sexta-feira, 30 de novembro de 2012

Misterioso “mar de sangue” fica azul à noite na Austrália

A coloração vermelho escuro que tingiu as praias de Sidney na Austrália, surpreendeu novamente turistas e moradores locais. O “mar de sangue”, como está sendo chamado, fica azul à noite.

Segundo o jornal Daily Mail, os cientistas explicaram apenas que a cor vermelha na água da costa australiana foi provocada pela proliferação de algas da espécie conhecida como Noctiluca scintillans. O mar com a cor azul fluorescente ainda não foi esclarecido.

Várias praias em Sidney foram fechadas. Mesmo não tendo efeitos tóxicos, as subtâncias das algas podem irritar a pele devido à alta concentração de amônia.

Fonte: IAnotícia



"Jornal de Angola" com novo ataque a portugueses

O "Jornal de Angola" publicou mais um artigo de opinião atacando duramente os portugueses, com comentários xenófobos e críticas a Pacheco Pereira e Ana Gomes.

O texto, assinado por Rui Ramos e publicado na quarta-feira, surge após editoriais violentos. O mais polémico é do dia 12, em que aquele diário criticava o que diz ser uma "campanha contra Angola", após notícias da abertura do inquérito-crime sobre o envolvimento de altos dirigentes angolanos em crimes de branqueamento de capitais.

Depois disso, o diretor do jornal, José Ribeiro, escreveu dois artigos: um contra a imprensa portuguesa; outro, segunda-feira, a atacar "as elites portuguesas" e os políticos, acusando Pacheco de ser "grosseiro e malcriado".

Já na passada quarta-feira, num cenário em que ridiculariza o povo português, Rui Ramos destaca, entre os desempregados, os "largos milhares" que "vão para Alcântara" para tentar um visto para Angola. Além de acusar os portugueses de racistas, diz que quem faz fila para o visto "são os desgraçados, arruinados, miseráveis de um país no abismo" e "outros vivem disto". Os outros são "os candongueiros, os fugitivos dos impostos, mas também os intelectualóides que já foram paridos com um livro na mão". "Passam lá de madrugada" e "ao verem aquela bicha espumam como cão vadio" e "murmuram pretos de merda".

E "ninguém liga a esses pereiras gayvotas de rabo gordo", continua.

Depois, refere-se a Ana Gomes como "uma gaja de Sintra", que "fala de longe aos desesperados de migalhas". E a Pacheco como "aquele Pereirinha gorduxoso esquisito".

Fonte: Jornal de Notícias

Kuratas: No Japão é possível comprar robô de combate

Japão Robô
A companhia Suidobashi Heavy Industry apresentou hoje, em uma exposição no Japão, um robô de combate de nome Kuratas.

O mecanismo tem 4 m de altura e pesa 4,4 toneladas. Este milagre técnico desloca-se sobre rodas com as quais terminam suas quatro patas e funciona à base dum habitual motor Diesel. O robô está armado com duas metralhadoras de rotor e dois lança-foguetes.

O protótipo já pode ser comprado por $1,25 milhões. A empresa já recebeu cerca de 3000 encomendas do mundo inteiro.

Fonte: Voz da Rússia



Vampiros sérvios aterrorizam a Europa

Sérvia história População
A Sérvia ocidental está em pânico. A população, com medo de vampiros, está literalmente esgotando o stock de alho das lojas! O problema foi a derrocada repentina de uma azenha abandonada no rio Rogacica, perto da aldeia de Zarozje, município de Bajina Basta.

O moinho pertencia em tempos a Sava Savanovic, um moleiro considerado vampiro, cujas vítimas eram as pessoas que vinham moer seus grãos. Savanovic morava há muito tempo no moinho mas agora que o seu refúgio ruiu, começaram a surgir rumores de que ele teria voltado à “caça”.

O prefeito local, Miodrag Vujetic, reconheceu: "As pessoas estão assustadas: todo o mundo conhece a lenda desse vampiro. A ideia de que ele agora ficou sem abrigo e busca um novo refúgio e novas vítimas provoca o terror dos habitantes. Todos temos medo". Ele acrescentou que “é fácil rir disso se não se vive aqui”, mas que nenhum dos habitantes locais tem dúvidas de que os vampiros existem. O prefeito também confirmou que o conselho local aconselhou a todos a colocarem alho nas portas, porque os vampiros não aguentam o cheiro, e verificar se têm cruxifixos em todas as divisões de suas casas.

A existência de vampiros na Sérvia ocidental foi confirmada a dada altura: graças ao pedantismo dos burocratas austro-húngaros, as façanhas dos vampiros foram registadas documentalmente, conta o etnógrafo e historiador Vesna Marjanovic:

"Um dos vampiro era Saca Savanovic, que vivia em Zarozje (Sérvia ocidental). Já na aldeia de Kisilevo (no nordeste do país) viveu, no início do século XVIII, um outro vampiro, Petar Blagojevic. Foi então que as autoridades austríacas, que efetuaram várias investigações exemplares de casos de mortes misteriosas, utilizaram pela primeira vez nas atas das investigações a palavra vampiro. As atas foram publicadas e assim, através das fontes austríacas, essa palavra saltou da língua sérvia para o Ocidente".

Nesse contexto, as primeiras referências a vampiros não surgiram na Transilvânia, como se costuma pensar, mas sim no território das atuais Sérvia e Croácia. Dados sobre vampiros estão contidos, nomeadamente, num édito de 1342 do czar sérvio Stefan Dusan, de acordo com o qual os sacerdotes eram proibidos de participar na exumação e queima dos cadáveres de pessoas suspeitas de vampirismo. Assim, é mais correto considerar precisamente a Sérvia como a “pátria” dos vampiros. Felizmente, a tradição popular sérvia menciona vários métodos de proteção contra estes seres maléficos. Tatjana Stojanovic, que defendeu a seu tempo a tese de fim de curso sobre o tema, aconselha:

"Para se proteger dos vampiros é muito eficaz o uso do espinheiro-alvar ou de abrunheiro. Também se pode recorrer às fórmulas mágicas mais comuns. Normalmente, as obscenidades e a linguagem grosseira. Por exemplo, quando encontrar um vampiro (isso é bem conhecido dos moleiros, porque os vampiros na Sérvia habitam normalmente os moinhos), se deve insultar o seu joelho esquerdo, ou mandá-lo para a montanha ou para a água, desejando-lhe que ele encontre espinheiro-alvar pelo caminho. Também os objetos benzidos ou a água benta podem ajudar contra os vampiros. Mas, de resto, realmente nada poderá livrar as pessoas de um vampiro enquanto ele não for destruído. De que forma? Através dos filhos deles. O povo acredita que o vampiro pode regressar a casa e viver com a antiga esposa, a qual poderá dele engravidar. Também as pessoas que tenham nascido num sábado, no dia dos mortos (na Sérvia o sábado é o dia dos mortos), podem destruir um vampiro. Só tem de encontrar o caixão do vampiro e trespassá-lo com uma estaca de espinheiro-alvar".

Fonte: Voz da Rússia

Mapa da Europa pode mudar em breve

economia zona do euro União Europeia separação finanças dificuldades financeiras
O agravamento da situação econômica no Mundo Velho pode levar ao surgimento, no mapa político, de novos Estados. O reforço da integração entre os países da zona euro tem fomentado as tendências centrífugas dentro de Estados comunitários.

Umas regiões exigem a independência política, outras contentan-se com a autonomia econômica.

O mapa da Europa poderá ser alterado nos próximos 3 ou 4 anos. Os nacionalistas da Catalunha, depois de terem triunfado nas eleições regionais, se dispõem a referendar a questão da independência em relação à Espanha. Na Bélgica, tem vindo a aumentar a hipótese de separação da região de Flandres, de expressão holandesa. Em paralelo, foi rubricado um acordo sobre realização, em 2014, do referendo quanto à eventual independência política e econômica da Escócia. Na Itália, a Liga Norte insiste em que seja concedida a autonomia às províncias industriais que vão sofrendo "por causa do sul do país, preguiçoso e corrupto". A Baviera solicitou o procedimento, ainda este ano, da revisão da Constituição Financeira da República Federal da Alemanha (RFA), alegando a impossibilidade de "fazer a vista grossa ao esbanjamento de recursos financeiros por outras regiões".

O regionalismo é um lado inverso da integração européia, considera o presidente do Instituto da Estratégia Nacional, Mikhail Remezov. As pequenas regiões já não temem a independência por se encontrarem sob a tutela de estruturas pan-européias que assumiram a maior parte de funções habituais exercidas por Estados.

