terça-feira, 31 de maio de 2011

Violação sexual em Bangladesh: Perdeu o pénis numa tentativa de violação sexual

Uma mulher cortou o pénis de um homem quando este a tentou violar, levando depois o órgão amputado à polícia para o utilizar como prova do ataque.

De acordo com o Jornal Daily Mail, Monju Begum, de 40 anos, atacou o vizinho quando entrou na sua casa e começou a tentar viola-lá. O chefe da polícia, Abul Khaer, afirmou que a mulher levou o pénis num saco plástico à esquadra de policia de Jhalakath como prova da tentativa de violação de que alegadamente foi alvo.

O alegado agressor, Mozammel Haq Mazi, encontra-se num hospital do Bangladesh, recusa a alegação de uma tentativa de violação sexual, afirmando que tinha uma relação com Monju. Uma equipa de cirurgiões tentaram reimplantar o pénis, sem sucesso, dado que já tinham passado várias horas quando foi levado para o hospital.

Fonte: Correio da Manhã

É oficial: Telemóveis podem provocar cancro

A Organização Mundial da Saúde adicionou esta terça-feira o telemóvel à sua lista de cancerígenos, a par do chumbo e do clorofórmio, devido às radiações emitidas pelos aparelhos telefónicos móveis.

A decisão reverte todas as posições tomadas pela OMS até ao momento, que afirmava não haver qualquer relação directa entre o uso do telemóvel e o desenvolvimento de doença oncológica. Agora, e apesar de não ter surgido nenhum dado que estabeleça uma ligação explícita entre o uso daquela tecnologia e supostos efeitos nocivos para a saúde, a OMS adopta um princípio de cautela há muito defendido por alguns especialistas internacionais. Ou seja, o risco não é certo, mas é possível.

A OMS age após recomendação de um grupo de 31 cientistas de 14 países. Em 2008, o SOL falou com a cientista israelita Siegal Sadetzki, que alertara para o risco de desenvolvimento de tumores nas glândulas salivares após o uso intenso e prolongado do telemóvel. Sadetzki tinha identificado uma incidência superior deste tipo de cancro entre utilizadores intensivos de aparelhos móveis, com a doença a desenvolver-se no lado da cabeça onde os pacientes habitualmente encostavam o telemóvel.

A radiação emitida pelos telemóveis é comparada pelo neurologista-chefe do hospital californiano Cedars-Sinai, Keith Black, à de um microondas de baixa potência. Segundo os especialistas, há dois momentos em que o risco pode ser maior: quando se atende uma chamada (momento em que a radiação é momentaneamente mais forte) e quando o sinal é fraco (o que leva o aparelho a realizar um esforço maior para estabelecer ligação com a antena de telecomunicações mais próxima). Já em relação ao uso de auriculares e do bluetooth, não existe ainda acordo sobre se estes acessórios diminuem ou aumentam potenciais riscos de saúde.

Em anos recentes, aumentaram as vozes a apelar a uma maior cautela por parte dos utilizadores de telemóveis, recomendando que não se encoste totalmente o aparelho ao ouvido e que não se use o telefone móvel durante demasiado tempo. É especialmente desaconselhada a utilização intensa do telemóvel por parte de crianças. A Agência Europeia do Ambiente e várias universidades norte-americanas estão entre as organizações que há vários anos recomendam um uso limitado desta tecnologia.

Fonte: SOL

Crime das "barrigas de aluguer" aumenta com a crise, mulheres alugam o útero em Portugal

Há mulheres que são “barrigas de aluguer” em Portugal, apesar de ser um crime que dá prisão.

Cobram até 100 mil euros para conseguir uma casa ou apenas para tirar “o pé da lama”. E tentam não pensar na criança. 

Conheça as razões de algumas mulheres, bem como a opinião de um juíz e de uma psicóloga sobre este assunto.

O aluguer do útero é desde 2006 “punido com pena de prisão até dois anos ou pena de multa até 240 dias”, segundo a lei da Procriação Medicamente Assistida. 

