes maior que a distância entre a Terra e o Sol. Durante as explosões que se deram na sua evolução foram expulsas quatro vezes a massa das nossas estrelas em apenas uma centena de anos. É este material que acabou por formar a “clara” do ovo, rica em, silicatos e em gás.

Os astrónomos acreditam que esta atividade é uma prova que esta estrela terá uma morte explosiva, como uma super nova, originando componentes químicos que podem dar lugar à formação de novas estrelas.

Fonte: Naturlink

Reuters: Saxo Bank diz que "Grécia já entrou em default"

A Grécia só tem dinheiro até Outubro.
O economista-chefe do dinamarquês Saxo Bank, Steen Jakobsen, rejeita um efeito contágio da Grécia a Portugal.

"A Grécia já entrou em 'default'", afirmou Steen Jakobssen, em entrevista à Reuters, argumentando que "se não tem dinheiro, se não consegue a aceder a dinheiro, se não consegue viver sem receber dinheiro do tio rico em Bruxelas, é porque já está em 'default'".

E insiste: "Legalmente, estruturalmente e em termos da sua política fiscal, a Grécia está falida".

O economista-chefe do Saxo Bank diz ainda que "a Grécia é como um primo órfão, a ovelha negra da família. Continuamos a dar-lhe dinheiro para manter alguma decência. Não porque gostamos dele, mas porque temos medo que ele vá contar mentiras sobre nós, se não lhe continuarmos a pagar".

Grécia em 'default' é como arrancar um penso-rápido

Steen Jakobssen defende que a Europa devia deixar a Grécia cair em bancarrota. "Precisamos de lidar com factos e não com a sobrevivência hipotética das sociedades e é, em parte, por isso que eu acredito que uma crise seria uma coisa boa. Deixar a Grécia entrar em 'default' seria como arrancar um penso-rápido: sente-se a dor no momento em que se arranca e acabou", explicou.

Estas declarações surgem numa altura em que a Grécia está à beira do incumprimento. Isto porque se não receber a sexta tranche do resgate em vigor no valor de oito mil milhões de euros até Outubro, fica sem dinheiro para pagar salários e pensões. Para avaliar se Atenas está em condições de receber a nova ajuda, a União Europeia e o FMI enviaram hoje para Atenas uma equipa de técnicos que vão avaliar a execução das medidas de austeriadade e passar, mais uma vez, a pente fino as contas helénicas.

"Não há nenhuma interdependência entre a Grécia e Portugal"

O responsável desvaloriza ainda o impacto de um incumprimento grego em Portugal, dizendo que "o contágio não existe". Para Steen Jakobssen, "se Portugal entrar em bancarrota será por coisas que acontecem em Portugal e não por causa da Grécia".

E continua: "Se Portugal tiver uma política fiscal credível, um programa de privatizações credível, um programa decente de redução do sector público, eu não subiria as suas taxas de juro. Não há nenhuma interdependência entre a Grécia e Portugal, os dois países nem têm trocas".

Fonte: Económico

EDP já festeja o aumento da electricidade


Quer uma bandeira patriota americana?

Imagens engraçadas - Made in China

Cavalo Marinho

Imagens engraçadas - VOU  NADAR

O Antes e o Depois?

Imagens engraçadas - Antes e depois.

Imagens engraçadas - Antes e depois.

De Frente ou de Perfil?

Imagens engraçadas - De frente ou de perfil?

Mulher quer casar com um marido rico... (História Verídica)


Saiu numa edição do Financial Times.

Uma jovem mulher enviou um e-mail para o jornal a pedir dicas sobre "como arranjar um marido rico".Contudo, mais inacreditável que o "pedido" da rapariga, foi a resposta do editor do jornal que, muito inspirado, respondeu à mensagem, de forma muito bem fundamentada.

E-mail da rapariga:

"Sou uma mulher linda (maravilhosamente linda) de 25 anos.

Sou bem articulada e tenho classe. Quero casar-me com alguém que ganhe no mínimo meio milhão de dólares por ano. Há algum homem que ganhe 500mil ou mais neste jornal, ou alguma mulher casada com alguém que ganhe isso e que me possa dar algumas dicas?