"A fragmentação do monólito nacional se relaciona à consolidação de entidades européias supranacionais. Anteriormente, no processo de formação de novos Estados, vigorava o princípio duro de combate aos ânimos secessionistas - era proibido colocar a questão sobre a soberania desde que não existisse um respectivo potencial demográfico e econômico. Para não falar de eventuais e reais litígios ou controvérsias com os povos e os países vizinhos. Mas sob a alçada pan-européia este princípio deixou de vigorar".

Uma parte dos peritos explica o fortalecimento do regionalismo com a crise econômica. Os membros ricos da zona do euro - como Alemanha e França - estão descontentes porque não lhes apetece muito lidar com os problemas financeiros dos países vizinhos pobres. As regiões industrializadas não querem fazer doações às regiões menos desenvolvidas. É verdade que nos tempos da crise não há dinheiro ocioso. Todavia, no parecer de Vladislav Belov, diretor do Centro de Pesquisas Germânicas do Instituto da Europa, o fator econômico se relega para o segundo plano.

"Em parte, as tendências separatistas são uma resposta ao fenômeno de multiculturalismo por ser necessário prestar mais atenção à cultura regional. Falando da cultura alemã, referimo-nos, sobretudo, a Goethe ou a Schiller, embora esta cultura se alicerce em culturas regionais. O norte da Alemanha representa uma tradição cultural, o sul representa outras praxes e normas. Assim, pois, se trata do crescimento de autoconsciência cultural que leva ao surgimento de um paradigma seguinte: como sabemos trabalhar melhor, merecemos uma vida melhor. Não devemos alimentar outras pessoas".

As autoridades européias não sabem como reagir, nem podem avaliar todas as consequências deste fenômeno. O politólogo e professor catedrático do Instituto das Relações Internacionais (MGIMO, sigla russa), Valeri Solovei, constata que o reforço de tendências regionalistas e a eventual desagregação de alguns Estados constituem uma parte das transformações globais causadas pela crise econômica. O mundo se viu numa situação idêntica à que se formara no início do século XX. É como se fosse uma vaga que se torna cada vez mais alta sem que ninguém esteja em condições de medir a sua dimensão ou identificar a origem.

Economistas estão refletindo sobre a mudança de alicerces tecnológicos. Os politólogos apontam para a transformação de sistemas políticos e sociais. Alguns peritos têm encarado o regionalismo como um processo objetivo cuja essência poderá ser compreendida com o tempo. Se as decisões sobre a autonomia se tomam nos quadros de procedimentos democráticos, então as elites européias não têm o direito de impedi-las ou inviabilizar. É possível que a Europa proponha novos modelos de desenvolvimento, cujas vantagens têm de ser aproveitadas ao máximo.

Fonte: Voz da Rússia

21/12/12: NASA desmente 'fim do mundo'

Face à avalanche de perguntas de pessoas preocupadas com o eventual fim do mundo, no dia 21 de dezembro - algumas falam até em suicídio, a NASA decidiu fazer um esclarecimento público, através do seu site, desmentindo esses rumores

As 5000 questões recebidas e 400 respostas já publicadas sobre este tema levaram a agênca espacial norte-americana a criar uma secção no seu site para desmistificar o 12/12/2012.

Segundo o astrobiologista David Morrison, do Centro de Pesquisa Ames, da NASA, muitas das questões recebidas sobre as teorias apocalípticas são colocadas por jovens e crianças, muitas relatando que não conseguem dormir nem comer. Mas entre os adultos há até quem tenha manifestado intenção de se suicidar ou matar os filhos para não terem de assistir ao fim do mundo.

A gravidade do caso, levou então a NASA a este esclarecimento, publicando as respostas já dadas e criando uma secção de perguntas mais frequentes.

"O que é uma piada para muitos e um mistério para outros está a preocupar seriamente algumas pessoas e por isso é importante que a NASA responda a essas perguntas que nos são enviadas", justifica Morrison.

Um dos rumores que prevê o fim do mundo para o próximo dia 21 prende-se com a convicção de que essa seria a última data do calendário da civilização maia. Outro rumor tem origens em textos do escritor Zecharia Sitchi, dos anos 70, com a previsão de um planeta Nibiru, ou Planeta X - iria colidir com a Terra. Sobre esta teoria, a NASA explica: "A data para esse suposto choque estava inicialmente prevista para maio de 2003, mas como nada aconteceu, o dia foi mudado para dezembro de 2012, para coincidir com o fim de um ciclo no antigo calendário maia".

A agência espacial norte-americana sublinha ainda que não há provas de que os planetas do sistema solar estejam a preparar-se para um alinhamento, como dizem outras teorias, e que, mesmo que se isso ocorresse, os efeitos sobre a Terra seriam irrelevantes. 

Fonte: Visão

"New York Times" mostra Portugal como um país desolador

'New York Times' mostra Portugal como um país desolador
Um país em que 21% dos idosos vive na pobreza, em que dos 1,4 milhões de desempregados apenas 370 mil recebem apoios mensais do Estado, referem as legendas da fotogaleria do "New York Times" sobre Portugal. 

O site do New York Times publicou uma fotogaleria acompanhada por números que dão conta do sério agravamento das condições de vida dos portugueses.

Retratos de sem abrigo, de idosos, de imigrantes pobres e de jovens de malas feitas para emigrar, das manifestações e dos confrontos em frente à Assembleia, ou de um cemitério e um edifício devoluto, surgem na fotogaleria intitulada "Portugal aprova mais um pacote de austeridade".

"Cerca de 21% dos idosos em Portugal vivem atualmente na pobreza (...) 1,4 milhões de desempregados (quase 16% da população), dos quais apenas 370 mil recebem apoios mensais do Estado (...) 735 mil edifícios devolutos" são alguns dos números que acompanham a 16 fotografias que retratam a deterioração da situação social deste país situado no extremo ocidental da Europa.

Fonte: Expresso








EUA: Foto de polícia a ajudar sem-abrigo comove mundo

Imagem  carregada no Facebook
A foto de um polícia nova-iorquino a ajudar um sem-abrigo já comoveu milhares de pessoas na Internet.

Polícia em Nova Iorque, Lawrence DePrimo, de 25 anos, é já um herói aos olhos de milhares de pessoas em todo o mundo. Tudo porque o seu ato de bondade, a 14 de novembro, para com um sem-abrigo em Times Square foi fotografado por uma transeunte, Jennifer Foster, que reparou no polícia a conversar com o mendigo.

Foster decidiu aproximar-se do mendigo quando reparou que o polícia surgia de novo... mas desta vez com um par de botas para oferecer ao sem-abrigo, que tinha "bolhas nos pés", disse o Lawrence DePrimo em entrevista.

Sem o conhecimento de DePrimo, a mulher fotografou o momento com o telemóvel e mais tarde enviou um e-mail para a Polícia de Nova Iorque a relatar o episódio, juntamente com a fotografia, talvez sem imaginar a compaixão que iria gerar pelo mundo fora.

Sem saber ainda a identidade do polícia, a fotografia de DePrimo, que patrulhava a cidade numa noite particularmente fria, foi colocada no Facebook da polícia nova-iorquina e já é um êxito na Internet, contando com 114.709 partilhas, com 377.366 gostos e milhares de comentários de reconhecimento e elogios.

Sem qualquer intenção de ser um herói, DePrimo demonstrou que a 'Big Apple' não é tão fria como parece e disse ainda, ao The Times, guardar o recibo da compra para se lembrar que "às vezes há pessoas em pior situação que nós".

Fonte: DN.PT

Provadora de papas para bebés faz seguro milionário da língua

Provadora de papas para bebés faz seguro milionário da língua
Provadora de comidas para bebés é especialista na alimentação de crianças até aos 10 meses e tem o paladar igual ao de um bebé. Empresa quer segurar as capacidades de Beth Anderson em mais de um milhão de euros.

Beth Anderson é uma provadora de papas de bebé na "Cow & Gate". E o trabalho que faz é de tal forma valorizado que a empresa quer, agora, fazer um seguro no valor de 1,23 milhões de euros para a língua da funcionária.

A principal ressalva deste contrato de seguro passa pela possibilidade de Beth poder sofrer de uma "perda permanente de paladar".

A nutricionista norte-irlandesa de 24 anos é especialista em papas que são produzidas para bebés até aos 10 meses de idade, e prova, em especial, papas que possam ter sabores demasiado fortes para o gosto dos bebés, como é o caso do sabor ácido do tomate.

Apesar de poder parecer bizarro, o contrato de seguro já está a ser elaborado e as perspetivas da sua assinatura são bastante animadoras, tal como a própria Beth afirmou ao jornal britânico "Mirror".