A proibição não impede que mulheres em Portugal aluguem o útero por montantes que vão até aos 100 mil euros, segundo testemunharam à agência Lusa “barrigas de aluguer”.

Amélia (nome fictício) tem 24 anos e foi a “situação financeira” que a levou a fazê-lo. O emprego “mal dava para pagar as contas” e perseguia o sonho de ter casa própria. 

Viu no aluguer do útero uma “forma rápida de ganhar um bom dinheiro” e vai no segundo contrato que em breve deverá resultar em mais uma gravidez.

Quem a procura, nomeadamente pela internet, são “casais impossibilitados de ter filhos, mulheres com medo de modificar o corpo, casais homossexuais, homens que não querem responsabilidades com a mãe dos filhos ou pessoas sozinhas que precisam de companhia”.

Era português o casal a quem entregou a primeira criança. Sem especificar quanto recebeu, diz que normalmente os preços vão de 30 a 100 mil euros, “para casais com uma vida financeira resolvida”.

O resto pouco interessa. “Não me interessa saber quem é, até porque não os vou ver mais na vida. Desde que respeitem as cláusulas do contrato e não maltratem a criança, não queremos saber nada da sua vida. Quanto mais soubermos, pior”. 

A inseminação que conduziu à gravidez foi feita numa clínica em Portugal, o que a lei proíbe: “O dinheiro compra essas coisas”, afirma. 

O casal acompanhou a gestação. “Sentem-se realizados”, diz Amélia, que reconhece que, para este “trabalho”, é preciso preparação mental. “É normal trabalharmos a nossa cabeça, sempre em negação de ter uma criança”.

Nem todas o conseguem. Alice (nome fictício), 22 anos, decidiu ser “barriga de aluguer” porque, por um problema de saúde, precisou de dinheiro. 

Um amigo disse-lhe que um casal homossexual num país europeu procurava uma “barriga de aluguer”. Aceitou “sem pensar” e hoje garante que não foi por ganância, mas por “necessidade”.

Do casal que a procurou sabe pouco. “Não quis saber muito sobre as pessoas, pois quanto menos me envolvesse, melhor”, contou.

A oferta que aceitou foi 30.000 euros, dos quais Alice recebeu 15.000 para iniciar o processo. Mas, à medida que o tempo passava, começou “a pensar que estava a fazer um negócio, a tratar um ser humano como um objeto de troca”. 

Mesmo assim, avançou. Fez os procedimentos de preparação para uma inseminação artificial “sem tocar num cêntimo”. 

A técnica foi feita numa clínica em Lisboa, na qual Alice nem precisou de falar, pois era um estabelecimento “de confiança da pessoa que queria a criança”. 

Na hora de fazer a inseminação, desistiu. “Por muitas que fossem as necessidades, o meu coração de mãe falou mais alto. Devolvi o dinheiro e o assunto ficou por aí”, disse.

“Conheço pessoas que foram até ao fim e arrependeram-se. Por mais que finjam que está tudo bem, e tenham tentado não se apegar à criança, chega a hora em que aparece o sentimento de culpa de ter dado um filho por dinheiro”, assegura. 

Segundo Alice, “a crise já duplicou a disposição de mulheres para este negócio e, quem o procura, aproveita pois sai mais barato e escusam de ir à Índia, onde é legal”.

Alice ainda hoje recebe propostas. De casais desesperados por um filho que oferecem o que têm e não têm. Alguns não conseguem chegar ao valor pedido e oferecem carros.

São propostas como estas que Joana (nome fictício), 26 anos, está a analisar há três meses.

Espera apenas acabar os estudos antes de a barriga começar a ver-se e está a tentar organizar-se para não precisar de estar contactável após o parto e não ter de dar satisfações sobre o destino da criança. Para isso, conta passar algum tempo noutro país, se o casal concordar. 

Joana já recebeu várias propostas. Não equaciona fazê-lo por menos de 40 mil euros e até recebeu ofertas superiores, mas só avança quando se sentir segura: “É um grande passo, mas tento pensar que estou a ajudar um casal, que a criança vai ficar bem e ser muito amada e que eu vou finalmente poder tirar 'o pé da lama'”. 