Já namorei homens que ganham por volta de 200 a 250 mil, mas não consigo passar disso. E 250 mil por ano não me vão permitir morar em Central Park West.

Conheço uma mulher (do meu grupo de ioga) que se casou com um banqueiro e vive em Tribeca! E ela não é tão bonita como eu, nem é inteligente.

Então, o que é que ela fez que eu não fiz? Qual a estratégia correcta? Como chego ao nível dela?"

(Raphaella S.)
____________________

Resposta do editor do jornal:

"Li a sua consulta com grande interesse, pensei cuidadosamente no seu caso e fiz uma análise da situação.

Primeiro, eu ganho mais de 500 mil por ano. Portanto, não estou a tomar o seu tempo à toa...

Posto isto, considero os factos da seguinte forma: Visto da perspectiva de um homem como eu (que tenho os requisitos que procura), o que oferece é simplesmente um péssimo negócio.Eis o porquê: deixando o convencionalismo de lado, o que sugere é uma negociação simples, proposta clara, sem entrelinhas: Você entra com a beleza física e eu entro com o dinheiro.

Mas há um problema.

Com toda a certeza, com o tempo a sua beleza vai diminuir e um dia acabar, ao contrário do meu dinheiro que, com o tempo, continuará a aumentar.

Assim, em termos económicos, você é um activo que sofre depreciação e eu sou um activo que rende dividendos. Você não somente sofre depreciação, mas sofre uma depreciação progressiva, ou seja, sempre a aumentar!

Explicando, você tem 25 anos hoje e deve continuar linda pelos próximos 5 ou 10 anos, mas sempre um pouco menos a cada ano. E no futuro, quando se comparar com uma fotografia de hoje, verá que se transformou num caco.

Isto é, hoje você está em "alta", na época ideal de ser vendida, mas não de ser comprada.

Usando a terminologia de Wall Street, quem a tiver hoje deve mantê-lac omo "trading position" (posição para comercializar) e não como "buyand hold" (comprar e manter), que é para o que você se oferece...

Portanto, ainda em termos comerciais, casar (que é um "buy and hold") consigo não é um bom negócio a médio/longo prazo! Mas alugá-la, sim!

Assim, em termos sociais, um negócio razoável a ponderar é, namorar.

Sem ponderar... Mas, já a ponderar e, para me certificar do quão "articulada, com classe e maravilhosamente linda" você é, eu, na condição de provável futuro locatário dessa "máquina", quero tão-somente fazer o que é de praxe: fazer um "test drive" antes de fechar onegócio... podemos marcar?"

(Philip Stephens, associate editor of the Financial Times - USA)

The X Factor 2011: Janet Devlin's



Charlie Puth: "Someone Like You" (Adele)

Contratar desempregados só custa às empresas 65 euros

Contratar desempregados só custa às empresas 65 euros
Governo quer dar incentivo de 420 euros para quem contratar desempregados à procura de emprego há mais de seis meses.

As empresas portuguesas irão beneficiar de uma redução drástica nos custos de contratação de novos trabalhadores que estejam desempregados há mais de seis meses.

O Governo oferecerá um subsídio de 420 euros por cada nova contratação. Caso seja oferecido ao trabalhador o salário mínimo (485 euros), os custos da empresa com esse ordenado descem para 180 euros - 65 euros do salário e 115 euros de contribuições para a Segurança Social. Se o desempregado estiver sem trabalho há mais de um ano, a empresa fica também isenta de pagar os 115 euros de taxa social única. Os números do INE apontam para a existência de 460 mil pessoas à procura trabalho há mais de seis meses.

Entre os inscritos nos centros de emprego, 43% fizeram-no há pelo menos um ano. Este apoio terá a duração máxima de seis meses, sendo também esse o prazo mínimo para a permanência na empresa. Depois disso, poderão ser afastados. Os sindicatos acusam o Governo de estar a incentivar a precariedade, enquanto os patrões questionam a eficácia da medida.