Beth que foi treinada para provar comida como uma criança de 10 meses, admite que prefere especialmente provar as papas de sabores de frutas, sendo que o mais difícil do seu dia-a-dia é o de ter de provar algumas das papas com sabor a peixe, logo de manhã.

Fonte: Jornal de Notícias

X-47B: Testado avião comandado por inteligência artificial

Testado avião comandado por inteligência artificial
Um "drone" da marinha norte-americana poderá ser a primeira aeronave inteiramente pilotada através de inteligência artificial. O avião está a completar os testes e espera-se que seja o primeiro a conseguir aterrar autonomamente em porta-aviões.

O modelo está a ser desenvolvido há 5 anos e tem sido programado para descolar autonomamente, voar em missões pré-definidas e regressar à base após instruções de um operador.

A diferença entre o modelo em causa, designado X-47B, e um "drone" comandado está no facto de o primeiro não necessitar de um controlo de todos os seus movimentos, ao contrário das aeronaves telecomandadas.

As manobras do avião não tripulado corresponderão ao objetivo definido por um operador humano, como, por exemplo, focar determinado alvo, mas completarão a missão sem necessidade de comando, através de sistemas de GPS e autopilotagem e de sensores que evitam possíveis colisões.

Fonte: DN.PT


quinta-feira, 29 de novembro de 2012

Nasa: Mercúrio, o planeta mais próximo do Sol, tem gelo

Uma imagem de radar da região polar norte foi divulgada hoje com informações recolhidas pelo Messenger.
Mercúrio, o planeta mais próximo do Sol, tem gelo no Polo Norte, anunciou hoje a NASA.

Cientistas da agência espacial norte-americana informaram, em conferência de imprensa transmitida na Internet, que a sonda 'Messenger' detetou evidências de água gelada em Mercúrio.

O gelo está localizado no Polo Norte, uma zona do planeta permanentemente às escuras.

Contudo, a possibilidade de haver água em estado líquido em Mercúrio é remota, dado que o planeta não tem atmosfera, indicaram os cientistas da NASA.

'Messenger' é a primeira sonda a orbitar Mercúrio e foi lançada há oito anos.

Fonte: DN.PT

Marte: Curiosity encontra moléculas orgânicas simples

Curiosity, Marte, moléculas orgânicas, rover, espaço
O jipe Curiosity encontrou moléculas orgânicas simples em Marte, anunciou hoje Charles Elachi, o diretor do Laboratório de Propulsão a Jato (JPL), responsável por esta missão de investigação, em uma conferência especial.

"Sem dúvida, essas conclusões são preliminares e necessitam de confirmação", disse o perito, indicando que todos os dados estarão disponíveis para o JPL em 3 de fevereiro.

Entretanto, caso as informações sobre a descoberta de moléculas orgânicas em Marte sejam confirmadas, isto permitirá aos especialistas estabelecer se existiu ou não alguma forma de vida no Planeta Vermelho.

Fonte: Voz da Rússia

Cientistas avisam sobre novo dilúvio global

dilúvio
Os moradores de áreas baixas costeiras em todo o mundo podem enfrentar em breve o perigo de inundação, afirmam os cientistas alemães do Instituto de Mudanças Climáticas de Potsdam.

Analisando os dados de satélite mais recentes, eles descobriram que em últimos 20 anos o nível dos oceanos tem crescido em média em 3,2 milímetros por ano, o que é 60% mais rápido do que previram os peritos da ONU.

Os resultados do estudo foram apresentados na conferência da ONU sobre mudanças climáticas que se realiza na capital do Qatar, Doha, entre 26 de novembro e 7 de dezembro.

Fonte: Voz da Rússia

George Bush-pai foi hospitalizado

George Bush hospital
George Bush-pai, ex-presidente dos EUA, está hospitalizado numa clínica de Houston (Estado de Texas), com bronquite, informaram hoje os mídia locais.

O ex-presidente, que tem 88 anos e padece com frequência de doenças respiratórias, foi internado ainda na sexta-feira passada, mas isto foi sabido só agora, porque a família Bush leva um modo de vida fechado.

Segundo informou o secretário-de-imprensa do ex-chefe de Estado, Bush-pai deveria dar alta lá pelo fim-de-semana.

Fonte: Voz da Rússia

Marinha do Irã lança novos navios e submarinos e preocupa EUA

O governo do Irã se tornou auto-suficiente na fabricação de todos os tipos de navios militares, informa a agência Mehr. A Marinha do país lançou dois novos submarinos e dois navios com lançadores de mísseis.

Segundo a agência de notícias, os dois submarinos Ghadir e os navios de guerra Sina-7 integraram nesta quarta-feira a Marinha iraniana.

Os submarinos têm causado preocupação nos Estados Unidos, que os considera uma ameaça para o equilíbrio estratégico na região do Golfo Pérsico.

O Irã insiste que vai usar sua força militar só para salvaguardar a paz.

Fonte: IAnotícia

Tornado formado nesta manhã devasta cidade italiana

A cidade de Taranto, no sul da Itália foi devastada nesta quarta-feira pela passagem de um tornado.

O fenômeno se formou nesta manhã na costa italiana e atingiu os depósitos de uma fábrica siderúrgica, deixando 20 funcionários feridos e um desaparecido.

O tornado derrubou árvores, danificou vários veículos e provocou queda na eletricidade. 

Outras partes da Itália também sofrem com o mau tempo. A Toscana enfrenta fortes chuvas, enquanto a região de Grosseto tem 19 estradas bloqueadas por deslizamentos e inundações.

Em Veneza, a previsão é que ocorra um aumento das marés.

Ao todo, sete regiões estão em estado de alerta.

Fonte: IAnotícia

quarta-feira, 28 de novembro de 2012

O Consumismo e o Planeta Rumo ao Fim

Os Politicos: "Não Querem Saber de Nós"

Como a NASA poderá construir o primeiro motor de dobra espacial, mais rápido que a luz

Recentemente, o físico Harold White e sua equipe na NASA anunciaram que estavam trabalhando no desenvolvimento de um motor de dobra capaz de viajar mais rápido do que a luz.

O projeto é inspirado em uma equação formulada pelo físico Miguel Alcubierre em 1994, e pode, eventualmente, resultar em um motor que poderia transportar uma nave espacial para a estrela mais próxima de nós em questão de semanas, sem violar a lei da relatividade de Einstein.

O trabalho de Alcubierre, “The Warp Drive: Hyper-Fast Travel Within General Relativity” (em português, algo como “Dobra espacial: viagem hiper-rápida dentro da relatividade geral), sugere um mecanismo pelo qual o espaço-tempo pode ser “deformado”, tanto na frente quanto atrás de uma nave espacial.
No universo ficcional de Star Trek, a dobra espacial (ou “warp drive”, em inglês) é uma forma de propulsão mais rápida que a luz, geralmente representada como sendo capaz de impulsionar uma espaçonave ou outros objetos a muitos múltiplos da velocidade da luz, ao mesmo tempo em que evita os problemas associados a dilatação do tempo.

Esse mecanismo tira proveito de um “truque cosmológico” que permite a expansão e contração do espaço-tempo, e poderia permitir viagens hiper-rápidas entre destinos interestelares.

Essencialmente, o espaço vazio atrás de uma nave seria feito para poder expandir-se rapidamente, empurrando a nave para a frente. Eventuais passageiros perceberiam isso como movimento, apesar da completa falta de aceleração.

White especula que isso poderia resultar em “velocidades” que poderiam levar uma nave espacial para Alfa Centauri (o sistema estelar mais próximo de nós) em apenas duas semanas, mesmo que o sistema esteja a 4,3 anos-luz de distância. A título de comparação, com a nave espacial mais rápida do mundo existente atualmente, a sonda Helios-2, o trajeto a Alfa Centauri levaria 19.000 anos.
Mas como?

Com nossas tecnologias de propulsão atuais, o voo interestelar é impossível. Algumas tecnologias experimentais, como propulsores de íons ou naves explodindo bombas atômicas na cauda, oferecem esperança, mas simplesmente não são práticas.

Isso porque elas exigem quantidades enormes de combustível e de massa para chegar a qualquer estrela próxima, depois de décadas ou até mesmo séculos de viagem.

O que a nova proposta tem de diferente, ou seja, de melhor que as outras?

Ela oferece um meio de chegar a um destino distante de forma bastante rápida, sem quebrar nenhuma lei da física, e ainda tem o potencial de solucionar o problema da energia (da quantidade exorbitante necessária hoje para alcançarmos lugares tão além do nosso planeta).
Bolha de dobra

Em termos de mecânica do motor, a ideia depende basicamente de um objeto esferoide colocado entre duas regiões do espaço-tempo (uma expansão e uma contratação). Uma “bolha de dobra” geraria o que se move no espaço-tempo ao redor do objeto, efetivamente reposicionando-o. O resultado final seria viagem com velocidade mais rápida do que a luz, sem o objeto esférico (a nave espacial) ter que se mover com respeito à sua estrutura local de referência.