Contratos são "crime", diz juiz

O presidente do Conselho Nacional de Procriação Medicamente Assistida (CNPMA) desconhece a existência de “barrigas de aluguer” em Portugal e esclarece que os contratos são “crime” se envolverem dinheiro, caso contrário são nulos.

“É a primeira vez que eu próprio estou a tomar conhecimento de tais factos. Sinceramente, julgava que os casais portugueses estavam a usar apenas outros países para concretizar a sua vontade de ter filhos nessas circunstâncias”, disse Eurico Reis à Lusa, a propósito da notícia de que há mulheres a alugar o útero em Portugal. 

O juiz desembargador recorda a lei de Procriação Medicamente Assistida (PMA), em vigor desde 2006, que pune “quem concretizar contratos de maternidade de substituição a título oneroso, mas também quem promover, por qualquer meio, designadamente através de convite direto ou por interposta pessoa, ou de anúncio público, a maternidade de substituição a título oneroso”.

Isto significa que “todos os envolvidos na celebração desse tipo de contratos, promotores, angariadores, subscritores do acordo e intervenientes no processo conducente à gestação do feto, são para o legislador criminosos”, disse. 

Falando em nome pessoal - o CNPMA ainda não se pronunciou sobre a matéria, por desconhecer a sua existência - Eurico Reis ressalvou que, “se o contrato não for oneroso, isto é, se não envolver o pagamento de um preço aos tais promotores, angariadores, outros intervenientes e à mulher que aceita ser a portadora do embrião e do subsequente feto, então, apesar de o contrato ser nulo, tal atividade não constitui um crime”. 

Convidado a comentar a existência deste tipo de comércio em Portugal, o juiz desembargador referiu que “o desejo de ter filhos pode ser mesmo muito forte e, ao fim e ao cabo, é, inegavelmente, um sentimento natural”. 

Por outro lado, acrescentou, “a circunstância de esta prática ser legal em muitos outros países que não podem ser considerados estranhos à nossa conceção de civilização faz desaparecer nas consciências a ideia que esta proibição é ou pode ser justificável”. 

Segundo Eurico Reis, “para muitas pessoas essa proibição é, não apenas injustificável, como constitui, ao mesmo tempo, uma ilegítima intromissão de um conjunto de outros cidadãos na vida privada daqueles que pretendem acabar com essa barreira, ou pior ainda uma forma ilegítima de conformação do pensamento e do modo de vida e dos comportamentos destes últimos". 

Para estes, esta intromissão "torna-se intolerável por ser feita com a utilização dos mecanismos repressivos do Estado que têm de estar ao serviço de toda a comunidade e não apenas de alguns”, disse o juiz desembargador. 

“Talvez seja tempo de a comunidade discutir seriamente estas questões para que se saiba exatamente para que lado pende a maioria. É bom que o faça sem demagogias e afastando vigorosamente os preconceitos. E também os panfletários”, concluiu. 

Alugar o útero como pode conduzir a culpa e vergonha, diz psicóloga

Uma mulher que, numa situação de “extrema pobreza”, opte por ser “barriga de aluguer” poderá sofrer problemas associados à culpa e à vergonha “imensuráveis” e entrar em “processo de depressão profunda”, refere Joana Leonardo, psicóloga no Instituto Superior de Psicologia Aplicada (ISPA), em Lisboa, autora de um estudo inédito sobre as representações dos técnicos de saúde de uma maternidade face à substituição gestacional e às hospedeiras gestacionais (“barrigas de aluguer”). A investigadora disse que “a maioria das hospedeiras gestacionais apenas dá à luz crianças que não identifica como filhos seus, identificando-se apenas como veículo para outrem”. 

Por outro lado, disse, “sendo encarado como um filho, a maioria desiste do processo de substituição gestacional, mesmo que as dificuldades económicas sejam evidentes, arranjando formas alternativas de rendimento para sobreviver: prostituição, ajuda de familiares e amigos, furtos, procura de outra inserção profissional, etc.”.