Fonte: DN.PT

João Revolta: Homem que mata Homem

terça-feira, 27 de setembro de 2011

Ordem das Finanças ameaça paralisar serviços públicos


A Direcção-Geral do Orçamento (DGO) proibiu todos os organismos da Administração Pública e as empresas públicas de assumirem qualquer despesa se não tiverem dinheiro disponível e reservado para o efeito (cabimentos).

A ordem emitida numa circular, no dia 10 de Setembro, é acompanhada de um aviso: quem não cumprir sofrerá sanções políticas (se for o caso), disciplinares, financeiras, civis e criminais. Esta «responsabilidade pela execução orçamental» será, segundo o documento, aplicada tanto aos titulares de cargos políticos como aos próprios funcionários.

A directiva, apurou o SOL, está a lançar o caos na Administração Pública, onde, devido à crise, a maioria das entidades já lidava com graves dificuldades financeiras. Muitas compras e pagamentos já estavam em atraso e foram agora suspensos.

«Só podemos fazer a despesa com cabimento prévio. Isto é, cativando verba que esteja definida no orçamento para esse efeito», explica uma fonte, acrescentando: «O problema é que muitos serviços não têm essas verbas assim disponíveis e isso vai impedir que a maioria dos actos seja feita, como compras por concursos e pagamentos».

O objectivo do Ministério das Finanças (MF) é impedir que as entidades públicas acumulem novos pagamentos em atraso, isto é, com mais de 90 dias. Isto porque, segundo dados de Junho, as dívidas por liquidar no sector público já atingiam quatro mil milhões de euros. Uma das situações mais graves é o sector da Saúde, nomeadamente os hospitais EPE com dívidas de 1.345 milhões de euros.

«Se já não havia dinheiro, como se faz agora com esta circular?», questiona fonte hospitalar, acrescentando: «Se a circular for levada à letra, a gestão pára». Segundo explicaram ao SOL vários dirigentes, a maioria das compras e pagamentos eram feitos já sem cabimento prévio. «É impossível de outra forma. Não há dinheiro». Para isso, sabe o SOL, há unidades que, para não deixarem os doentes sem exames e operações, não estão a respeitar à letra a circular, dando, no entanto, a conhecer a situação ao Governo. Aliás, alguns ministérios estão em contacto permanente com os seus serviços, devido à dificuldade em aplicar à risca as regras. «Tem de se ter em conta a especificidade dos organismos», diz outra fonte, garantindo que os serviços podem parar.

Além dos tratamentos médicos, estão em causa muitas outras situações, como os pagamentos de diversos subsídios, como os apoios por morte e pensões de sobrevivência. O mesmo sucede em áreas como a educação, onde as bolsas estão paradas por falta de cabimento. Há, por exemplo, um enorme atraso no pagamento de bolsas de doutoramento da Fundação para a Ciência e Tecnologia.

«Se não houver cabimentação não se pode dar o dinheiro. As regras são claras», explica um dirigente do sector público.

Na circular, as Finanças deixam claro os casos em que se pode fazer despesas: a verba tem de estar inscrita no orçamento, ter cabimento na correspondente dotação e existir dinheiro disponível. Além disso, a DGO informa que «apenas podem ser assumidos compromissos de despesa após os competentes serviços de contabilidade exararem informação prévia de cabimento no documento de autorização da despesa em causa».

Ao mesmo tempo, o MF quer que todas as entidades passem a ter «sistemas contabilísticos auditáveis» a partir de 1 de Janeiro de 2012. E não dá margem para negociação. É que as novas regras para as despesas do sector público surgem, explica a circular, para impedir que Portugal não cumpra o acordo com a troika. Segundo a DGO, «o memorando assinado com o FMI, Comissão Europeia e Banco Central Europeu estabelece como critério de avaliação a evolução dos pagamentos em atraso», o que «impõe a impossibilidade de acumulação de novos pagamentos devidos a mais de 90 dias, pelo sector público».

Fonte: Sol

Carlos Baute: Colgando en tus manos


Portugal vai ter recessão em 2012 mais profunda que o previsto, confirma Carlos Moedas

O secretário de Estado adjunto do primeiro-ministro, Carlos Moedas, confirmou hoje que a recessão económica em Portugal em 2012 será mais profunda que o previsto, podendo chegar aos 2,5 por cento, devido à conjuntura internacional.