Ou seja, através da criação de uma “bolha de dobra”, o motor da nave irá comprimir o espaço à frente e expandir o espaço atrás de si, movendo-o para um outro lugar sem sofrer nenhum dos efeitos adversos dos métodos de viagem mais rápida que a luz.

“Nada localmente excede a velocidade da luz, mas o espaço pode se expandir e contrair em qualquer velocidade”, explica White.
Dificuldades

Ainda assim, criar esse efeito de expansão e contração do espaço-tempo de forma a chegarmos a destinos interestelares em períodos de tempo razoáveis exige muita energia.

Avaliações iniciais sugeriam quantidades de energia monstruosas, basicamente iguais à massa-energia do planeta Júpiter (que é de 1,9 × 10 elevado a 27 quilos ou 317 massas terrestres). Como resultado, a ideia tinha sido posta de lado no passado. Mesmo que a natureza permitisse uma velocidade de dobra, nunca seríamos capazes de criá-la.

No entanto, White afirma que, com base na análise que fez nos últimos 18 meses, pode haver esperança. A chave, segundo ele, pode estar em alterar a geometria da dobra espacial propriamente dita.

White percebeu que, se otimizasse a espessura da bolha de dobra (mudando sua forma de anel para uma forma de rosca), e oscilasse sua intensidade para reduzir a rigidez do espaço-tempo, poderia reduzir a energia necessária para fazê-la funcionar.

White ajustou a forma de anel feita inicialmente por Alcubierre, transformando o esferoide de algo que parecia um halo plano para algo mais grosso e curvo.

O novo design pode reduzir significativamente a quantidade de matéria necessária; White diz que a velocidade de dobra pode ser alimentada por uma massa ainda menor do que a sonda Voyager 1. A redução da massa de um planeta do tamanho de Júpiter a um objeto que pesa apenas 725 kg redefiniu completamente a plausibilidade do projeto.

Essa plausibilidade é muito interessante, mas ainda é teórica. Agora, White e a equipe da NASA buscam provar que o conceito pode ser prático. Para tanto, eles estão fazendo diversos testes, como a medição das perturbações microscópicas no espaço-tempo a partir de uma versão modificada do interferômetro de Michelson-Morley. Ou seja, os pesquisadores estão tentando simular uma bolha de dobra em miniatura usando lasers para perturbar o espaço-tempo.
“Pilha de Chicago”

E então: uma nave que viaja além da velocidade da luz sem perturbar as leis do universo pode ou não ser construída?

“Matematicamente, as equações de campo preveem que isso é possível, mas ainda temos que reduzir esta ideia à prática”, afirma White.

Ou seja, antes de dizermos que tal coisa é possível, precisamos de algo chamado de “prova de existência”, que White apelidou de “Pilha de Chicago”, em uma referência a um grande exemplo prático.

No final de 1942, a humanidade ativou o primeiro reator nuclear do mundo em Chicago (EUA), gerando meio Watt, energia que não era suficiente para alimentar uma lâmpada – mas foi uma prova de que ele era possível. Pouco menos de um ano depois, nós ativamos um reator que gerava energia suficiente para abastecer uma pequena cidade.

White está confiante. “Esta brecha na relatividade geral nos permite ir a lugares de forma muito rápida, medida da mesma forma por observadores na Terra e observadores a bordo do navio viagens medidas em semanas ou meses ao invés de décadas e séculos”, disse.

Só que, no momento, a realização de tal projeto está no “modo de ciência”. “Eu não estou pronto para discutir a proposta muito além da matemática e de abordagens modestas controladas em laboratório”, conclui.

Fonte: io9, USSOrbiter

Americana não alcança orgasmo e agride namorado

Raquel teria agredido o parceiro por não conseguir atingir o orgasmo (Foto: Divulgação)
Raquel Gonzalez ficou brava por apenas seu parceiro atingir clímax. Após o sexo, mulher começou a bater e arranhar o namorado.

No estado americano da Flórida, Raquel Gonzalez, de 24 anos, foi presa ao agredir seu namorado após ter uma relação sexual em casa, alegando que apenas seu parceiro teria atingido o orgasmo.

A briga teria iniciado quando o namorado, Esric Davis, de 30 anos, teria alcançado o clímax, e Gonzalez ainda não, de acordo com o site “The Smoking Gun”. Quando percebeu isso, Raquel teria começado a agredir e arranhar Davis, causando ferimentos em seu rosto.

A mulher acabou acusada de agressão doméstica e encaminhada para a prisão do condado de Manatee, entretanto, a fiança ainda não foi estabelecida. Os policiais informaram ainda que um dos fatores que podem ter contribuído para a agressão pós-coito seria o consumo excessivo de álcool.

Fonte: G1

Prova de vida extraterrestre descoberta no Antártico

Barco russo preso no gelo - EPA/UNITED STATES AIR FORCE
A descoberta de micróbios nas águas salgadas e com temperaturas abaixo de zero do Antártico são, na opinião dos cientistas responsáveis, mais uma prova da existência de vida extraterrestre.

Investigadores encontraram no Lago Vida, nos Vales Secos de McMurdo, Antártica, uma comunidade microbial que vive em ambiente escuro e a uma temperatura de 13 graus negativos.

O que surpreende os cientistas é que o Lago Vida não contém oxigénio, é ácido, a sua constituição é na maioria congelada e tem um elevado nível de nitrogénio. É também seis vezes mais salgado do que o normal.

O especialista da British Antartic Survey (BAS), Cynan Ellis-Evans, não esconde o seu espanto, afirmando à BBC que existem vários lagos salgados na Antártica, mas nada que se assemelhe a este.

Apesar de não ter participado na descoberta, o cientista considerou que a existência de micróbios a temperaturas tão baixas «é uma descoberta muito interessante».

Os trabalhos de campo realizados em 2005 e 2010 pelo Desert Research Institute (DRI), levam um dos responsáveis pela descoberta, Christian Fritsen, a acreditar que é plausível a existência de uma fonte de energia capaz de suportar o desenvolvimento dos micróbios, através da reação química da água salgada anóxica, ou seja, sem oxigénio e a rocha.

Fonte: TVI24

15 Boas razões para ter sexo

15 Boas razões para ter sexo
A verdadeira revolução sexual passa-se no nosso corpo, no nosso cérebro. A tal química do amor não é só metáfora: ela existe. De cada vez que fazemos sexo - sobretudo com alguém que é afectivamente muito importante para nós - ficamos mais felizes, os nossos ciclos corporais equilibram-se, os músculos tonificam-se e até ficamos mais bonitas! Há lá exercício físico melhor ou antidepressivo mais eficaz?! Confira, já a seguir, aquilo que o sexo pode fazer por si.


1 Torna-nos mais bonitas

Já ouviu com certeza alguém dizer--lhe: 'Estás com uma pele óptima! Tens namorado novo?' Diz-se que quando as pessoas estão apaixonadas e a vida sexual fica mais quente também a pele fica mais lisa e suave, mais bonita. Parece que a ciência o confirma. A razão prende-se com o aumento dos níveis de estrogénio, hormona que contribui para a produção de colagénio, que, por sua vez, melhora a saúde da pele. O aumento da circulação sanguínea durante o acto sexual também aumenta a irrigação na pele e no cabelo - que, como não são órgãos vitais, vão para o fundo da lista na hora de receber nutrientes essenciais.

2 Queima calorias

Dizem os pesquisadores do Hospital das Clínicas de São Paulo, Brasil, que uma relação sexual queima, em média, entre 100 e 150 calorias, o equivalente a 20 minutos de caminhada vigorosa. Mas os mais resistentes e fogosos podem queimar 300 em sessões longas de sexo selvagem (ou seja, mudem de posição, não se fiquem pelas mais cómodas, como a do missionário). Quer melhor maneira de perder uns quilos?

3 Tonifica o corpo

A prática regular (e vigorosa) de sexo é um exercício tão bom como uma aula de aeróbica ou de GAP (glúteos, abdominais e pernas) para fortalecer os músculos das nádegas, coxas e barriga. Pelo menos é o que a Dr.ª Claire Bailey, da Universidade de Bristol, diz. Além disto, ainda pode melhorar-nos a postura. E, diz a boa doutora, não há perigo de sobredosagem. Ufa! Ainda bem...