"As pessoas em Portugal não vêem o que se passa no dia a dia lá fora, com números negativos a sair todos os dias nos Estados Unidos da América, e ao termos esta incerteza, obviamente que os cenários (macroeconómicos) têm de ser modificados, mas não por não estarmos a fazer o que temos de fazer, mas sim pela situação internacional", argumentou o governante, quando questionado no Fórum da TSF, esta manhã, sobre a manchete de segunda-feira do Diário Económico, que dava conta de uma degradação das previsões de recessão para 2012, acima dos 2 por cento e que pode chegar aos 2,5 por cento. 

"O cenário macroeconómico que servirá de base ao OE 2012 não é animador. O Governo está a trabalhar com uma previsão de recessão acima dos 2 por cento, que poderá ir até perto dos 2,5 por cento, apurou o Diário Económico. Uma projecção mais negativa que a quebra de 1,8 por cento prevista quer no Documento de Estratégia Orçamental - apresentado a 31 de agosto -, quer na actualização do memorando de entendimento da 'troika' - publicado a 14 de Setembro", escreveu na segunda-feira o jornal. 

"Estará à volta disso", respondeu Carlos Moedas, vincando que "a questão não é olhar para uma ou duas décimas, é a incerteza internacional que a recessão que já estava prevista possa ser ligeiramente mais profunda, é a tendência que estamos a ver ao olhar para os mercados internacionais".

Fonte: Sic Notícias

Google Wallet: Faça compras e pague com o seu telemóvel

Viver sozinho pode aumentar o risco de morte por álcool

Pessoas que vivem sozinhas têm maior risco de morrer por doenças relacionadas com o álcool e acidentes. Das 18.200 mortes relacionadas ao álcool indentificadas por pesquisadores em um período de seis anos, dois terços estavam entre os indivíduos que viviam sozinhos.

Vários estudos têm cada vez mais mostrado a importância das conexões sociais na promoção da saúde. Nesta pesquisa, os resultados mostram que viver sozinho pode aumentar o risco de abuso do álcool. Por isso, se você mora sozinho, não pode esquecer de tomar cuidado com a bebida.

As sociedades modernas têm enfraquecido as relações sociais, com menos pessoas se casando ou vivendo em grandes famílias. E de acordo com os pesquisadores, nas duas últimas décadas triplicou o número de americanos que dizem não ter confidentes próximos.

Enquanto a solidão é associada a um aumento do risco de morte, poucos estudos têm olhado para causas específicas deste aumento.

Pesquisadores analisaram informações de cerca de 80% das pessoas que morreram na Finlândia entre 2000 e 2007. Causas de morte relacionadas ao álcool, listadas nas certidões de óbito, incluíam doença hepática, intoxicação por álcool e acidentes, assim como a violência que envolve álcool.

Entre 2000 e 2003, os homens que viviam sozinhos tinham 3,7 vezes mais probabilidades de morrer de doença hepática em comparação com homens casados ou que moram junto. Entre 2004 e 2007, esse número quase dobrou. As mulheres que vivem sozinhas também tinham o risco aumentado, mas em menor escala.

Em 2004, uma redução de impostos fez com que o preço do álcool caísse na Finlândia. Além disso, as leis foram alteradas no país, legalizando a importação de quantidades praticamente ilimitadas de álcool de outros países da União Europeia.

O estudo mostrou que quando a disponibilidade de álcool aumentou, o risco de morte relacionado com o álcool também subiu para pessoas que vivem sozinhas. No entanto, o risco para as pessoas casadas e permaneceu quase o mesmo.

Uma razão para esse vínculo pode ser a de que as pessoas solitárias passam a se “automedicar” com uso excessivo de álcool. Além disso, os casais têm um ao outro para controlar seu consumo de álcool. Pessoas que vivem sozinhas não têm essa vantagem.

No entanto, o estudo não mostrou se o abuso de álcool foi a causa ou o efeito de viver sozinho. De qualquer forma, mais estudos são necessários para determinar se as descobertas se aplicam a outros países.

Se você mora sozinho, preste atenção ao seu consumo de álcool e evite acidentes.