4 Combate a celulite

Se está preocupada com o facto de, durante os momentos de intimidade, ele lhe olhar para as coxas e dizer: 'Querida, estás crivadinha de celulite!', pense que a maioria dos homens não repara nisso: estão mais concentrados na 'grande Cruzada pelo orgasmo'. Como se isso não fosse suficientemente reconfortante, saiba que o acto sexual estimula a circulação linfática e ajuda o corpo a livrar-se das toxinas e a drenar aquelas que provocam a celulite. Toca a adelgaçar!

5 É amigo do coração

Durante a actividade sexual a circulação sanguínea é activada e o coração trabalha mais depressa. As pulsações passam de 75 batimentos por minuto para 150 no momento do orgasmo. Feito com regularidade, o sexo pode mesmo ajudar na luta contra as doenças de coração. Um estudo da Queens University, em Belfast, Irlanda do Norte, descobriu que os homens que faziam sexo três ou mais vezes por semana reduziam para metade o risco de sofrerem ataques cardíacos e acidentes vasculares cerebrais. Mas atenção, cardíacos: têm de ser mais contidos nos esforços amorosos.

6 Apura o olfacto

O mesmo estudo conclui que depois do orgasmo o corpo produz a hormona prolactina, que induz as células estaminais do cérebro a desenvolverem os neurónios da parte do cérebro que controla as informações olfactivas. Ou seja, ficamos mais sensíveis aos aromas. O que se torna uma pescadinha-de-rabo-na-boca: os cheiros são muito importantes na nossa vida afectiva e até na estimulação do desejo sexual.

7 Aumenta as defesas

O sexo (seguro, claro!) até pode fortalecer o nosso sistema imunitário. A revista americana 'Forbes' cita um estudo da Wilkes University, na Pensilvânia, EUA, onde os investigadores descobriram que as pessoas que faziam sexo pelo menos uma ou duas vezes por semana tinham níveis 30% superiores de imunoglobina A, um anticorpo que protege contra os vírus da gripe e da constipação.

8 Liberta o stresse

Músculos doridos, cérebro cansado, aquela sensação desesperante de que o tempo nos foge... o stresse vai-nos minando por dentro. E a última coisa que apetece é chegar a casa e ainda nos arrastarmos até à cama para uma sessão de sexo selvagem... ou mesmo manso. Convenhamos... a Supermulher não existe. Mas durante o fim-de-semana aproveite para dormir até mais tarde e começar o sábado com uns beijos e carícias (que rapidamente se podem transformar em mais do que isso), seguidos de um retemperante pequeno-almoço. Até porque o sexo é mesmo um antídoto natural para o stresse, minimiza a ansiedade e tranquiliza-nos. Durante o orgasmo, o corpo produz substâncias que ajudam a relaxar (aquela sensação boa de languidez que dá depois do sexo). Além disso, é uma óptima maneira de se livrar de todas as tensões negativas e frustrações acumuladas (Freud explica...).

9 É antidepressivo

O sexo promove uma química cerebral propícia à felicidade. Durante o orgasmo libertam-se neurotransmissores, como as endorfinas, famosas pela sensação que nos dão de felicidade e euforia, e a oxitocina, que promove sentimentos de afecto e união. Se elas não ajudarem a combater a depressão, nada mais o fará. Além disto, o psicólogo norte-americano Gordon Gallup conduziu, em 2002, um estudo com 293 mulheres onde descobriu que aquelas cujos parceiros não usavam preservativos eram mais resistentes à depressão. A explicação pode ter a ver com a presença da hormona prostaglandina no sémen: ela pode ser absorvida pelo nosso sistema reprodutor e mexer com a mecânica hormonal feminina, que nos faz ter altos e baixos de felicidade.

10 Aviva a memória

Quatro investigadores do National Institute of Aging e da Universidade de Georgetown, nos Estados Unidos, descobriram que a memorização de palavras é mais fácil às mulheres porque está ligada à produção regular de estrogénio, que é maior no sexo feminino. Atrás, vimos que a actividade sexual regular aumenta e equilibra a produção desta hormona. Por isso, quando fazemos sexo estamos a aumentar as nossas capacidades de memorização de palavras. Será que é por isso que também dizem que gostamos mais de falar?

11 Ajuda a dormir

Depois do orgasmo, aparece uma sensação de relaxamento e languidez, a diminuição da tensão e até alguma sonolência. Nada melhor para dormir um sono descansado e acordar cheia de energia do que uma noite de amor a todo o gás.

12 Aumenta a fertilidade

A médica norte-americana Winnifred Cutler descobriu que ter sexo pelo menos uma vez por semana - e nunca menos - ajuda a equilibrar o nosso sistema endócrino e a regularizar o ciclo menstrual feminino de uma forma natural, estabelecendo-o em 29,5 dias. Isto torna a mulher mais fértil e contribui para a sua saúde hormonal. A investigadora diz que isto acontece especialmente em casais monogâmicos, que têm sexo com uma periodicidade mais regular. É preferível ter sexo apenas uma vez por semana do que de uma maneira irregular, pois isso contribui para uma desregulação hormonal nada benéfica.

13 Alivia a dor

Durante um orgasmo, são libertadas endorfinas que agem como analgésicos naturais produzidos pelo corpo e nos dão uma sensação de bem-estar e prazer. Daí que o sexo possa ser uma boa razão para aliviar sintomas de dor, da artrite à vulgar dor de cabeça (acabaram-se as desculpas, meninas...).

14 Melhora a auto-estima

Esta, todas nós sabemos sem precisarmos de estudos elaborados. Quando sabemos que somos desejadas, que alguém nos ama, que conseguimos levar esse alguém ao sétimo céu, sentimo-nos mais atraentes, absolutamente capazes de tudo. As relações duráveis dão-nos uma maior estabilidade emocional e mais confiança. E quando gostamos mais de nós também temos mais para dar aos outros.

15 Fortalece a relação

É certo que o sexo não é tudo numa relação e que os problemas não podem nem devem ser resolvidos na cama... ou acabarão por ficar assim mesmo: por resolver. Mas sexo é, acima de tudo, partilha de vontades e ideias, expressão de emoções, química e alguma ousadia. Não há casal que resista a uma vida sexual entediante. A norte-americana Lou Paget, conselheira sexual e autora de vários best sellers sobre o assunto, confirma que o sexo pode ser uma experiência em que a sensação de união chega a atingir contornos espirituais. 'Alguma vez sentiu tanta afinidade emocional com a pessoa com quem está, depois de terem feito amor ou durante um orgasmo, que fica com a sensação de que tudo o que a rodeia desaparece? Muitos de nós têm a recordação de uma experiência como essa quando a sexualidade nos transportou a outro plano.' Está na altura de se teletransportar até essa dimensão, tal como o Capitão Kirk de 'O Caminho das Estrelas'.

Fonte: Revista Activa

Cientistas portugueses obrigam células cancerosas a suicidarem-se

O controlo de uma única reacção química numa proteína teve como consequência a morte de células que, por definição, são imortais. Patente para esta inovação foi pedida para a Europa.

É um filme que se desenrola durante um dia inteiro, com um fim aparentemente trágico: o suicídio de uma célula. Só não é classificado como drama porque a morte desta célula é uma coisa boa, pelo menos para nós, ou não fosse ela cancerosa. Um feito da equipa coordenada por Hélder Maiato, do Instituto de Biologia Molecular e Celular (IBMC) da Universidade do Porto.


Neste filme, a equipa utilizou a primeira linha de células tumorais isolada, em 1951, oriunda do cancro do colo do útero. Estas células têm sido bastante usadas como modelo em laboratório, pelas suas características imortais. Com elas, os cientistas portugueses fizeram agora uma série de experiências, registadas em imagens ao microscópio, que conseguiram interferir no processo de divisão celular.

Ao contrário das células normais, que se suicidam ao fim de umas quantas divisões, num processo geneticamente programado, as cancerosas são imortais. Se nada for feito que trave essa imortalidade, dividem-se para sempre e invadem outros tecidos.

Quando uma célula se divide, para que dê origem a duas células geneticamente iguais, os cromossomas, que contêm a informação genética muito compactada, têm de se distribuir de forma igual, num processo conhecido por mitose. Nessa altura, forma-se uma pequena ligação entre os cromossomas e a maquinaria que os vai distribuir durante a divisão celular. “Alterações neste interface são conhecidas por estarem na base da instabilidade genética que ocorre em vários tipos de cancro”, explica Hélder Maiato, de 36 anos.

Ajudar a agarrar as cordas
Não nos assustemos com os nomes: o interface chama-se cinetócoro e a maquinaria de distribuição dos cromossomas é o fuso mitótico. Mais: este fuso é formado por uma espécie de cordas que movem os cromossomas. “Para se mexerem, os cromossomas precisam que estas cordas actuem e o ponto de ligação entre elas e os cromossomas é o cinetócoro.”

Mas como é controlada a ligação entre o cinetócoro e o fuso mitótico? Se, por um lado, já se sabia que é frequente haver problemas na ligação do cinetócoro ao fuso mitótico em vários tipos de cancro, por outro não se sabia o que regulava essa união, que tem de ser estável. Não pode ser nem forte nem fraca de mais.

É aqui que a equipa de Maiato tem estado a afinar a compreensão deste processo. Há 12 anos, graças a estudos em moscas-da-fruta, descobriu duas proteínas que ajudam a agarrar o cinetócoro às cordas do fuso mitótico. São as CLASP, nome que remete para a palavra inglesa “agarrar”. Agora, a compreensão do papel de uma dessas proteínas, a CLASP2, foi aprofundada, com a descoberta de um novo mecanismo de regulação molecular.

Para tornar estável aquela união, normalmente a proteína CLASP2 é alvo de uma modificação, através de uma única reacção química, provocada por outra proteína, a Plk1. “Mostrámos que basta uma pequena modificação na CLASP2 para estabilizar o interface.”

Mas quando os cientistas interferiram com essa reacção química, os efeitos para as células foram catastróficos. “Quando impedimos que esta modificação acontecesse, as células não conseguiam estabilizar o interface e não conseguiam fazer o tal fuso mitótico e dividir-se”, explica Hélder Maiato. “Acabavam por morrer, sem conseguirem dividir-se.”

Ainda começavam a formar o fuso mitótico com as suas cordas – que tem dois pólos na situação normal, para que a divisão seja possível –, mas essa estrutura acabava por se desfazer. O fuso mitótico evoluía para um só pólo e as células cancerosas, impossibilitadas assim de distribuírem os cromossomas e de se dividirem, tinham a morte como destino.

Para levar as células a matarem-se, bastou fazer a alteração de uma única letra no gene que comanda o fabrico da CLASP2. E o resultado foi a produção de uma versão da proteína que também tinha uma única alteração: um dos seus aminoácidos, ou tijolos, foi trocado por outro. Ao colocarem a nova versão do gene sintético nas células cancerosas, elas passavam a produzir a versão mutada da proteína. A consequência foi a suspensão da reacção química, com os tais efeitos dramáticos. “Através de uma única modificação, podemos controlar o processo de divisão celular”, resume Hélder Maiato.

Potencial terapêutico
Divulgadas na revista Journal of Cell Biology, editada pela Universidade Rockefeller, nos EUA, estas descobertas estiveram na base de um pedido de patente para a Europa, apresentado pelo IBMC no Reino Unido em Outubro, apenas quatro dias antes da publicação do artigo. A patente teria ficado comprometida se a informação tivesse sido tornada pública antes da entrega do pedido.

Feitas estas duas descobertas de biologia fundamental – primeiro, que CLASP2 é essencial na divisão celular, segundo, que a introdução de pequena mutação leva à morte das células –, o que se segue poderá ser a aplicação deste conhecimento em novas terapias contra certos tipos de cancro, por exemplo naqueles que têm uma taxa elevada de proliferação celular. “Deste resultado saiu uma potencial nova terapia. Pode ser feita uma pequena modificação nesta proteína em laboratório e, ao introduzir a proteína nas células certas – neste caso, nos tumores –, poderemos impedir que se dividam”, conta o cientista. “Pode haver empresas interessadas no uso desta modificação.”

Em seres humanos, já decorrem ensaios de substâncias que afectam a formação do fuso mitótico, só que inibem a Plk1, a proteína que desencadeia a reacção química. A equipa de Hélder Maiato adoptou uma abordagem diferente, ao actuar sobre a proteína que sofre a reacção química. “Há várias maneiras de esfolar um coelho”, lembra o investigador.

As imagens de células cancerosas apanhadas a matarem-se são a prova de que a maneira portuguesa de esfolar um coelho funciona, pelo menos nas experiências com células. “Sim, são a prova visível disso.”

Ao microscópio, captaram-se dezenas de sequências de imagens que dão a ver em filme o que sucedia às células na presença da proteína mutada. Num dos vídeos, mais de nove horas depois de terem perdido os dois pólos do fuso mitótico, elas suicidaram-se. Fim da história e, quem sabe, se o início de outra sobre um avanço na luta contra o cancro.

Fonte: Público

Proliferação de algas raras, transforma águas perto de Sydney em "Sangue Vermelho"

Um “mar de sangue”, é assim que os australianos estão chamando a água do mar, próximo a costa do país, que ficou tingido de vermelho nesta terça-feira.

Segundo o Herald Sun, turistas e moradores locais evitaram se banhar na água com cor de sangue, em locais como as praias de Sidney.

Os cientistas ouvidos pela imprensa australiana informaram que trata-se de um fenômeno raro: uma grande proliferação de algas da espécie conhecida como Noctiluca scintillans, que pode deixar partes do mar vermelho ao liberar algumas substâncias.

Mesmo não tendo efeitos tóxicos, a alga pode irritar a pele devido à alta concentração de amônia.

Fonte: Ianotícia



Clima está mudando mais rápido do que a ONU esperava

O nível do mar está subindo 60 por cento mais rápido do que as projeções da ONU indicavam em 2007. Cientistas das Nações Unidas culpam o homem pelas alterações climáticas na Terra.

Os mares subiram 3,2 mm ao ano, em média, segundo o estudo realizado por três especialistas em clima e publicado na revista britânica Environmental Research Letters. A projeção anterior da ONU previa uma elevação de 2 mm.

Durante a cúpula de Doha, o Programa das Nações Unidas para o Meio Ambiente divulgou na terça-feira que devido ao rápido aumento das temperaturas, o subsolo ártico já está derretendo. Segundo os climatologistas da ONU, o derretimento vai liberar lentamente todo o carbono que foi acumulado e neutralizado com a passagem dos séculos, aumentando o aquecimento da Terra.

Cientistas brasileiros como Ricardo Felicio, da Universidade de São Paulo, dizem que o Aquecimento Global é apenas uma teoria e que as geleiras não estão em um processo de derretimento fora do normal, como são divulgadas pelos governos.

Fonte: IAnotícia

Cientistas iranianos fizeram simulações de armas nucleares

Cientistas iranianos fizeram simulações de uma bomba nuclear três vezes mais potente do que a lançada sobre Hiroshima pelos EUA durante a Segunda Guerra Mundial, de acordo com um diagrama obtido pela Associated Press.

O diagrama com simulações de computador é de conhecimento da Agência Internacional de Energia Atômica desde 2011, quando funcionários da inteligência de países membros que não se identificaram forneceram o documento. Diplomatas disseram a agência de notícias que Israel e os Estados Unidos, os países mais preocupados com o programa nuclear do Irã, podem ter fornecido a maior parte das informações que está sendo utilizado pela AIEA em sua investigação.

Segundo a CBS News, cientistas iranianos calcularam todos os detalhes para fabricação e explosão de armas nucleares.

O diagrama tem uma legenda em persa: “Alterações na produção e na energia liberada em função do tempo através de pulso de energia.”

David Albright, do Instituto para Ciência e Segurança Internacional, disse que o diagrama parece ter sido desenhado mais para os iranianos entenderem o processo do que como parte de um projeto para desenvolver uma bomba.

Fonte: IAnotícia

segunda-feira, 26 de novembro de 2012

Autarca brasileiro avisa população para fim do mundo

Um autarca brasileiro aconselhou a população da sua cidade a preparar-se para o fim do mundo, no dia 21 de Dezembro. Décio Antônio Colla, prefeito da cidade de São Francisco de Paula, no Ro Grande do Sul, prevê que ocorram uma série de catástrofes, com base no calendário maia.

O prefeito recomendou à população da cidade de cerca de 20 mil pessoas para armazenar lenha, fósforos, velas, lanternas, alimentos e água. "Quando eu alertei meu povo, foi para informá-lo dos factos que eu sabia e hoje todos sabem, porque está na internet e na TV. Eu fiz o alerta para que eles não sofressem ou sofressem menos", afirmou ao portal Terra.
O autarca lembra que a 21 de Dezembro “acontece o alinhamento com o sol central, na data prevista pelo calendário Maia” e avisa para as alterações climáticas. “Nova York nunca esteve debaixo de água, como agora, assim como Veneza. Ou seja, está acontecendo uma série de coisas. Quando os ventos solares emitirem as descargas magnéticas, nós vamos sentir muito. O sol de agora não é o mesmo de 10 anos atrás. Tudo isso que está acontecendo são alterações importantes”, afirmou.
Antônio Colla garante que por estar situada 900 metros acima do nível do mar, a sua cidade já serve de refúgio para quem teme tsunamis e está a comprar terrenos na área. O prefeito critica a falta de preparação do país para o que aí vem. "O Brasil não está preparado para nada. O Brasil só pensa em Copa do Mundo. Os governos não têm interesse em se prevenir", afirmou.