Fonte: LiveScience

Água de piscinas pode fazer mal à saúde

Nas Olimpíadas de Sydney, em 2000, a canadense Catherine Graceau conquistou a medalha de bronze com sua equipe de nado sincronizado. Aquele lugar no pódio foi a consagração, para ela, de uma vida devotada às piscinas. Mas essa convivência estreita entre a atleta e a água dos ginásios de natação, por tantos anos, seria um problema: aparentemente, a saúde de Catherine ficou seriamente comprometida.

A canadense encerrou a carreira dois anos depois da conquista. Na época, já apresentava sintomas graves: disfunção no sistema digestivo, bronquite crônica e fortes dores de cabeça. Os médicos, depois de muitos exames, atribuíram tais problemas a um fator inusitado. Aparentemente, Catherine ficou intoxicada de tanta água com cloro no organismo. Treinar neste ambiente por um longo período de tempo, conforme apuraram os médicos, é menos saudável do que se imaginava.

Desde então, a nadadora do Canadá tem buscado melhorar a saúde através da medicina holística. Basicamente, esta ciência assume uma maior relação entre vários fatores corporais, ambientais e até sociais de cada indivíduo, para determinar o quadro geral de saúde. Logo, é considerada uma ciência menos fechada e mais capaz de compreender como uma intoxicação por cloro de piscina pode prejudicar o organismo.

A medida de colocar cloro na água é justamente para preservar a saúde de quem nada na piscina, porque a substância mata todos os germes quase imediatamente. Sem cloro, a água é um potencial transmissor de doenças que se propagam nesse meio (algo que já é investigado a fundo em países de terceiro mundo). Logo, o problema não está no cloro em si.

Fazendo uma análise mais cuidadosa, os cientistas descobriram que se trata de uma consequência: a cloramina. Conforme o cloro passa muito tempo na água e várias pessoas nadam na piscina, ele se une a uma série de substâncias como suor, compostos químicos do cabelo, maquiagem (presente em competições de nado sincronizado), resquícios de urina, protetor solar.

Em conjunto, estes compostos químicos produzem cloramina, essa sim prejudicial à saúde, e a formação de tal
substância é geralmente identificada por um forte cheiro de desinfetante. Em piscinas de ginásios fechados (que fazem a maioria, atualmente), a situação tem um agravante: a cloramina é volátil e não tem área de escape, de modo que fica pairando no ambiente e expondo todos à contaminação.

Outros estudos chegam ainda mais longe, afirmando que a cloramina pode trazer danos irreversíveis como a neutralização do esperma, o que poderia tornar o homem estéril. Outros estudos apontam para a chance de haver radioatividade na água com cloramina.

A solução para isso está em três alternativas. A primeira, que ainda está sendo estudada, consiste em adicionar certa quantia de ozônio ou de sal à água da piscina, o que em tese anularia o efeito nocivo da cloramina. A segunda, mais dedutível, é limpar a água da piscina e trocar o cloro com mais frequência, para minimizar as chances de contaminação.

A terceira, que parte do nadador e não de quem cuida da piscina, é tomar um banho mais cuidadoso antes de nadar, para diminuir o número de substâncias que interagem com o cloro. Limpeza do ambiente e higiene pessoal, portanto, estão mais uma vez juntas como solução para problemas de saúde.

Fonte: CNN

India: Cientistas descobrem 12 novas espécies de sapos

Parece que os anos vasculhando florestas tropicais montanhosas, muitas lanternas brilhando pela noite e incontáveis coaxos valeram a pena para uma equipe de cientistas indianos e para o futuro de muitos sapos. A equipe indiana descobriu 12 novas espécies de sapos, além de outras 3 que eram imaginadas como extintas.

Com essa descoberta, surge novamente a esperança de que autoridades voltem suas atenções aos anfíbios da Índia. Em todo o mundo, 32% das espécies conhecidas de anfíbios estão ameaçadas de extinção, principalmente devido à perda de hábitat ou da poluição.

“As rãs são indicadores extremamente importantes não só da mudança climática, mas também de poluentes no meio ambiente”, disse o cientista líder do projeto, o biólogo Sathyabhama Das Biju, da Universidade de Delhi.