Fonte: Correio da Manhã


Confira a seguir a entrevista completa com o prefeito:

Terra - Em março, foram veiculadas notícias sobre suas orientações à população, para que eles se preparassem para o fim do mundo. Você ainda acha que o mundo vai acabar?
Décio Antônio Colla - Eu nunca usei a expressão "fim do mundo" - a mídia é que usou. Eu acredito na evolução física e espiritual do ser humano. O que eu fiz foi alertar o meu povo para esses riscos e essas possibilidades que nós já conhecemos hoje, que são veiculadas na internet e na TV. Uma série de informações: Cinturão de fótons, ventos solares, entre outros. Eu apenas alertei o meu povo para essas possibilidades. E no dia 21 de dezembro, não quer dizer que vai acontecer tudo junto. Mas é nessa data que o cinturão de fótons vai estar mais perto. É nessa data também que acontece o alinhamento com o sol central, na data prevista pelo calendário Maia: dia 21 de dezembro. O que se percebe hoje são alterações planetárias. O metrô e as ruas de Nova York nunca estiveram debaixo da água, como agora, assim como a cidade de Veneza. Ou seja, está acontecendo uma série de coisas. Quando os ventos solares emitirem as descargas magnéticas, nós vamos sentir muito. O sol de agora não é o mesmo de 10 anos atrás. Tudo isso que está acontecendo são alterações importantes.
Terra - Que grandes catástrofes estão para acontecer?
Colla - Nós temos duas "bombas" prestes a explodir. A primeira é o aquecimento global, que não é culpa só do homem. O centro de Terra está ficando mais quente. E nós temos dois grandes vulcões, terríveis, um em Yellowstone e o outro nas Ilhas Canárias. Se esse último entrasse em erupção, seria o fim das nossas praias. Milhares de pessoas poderiam morrer se essas "porcarias" explodissem.
Terra- De onde vem essa sua convicção? Você estudou esses fenômenos?
Colla- Eu acredito que o ser humano tem uma consciência imortal, que nós estamos evoluindo, aprendendo. A Terra é uma energia materializada, e energia nunca se perde. Sobre as minhas convicções, se vocês fossem entrevistar astrofísicos, eles pensariam da mesma forma, e vocês ficariam até com mais medo. Pessoas podem, sim, morrer com as catástrofes. Mas nós não podemos incutir medo nas pessoas, isso só leva à dor. Nós temos que ter consciência clara das possibilidades - não devemos nos preocupar. A gente se preocupa pelo apego, pelo egoísmo. "Ai, vou perder a minha casa na praia, as pessoas que eu amo". Nós temos que acreditar nessa consciência imortal. Não adianta ter medo e sofrer. Precisamos colocar nas mãos de Deus e nos precaver. Quando eu alertei meu povo, foi para informá-lo dos fatos que eu sabia e hoje todos sabem, porque está na internet e na TV. Eu fiz o alerta para que eles não sofressem ou sofressem menos.
Terra - Você acredita que o Brasil está preparado para essas alterações planetárias?
Colla - O Brasil não está preparado para nada. O Brasil só pensa em Copa do Mundo. Quando está quente, as pessoas acham bom, porque vai ter praia no final de semana. Os governos não têm interesse em se prevenir. Outros países estão se preparando para o que está por vir. Mesmo assim, essa preparação é só para a elite ou para quem sabe dos fatos, não para as grandes massas.
Terra - No início do ano, o senhor orientou a população a estocar comida. Você também está se precavendo nesse sentido?
Colla - Eu prefiro não falar, por questão de segurança pessoal.
Terra - Mas você ainda orienta a população para estocar comida?
Colla - Sempre orientei, e não só comida. Aqui a gente usa fogão à lenha, eu falo para as pessoas que elas devem ter lenha, fósforos, velas, lampiões e um pouco de alimento e água. Com os supermercados, fica mais fácil, porque eles acabam sendo a nossa reserva de comida.
Terra - Por estar 900 m acima do nível do mar, São Francisco de Paula serve como refúgio para possíveis catástrofes? Há quem procure a cidade por esse motivo?
Colla - Muita gente procurou a cidade. O valor dos terrenos subiu bastante por causa disso. O nosso litoral corre sérios riscos. Por isso, as pessoas procuram por cidades mais altas, na Serra Gaúcha, por acharem que é mais seguro, no caso de um tsunami.
Terra - Você tem mais alguma recomendação ou mensagem para a população?
Colla - Eu gostaria de dizer que o povo deve estar alerta. A orientação que eu passei para a população demonstra a preocupação do prefeito de uma pequena cidade que está apenas preocupado com o seu povo. Eu fiz o alerta para eles não sofrerem com a falta de luz, de água ou com outros problemas que possam surgir. A minha função e a de vocês (da mídia) é divulgar informações, mas não causar o medo.

Fonte: primeiraedicao

Economista belga Paul De Grauwe 'Austeridade excessiva levará Portugal para a insolvência'

A austeridade excessiva "levará Portugal para a insolvência", disse hoje em Lisboa o académico belga Paul De Grauwe.

"Portugal é solvente, creio eu, mas pode ser empurrado para a insolvência pelos mercados financeiros", disse De Grauwe, antigo deputado no parlamento da Bélgica, durante conferência Portugal em Mudança, que assinala o 50.º aniversário do Instituto de Ciências Sociais (ICS) da Universidade de Lisboa.

"O sistema [financeiro da zona euro] é extremamente frágil e pode ser afectado por movimentos de medo e desconfiança", acrescentou De Grauwe. "Teme-se a insolvência e, por a temermos, ela torna-se realidade."

De Grauwe, que tem sido crítico da reacção europeia à crise financeira, nota que a resposta tem sido austeridade. No entanto, afirma o académico, a austeridade tem impacto negativo sobre a economia: "O PIB cai mais depressa que a dívida. Os analistas olham para isto e vêem as coisas a ficar pior."

Perante este ciclo vicioso, alerta De Grauwe, a dívida continuará a aumentar de forma insustentável: "A austeridade excessiva levará Portugal para a insolvência."

Fonte: Lusa/SOL

Insólito: Belga descobre que a sua mulher tinha sido um homem

Janeiro teve 19 anos, não suspeita.  "Eu nunca me perguntei por que ela não queria ter filhos."
Ao fim de 19 anos de casado, um belga descobriu que a sua mulher indonésia tinha nascido homem e fizera uma operação para mudar de sexo. Agora quer avançar para o divórcio.

O homem, apenas referido por Jan, casou com Mónica em 1993, mas só há poucas semanas descobriu que a sua mulher indonésia tinha originalmente nascido como homem e mais tarde feito uma operação para mudar de sexo. "Senti-me como se tivesse sido assaltado", contou ao jornal belga "Het Nieuwsblad".

"Trouxe-a para a Bélgica e não foi fácil devido às questões legais com a imigração. Os tribunais belgas tiveram grandes dúvidas acerca da autenticidade da sua certidão de nascimento e em relação à sua identificação, mas acabaram por aceitá-los. Eu pensei que ela era uma mulher, muito atraente até, porque não tem qualquer traço masculino que indicasse o contrário", diz Jan, de 64 anos, adiantando que ele e Mónica decidiram não ter filhos porque ele já tinha dois do seu primeiro casamento. Jan afirma que ela o enganou durante todo este tempo, fingindo que estava com a menstruação, como uma mulher normal, e que mesmo durante o ato sexual não notou nada de estranho.

Segundo avança o jornal britânico "The Telegraph", durante vários anos viveram uma vida normal e Mónica, de 48 anos, dava-se muito bem com os seus filhos, até que o casamento começou a ter problemas quando ela arranjou um emprego a tempo inteiro. "Monica mudou muito", diz Jan, adiantando que o seu filho mais velho a via muitas vezes "em clubes noturnos" e que começou a usar roupas mais provocantes. "Quando um amigo meu me disse que Monica era um homem que tinha mudado de sexo não quis acreditar, mas o meu filho também tinha ouvido rumores semelhantes", revela.

Quando Jan decidiu confrontar Mónica com esses rumores, ela confessou que tinha nascido rapaz e que mais tarde se tinha submetido a uma operação para mudar de sexo, mas como agora era uma mulher, não tinha de estar a falar do seu "outro passado".

Com essa confissão, "o meu mundo desabou", lamenta Jan, que passou a ser seguido por um psiquiatra após a descoberta e tenta agora obter o divórcio de Mónica junto dos tribunais belgas.

Fonte: DN.PT

Austeridade ameaça Grã-Bretanha

domingo, 25 de novembro de 2012

Revelação: Kesha diz que já fez sexo com um fantasma

Cantora é fascinada pelo sobrenatural
Cantora afirma que teve medo, mas sublinha que isso ainda a deixou mais excitada.

"Tenho uma música que se chama 'Sobrenatural', que é sobre a minha experiência de ter tido sexo com um fantasma", começou por explicar a artista norte-americana ao site Female First.

Kesha explicou que tudo aconteceu quando vivia numa casa de campo. "Havia uma energia estranha durante a noite que me fazia acordar e as coisas progrediram até haver um encontro sexual. Tive medo, mas isso fez parte da diversão", acrescentou a cantora.

A cantora disse ainda que acredita no mundo sobrenatural e que é fascinada por espíritos e energias ocultas.





Fonte: DN.PT

Gravuras de Ica seriam mensagens dos tempos antes do Dilúvio?

Dinossauro história monumentos históricos encontro arqueologia
Os Maias, sem paciência para continuar a escrever o seu calendário, deixaram os descendentes a tremer de medo à espera do fim do mundo.

Mas houve outros que se deram ao trabalho de fazer milhares de gravuras em pedra com uma mensagem muito mais otimista: o fim do mundo já aconteceu.

Este ano, na península russa da Kamchatka, na costa do Pacífico, foram encontrados uns fósseis estranhos. No início, podiam ser tomados por restos de animais pré-históricos. Mas havia uma coisa que fazia os pesquisadores duvidar: as suas formas eram demasiadamente perfeitas. Os fósseis mais pareciam componentes de um estranho mecanismo, com rodas dentadas de vários tamanhos. Tendo em conta a camada geológica onde foi encontrado, o achado teria cerca de 400 milhões de anos.

O arqueólogo de São Petersburgo, Yuri Golubev, e vários especialistas norte-americanos que investigaram os fósseis concluíram que estes, a julgar por tudo, são peças de uma máquina qualquer.

A ciência oficial ignorou o achado. Já os jornalistas fizeram lembrar outros artefatos que, em dada altura, também suscitaram grande polêmica. Por exemplo, os estranhos objectos esféricos de 2,5-10 cm que, de tempos a tempos, aparecem nas minas perto da cidade de Klerksdorp, na África do Sul.

A idade aproximada das rochas onde estas esferas são encontradas é de cerca de três bilhões de anos.

Não há uma opinião unânime quanto à origem destes objetos. Os defensores da versão da sua origem artificial baseiam-se no fato de as esferas possuírem sinais claros de transformação tecnológica – incisões longitudinais.

Os geólogos afirmam que as esferas são de origem natural e que as incisões encontradas são resultado da ação do ar e da oxidação.

Já um outro achado encontrado por Emma Khanem em 1934, durante uma viagem pelo Texas, é mais difícil explicar por causas naturais.

Ela encontrou um martelo imbutido num bloco de rocha. O cabo, que seria de madeira, estava petrificado. Mas o próprio martelo estava perfeitamente conservado porque era feito de metal de boa qualidade, metal que os humanos só aprenderam a produzir há 10 mil anos. O paradoxo é que o martelo estava dentro numa rocha cuja idade os cientistas avaliam em, pelo menos, 65 milhões de anos. Por outras palavras, o instrumento teria sido feito na época dos dinossauros.

Considera-se que as primeiras pessoas capazes de fabricar um tal artefato só surgiram na Terra dezenas de milhões de anos depois da extinção dos dinossauros. Consequentemente, os homens nunca poderiam ter visto pessoalmente tais animais.

Então, como explicar as gravuras em pedra na província peruana de Ica, as famosas Pedras de Ica?

Nestas gravuras, estão representados dinossauros de várias espécies que os especialistas podem identificar: Triceratops, Stegosaurus, Brontossauros, Tyrannosauros.

É frequente nestas gravuras aparecerem também pessoas que, ou caçam os dinossauros ou se servem deles como transporte. As pessoas são representadas, por exemplo, montadas em Triceratopsou em Pterodactylos voadores.

Nas gravuras de Ica são ainda mostrados mamíferos há muito extintos, característicos só do continente americano, além de cenas de operações cirúrgicas de transplante do coração e até do cérebro e de representações de sistemas solares e aparelhos voadores.

A primeira ideia que nos vem à mente ao ver fotografias destas gravuras é que se trata de uma falsificação, feita especialmente para enganar turistas ingénuos. Mas nem tudo é tão simples.

As primeiras referências a gravuras com animais estranhos surgiram em 1570 num texto do cronista de origem indígena, Juan de Santa Cruz Pachacuti, Relacion de antique dades d´este reyno del Peru(1570).

No início dos anos 1960, as pedras de Ica começaram a ver vendidas a preços baratíssimos no mercado negro de antiguidades no Perú. Elas só passaram a ser conhecidas graças ao professor de Medicina da Universidade de Lima, Javier Cabrera (1924-2001).

Tendo obtido a primeira pedra como presente de aniversário em 1961, ele passou os 40 anos seguintes a juntar e a estudar estas pedras especiais. Ele até fundou um museu, o Museu das Pedras de Ica, cuja coleção inclui atualmente mais de 11000 amostras, com tamanhos que vão desde 30 cm até 1,5 metros, cobertas de gravuras.

Em 1976, Javier Cabrera publicou o livro The Message of the Engraved Stones of Ica. Nesta obra, ele avança a seguinte hipótese: na Terra teria havido há muito tempo uma civilização altamente desenvolvida, que teria gravado em pedra a história do seu desenvolvimento até ter deixado a Terra, na sequência de uma catástrofe global, por exemplo, o Dilúvio.

As pedras foram escolhidas como material porque são capazes de resistir a qualquer cataclismo. Já a simplicidade das gravuras, com cenas de operações cirúrgicas, seria destinada a poder ser facilmente compreendida pela Humanidade após a catástrofe.

Javier Cabrera obteve o título de "filho amado do povo" de Ica, tendo sido condecorado com uma medalha de ouro.

No entanto, muitos consideravam-no louco ou charlatão. As pedras de Ica foram consideradas uma falsificação sem valor. Este veredicto teve por base testemunhos de trabalhadores peruanos, que confessaram ter eles próprios gravado os desenhos nas pedras.

No entanto, na opinião do historiador russo Andrei Jukov, os adversários de Javier Cabrera, que tentaram desacreditar a sua obra, têm eles próprios muitos pontos frágeis que podem ser criticados:

"Em primeiro lugar, o comércio ilegal de antiguidades no Perú é considerado crime. Por isso, as pessoas que forneceram as pedras a Javier Cabreraeram obrigadas a declarar que elas próprias haviam fabricado as pedras para evitar perseguição judicial. Em segundo lugar, as pedras falsificadas são diferentes de pedras verdadeiras pela técnica de gravação. Em terceiro, a pedido Javier Cabrera, as análises feitas pela empresa Mauricio Hochschild & Cia Ltda em várias dezenas de pedras, nomeadamente as que representam dinossauros, confirmaram a sua autenticidade. Resultados idênticos tiveram os testes realizados na Universidade de Bona, na Universidade de Lima e laboratório da Escola Superior de Engenharia de Lima".

O historiador sublinha que uma das provas da autenticidade da coleção de Ica é o fato das figuras representarem alguns dinossauros que só foram encontrados (os seus restos) no princípio dos anos 90, ou seja, muito depois das gravuras estarem na coleção de Javier Cabrera!

Trata-se de desenhos de Diplodocus com espigões ósseos dorsais,semelhantes aos Stegosaurus.

É muito pouco provável que camponeses peruanos semi-analfabetos pudessem ter inventado um tal animal, ou ter gravado cenas de transplantes de coração e cérebro, que nos espantam pelo rigor dos pormenores.

É duvidoso ainda que, em tais hipotéticas "oficinas de gravação" trabalhassem químicos capazes de envelhecer tão bem as pedras que permitisse enganar os melhores peritos.

Resta dizer que existem milhares de pedras com gravuras e que teria sido impossível esconder tais laboratórios.

Por isso, a coleção de Javier Cabrerapode pode muito bem ser verdadeira. Mas, se concordarmos com isso, teremos que pôr em causa os atuais conhecimentos sobre a história da Terra. A verdade é que não são poucos os fatos que comprovam essas dúvidas.

Fonte: Voz da Rússia