Muitas das rãs encontradas são raras e estão vivendo em apenas uma única área. Por isso, elas precisariam de proteção rigorosa aos seus habitats, mas na prática não é exatamente isso o que acontece. “Infelizmente, na Índia, a conservação é focada apenas em dois animais mais carismáticos: o elefante e o tigre. Há pouco interesse com os anfíbios, pouco financiamento e pesquisa de rãs não é fácil”, afirmou Biju.

Sapos noturnos são extremamente difíceis de encontrar, o que dificulta muito o trabalho de pesquisa. Eles saem somente no escuro e durante a estação das monções, vivendo em riachos de correntes rápidas ou no chão de florestas úmidas.

Com essas novas descobertas, o número de rãs conhecidas na Índia passou para 336. Os pesquisadores, entretanto, calculam que isso deve ser apenas metade do que existe na natureza dentro do país. Os pesquisadores lembram que depois de encontrar as espécies, deve haver mais trabalhos para conhecê-las e protegê-las, para então estudar possíveis importâncias clínicas que elas possam nos trazer.

Fonte: MSN

Cineasta tem “olho de câmera”



O documentarista canadense Rob Spence sempre amou ficção científica. Tanto que quando ele perdeu seu olho, há seis anos, se inspirou em alguns de seus heróis.

Segundo ele, há tantos personagens da cultura e da ficção científica que tem um olho de câmera, que praticamente qualquer um que perde um olho faz pelo menos uma piada sobre ter um olho-câmera.

O cineasta não só disse, como fez. Com a ajuda de um ex-funcionário de uma empresa de satélite, ele desenvolveu uma câmera que se encaixa em sua órbita ocular. E o “eyeborg”, como ele chama a si mesmo, nasceu.

O dano em seu olho direito veio de um acidente quando ele tinha apenas nove anos de idade. Ele estava com o avô na Irlanda do Norte quando decidiram que seria uma boa ideia pegar uma espingarda calibre 12 e atirar em alguns bichinhos por aí.

O cineasta não segurou a arma de forma adequada, o que causou vários traumas em seu olho. A deterioração foi gradual; com o passar dos anos, ele perdeu toda sua visão. Os cirurgiões recomendaram a remoção do olho danificado para evitar qualquer deterioração no outro saudável.

Acontece que Spence não sentiu nenhuma grande perda de capacidade, talvez por ter levado tanto tempo para perder a visão totalmente. De acordo com ele, a sua busca por um olho-câmera não foi motivada por qualquer esperança de poder voltar a enxergar bem.

A motivação para colocar uma câmera em seu corpo foi uma combinação de ser um adulto brincalhão, que quer ser como Star Trek ou o Homem Biônico, e uma oportunidade de fazer documentários mais interessantes, que têm literalmente um ponto de vista diferente.

O olho já está na sua terceira encarnação e transmite imagens de vídeo ao vivo para um monitor sem fio.

A esta altura você já está se perguntando como funciona a câmera. Ela está anexada em uma bola de coral e um dispositivo de engate, que se encaixam no lugar de seu olho e que foram feitas com a finalidade de um olho estético. Isso significa que a câmera se move e que Spence pode direcioná-la para o alvo.

E o dispositivo já se tornou parte fundamental em seus documentários. Quando ele filma alguém, as pessoas olham diretamente em seus olhos, não através de uma câmera. É muito mais semelhante com a maneira que vemos o mundo na realidade.

O último filme de Spence é um documentário de 12 minutos atrelado ao lançamento de um jogo de vídeo que apresenta um homem biônico com seu próprio olho-câmera.

Para o cineasta, foi uma oportunidade de explorar algumas das inovações biônicas que estão acontecendo em todo o mundo e conhecer algumas pessoas já testaram essas novidades.

Um dos entrevistados foi um homem finlandês, portador de uma cegueira hereditária, que vem testando um implante ocular que permite que ele enxergue grandes formas e luzes.

Spence acredita que o futuro da visão biônica é a alta definição, assim como a televisão, que surgiu como uma caixa de imagens borradas.

Fonte: BBC

O quinto gigante do sistema solar

O sistema solar já teve cinco planetas gigantes e gasosos em vez dos quatro que existem hoje. Essa é a conclusão de uma simulação da evolução do sistema solar, o que sugere o quinto gigante foi arremessado para o espaço interestelar cerca de 4 bilhões de anos atrás, depois de um encontro violento com Júpiter.

Há décadas os astrônomos lutam para explicar a estrutura atual do sistema solar. Em particular, Urano e Netuno não poderiam ter sido formados onde eles estão hoje. Um cenário mais provável é que os planetas orbitavam muito próximos quando foram formados e só se afastaram quando seus discos de gás e poeira foram dispersados.

Mas os grandes valentões gravitacionais do sistema solar, Júpiter, Saturno, Urano e Netuno, não teriam ido tranquilamente para suas novas casas, quer dizer, órbitas. Simulações anteriores mostram que pelo menos um planeta, provavelmente Urano ou Netuno, deveria ter sido expulso do sistema solar na confusão.

Até então, pesquisadores não sabiam como resolver a questão. Mas agora propuseram uma solução: um gigante de gelo foi sacrificado entre Saturno e Urano, tudo pelos seus irmãos planetários.

Se a simulação começa com cinco planetas gasosos, um planeta se perde. E na maioria dos casos, o resultado é um bom sistema solar.

No total, foram feitas 6 mil simulações de computador, com quatro ou cinco gigantes de gás, em várias posições iniciais em torno do sol. Os testes simulam o início logo após a dispersão do disco de gás e chegam a 100 milhões de anos, tempo suficiente para que os planetas estabeleçam suas órbitas finais.

Em 10% das simulações feitas com quatro planetas, sobraram apenas três. Porém, na metade das simulações com cinco planetas o resultado foi um sistema solar muito parecido com o nosso. Os melhores resultados ocorreram quando o quinto planeta ficou entre Saturno e Urano e acabou sendo expulso após um encontro com Júpiter.

O cenário de cinco planetas gasosos resolve alguns outros mistérios também. Para os planetas rochosos sobreviverem intactos enquanto os gigantes de gás brigavam por uma posição, algumas simulações anteriores mostram que Júpiter deve ter “saltado” de uma posição mais próxima ao sol até sua órbita atual.

Esta teoria do salto de Júpiter é muito difícil de ser provada no sistema de quatro planetas, mas é uma consequência natural do sistema de cinco. Se Júpiter atira o gigante de gelo perdido do sistema solar, ele perde o momento angular e se afasta do sol.

A reorganização também pode ter perturbado a formação do cinturão de Kuiper e da nuvem de Oort, reservatórios de proto-planetas que estão além da órbita atual de Netuno, arremessando destroços em direção ao interior do sistema solar. Isso poderia explicar o período de violência que teria ocorrido há 4 bilhões de anos, quando a lua ganhou a maioria de suas crateras. Este é o período que os astrônomos chamam de “bombardeio pesado atrasado”.

O planeta perdido há muito tempo ainda pode estar lá fora. Em maio, astrônomos no Japão anunciaram que tinham visto planetas solitários vagando pelo espaço escuro entre as estrelas. Se o gigante gasoso ainda estiver lá fora, pode ser um dos exoplanetas errantes.

Planetas de hoje podem ter outros irmãos perdidos também. Pesquisas anteriores sugeriram que um quinto planeta rochoso pode ter sido expulso de uma órbita entre Marte e Júpiter e que super-Terras podem ter sido engolidas por Júpiter ou Netuno.

O nosso sistema solar parece calmo e tranquilo agora, mas sabe-se muito bem que ele teve um passado violento. A questão ainda é como e o quanto foi violento.

Fonte: NewScientist

O contrato de casamento


Depois de meio século de matrimonio ele morreu, deixando a sua mulher sosinha...
Mas pouco tempo depois, ela acaba por falecer também e lá foi ela para o céu...
Chegando lá encontra o seu marido e corre rapidamente para ele e diz:

- Queriiiiiidoooooo!!! Que bom encontrar-te!!!!

Ao que ele responde:

- Não me lixes mulher! O contrato foi bem claro: "Até que a nos separe!"

Navio encontrado no fundo do Atlântico com 170 milhões de euros em prata

O “SS Gairsoppa” está submerso a 4700 metros de profundidade, mais 900 metros que o Titanic
O “SS Gairsoppa”, afundado durante a Segunda Guerra Mundial, foi finalmente encontrado, 480 quilómetros a sudoeste da costa irlandesa e a uma profundidade de 4700 metros. Dentro do navio mercante britânico encontra-se um tesouro com cerca de 240 toneladas de prata que, se a operação for bem sucedida, será o maior e mais valioso alguma vez a ser recuperado do fundo do mar.

A preciosa carga do “SS Gairsoppa” está avaliada em 150 milhões de libras (cerca de 170 milhões de euros). A empresa que encontrou o navio e que vai tentar recuperar o tesouro, a norte-americana Odyssey Marine Exploration, vai ficar com o grosso do montante arrecadado com a operação. O acordo firmado com o governo britânico dita, de acordo com a BBC, que a empresa fique com 80% do valor da carga.

A Odyssey Marine Exploration, especializada neste tipo de operações, ganhou o concurso público deste projecto em Janeiro de 2010. O optimismo inicial do presidente executivo da empresa, Greg Stemm, que previa começar os trabalhos no Verão desse ano e encontrar o navio em 90 dias, não coincidiu com a realidade. Foi necessário mais um ano para localizar o casco e só na Primavera de 2012 tentarão retirar a prata.

“Completámos a primeira fase do projecto, a localização e a identificação do navio naufragado”, disse o responsável pela operação, Andrew Craig, citado pela BBC. “Agora, estamos a trabalhar arduamente no planeamento da fase de recuperação. Estamos extremamente confiantes”, acrescentou. A carga deverá ser retirada com recurso a submarinos não tripulados.

A profundidade a que o “SS Gairsoppa” se encontra, nas águas frias do Atlântico Norte, é 900 metros superior à que estão submersos os destroços do famoso “RMS Titanic”. A recuperação não será fácil, mas poderia ser ainda mais difícil. “Tivemos sorte em encontrar o navio pousado direito, com os porões abertos e acessíveis”, disse Greg Stemm, ao The New York Times, que publica um vídeo com imagens do navio no fundo do mar.

Quando a Odyssey avançou com o projecto não sabia ao certo o que iria encontrar, em que estado e em quanto tempo. A empresa assumiu esse risco, pagando pelas despesas de toda a operação, assim como pela sua documentação e pela publicitação da carga encontrada. É por tudo isto que o acordo firmado com Secretaria de Estado dos Transportes do Reino Unido, prevê que 80% do valor do tesouro fique nas mãos dos perscrutadores. O resto é pertence ao erário público britânico.

O contrato estipula, por outro lado, que os destroços sejam cuidadosamente inspeccionados para perceber se ali se encontram restos mortais de algum dos 85 tripulantes que seguiam a bordo na última viagem do navio. O principal arqueólogo marinho a acompanhar as operações no Atlântico Norte, Neil Dobson, diz ser “altamente improvável” que esse venha a ser o caso, quer pelo tempo que já passou, quer pela profundidade a que se encontra o navio.

O “SS Gairsoppa” foi afundado em 1941 por um submarino alemão. O navio, que transportava prata, gusa (ferro fundido moldado em barras) e chá provenientes da Índia, estava a ficar sem combustível na recta final da sua viagem e fez um desvio para o porto irlandês de Galway, a fim de reabastecer. Foi torpedeado nesse percurso. Conseguiram chegar aos botes 32 tripulantes, mas apenas um sobreviveu até chegar à costa, o segundo oficial R.H. Ayres, que morreu em 1992.

Fonte: Público

Conselho de um homem mais velho e muito experiente:

1) Não importa o quanto ela seja linda...





2) Não importa o quanto seja sexy...



3) Não importa o quanto seja sedutora...


4) Não importa o quanto seja bonita e doce...

 

5) Não importa o tamanho dos seus seios


6) Não importa o tamanho da bunda...

Bolas... Esqueci qual era a porra do conselho...