Mas, embora “num cenário de prevalência pouco frequente, e numa situação extrema de pobreza em que uma mulher se veja obrigada a vender um filho para conseguir subsistir, os problemas associados à culpa e à vergonha serão certamente imensuráveis, podendo a mulher entrar em processo de depressão profunda, o que poderá ter consequências nefastas”, alertou a psicóloga.

Joana Leonardo salientou que “uma mulher, ao tornar-se hospedeira gestacional (“barriga de aluguer”), toma esta decisão de forma consciente e consentida, assim como acontece em mulheres que decidem dar uma criança para adoção”. 

“Maioritariamente, existe já uma relação afetiva com o casal anterior à própria gestação, existindo por parte da hospedeira um sentimento de gratificação e enaltecimento pessoal”. 

Fonte: Lusa/ SAPO

Bizarro: Porca dá à luz um leitão-elefante na China


Numa quinta em Kangbao, na China, uma porca tornou-se sensação entre os moradores locais depois de ter dado à luz um leitão parecido com um elefante.

De acordo como chinês Liu Jinjiang, dono do animal, a porca está com ele há pouco mais de sete anos e sempre deu à luz crias normais.

A 6 de Maio, no entanto, deu à luz a criatura (na foto), que tem cerca de 40 centímetros, grandes orelhas, nariz de cinco centímetros e presas pequenas. Segundo Liu, o filhote morreu 10 minutos após o nascimento.

«Achei que, pelo tamanho da barriga, ela estava prenha de mais de um leitão. Mas para minha surpresa, era um porco-elefante», conta.

Moradores têm se mostrado assustados com o acontecimento. Os zoólogos, por sua vez, pretendem examinar o cadáver para ter alguma ideia do que realmente ele é.

Fonte: Renascença

Alemanha: Pepinos espanhóis não são origem do surto que já provocou 16 mortos

Desde que foi detectado o primeiro caso na semana passada, pelo menos 16 pessoas morreram.
Uma responsável pela Saúde Pública em Hamburgo informou hoje que os pepinos espanhóis não são a fonte do surto de uma variante da bactéria E.coli.

Na Suécia foi registada hoje a primeira morte causada pela bactéria fora da Alemanha.

De acordo com segundas análises realizadas em laboratório, explicou Cornelia Prufer-Storksa, citada pelo jornal Hamburger Abendblatt, a variante da bactéria descoberta nos pepinos espanhóis não coincide com a encontrada nas fezes dos pacientes.

Prüfer-Storks, senadora do governo regional de Hamburgo com o pelouro da Saúde Pública, indicou que as investigações comprovaram que a variante O104 da E.coli, isolada nas fezes dos pacientes examinados, especialmente agressiva e resistente a antibióticos, não coincide com a variante detectada nas hortaliças espanholas do mercado central de Hamburgo.

"Como antes, a fonte (do surto infeccioso) ainda não foi identificada", adiantou a senadora.

Independentemente do resultado de duas análises ainda por efetuar, de um conjunto de quatro análises, "era importante publicar estes resultados, porque a infeção pode ter sido provocada por sujidade", disse a mesma responsável.

Além de estarem a procurar identificar a fonte do foco infeccioso, as autoridades sanitárias alemãs tentam também saber qual foi o motivo para a contaminação dos pepinos, explicou Prufer-Storcks.

Até ao momento, o Instituto de Higiene de Hamburgo mantém os testes a tomates, pepinos e alfaces em mercados, lojas de alimentação e restaurantes de Hamburgo, para procurar a fonte da infeção.

A declaração da senadora vai ao encontro das explicações dadas pelos hortofruticultores espanhóis de Almeria e Málaga, que têm sustentado que os pepinos não saíram contaminados da sua exploração, e só podem ter sido contaminados ou no transporte, ou no armazenamento.

As autoridades espanholas já ameaçaram processar judicialmente a Alemanha e pedir uma indemnização pelos danos causados aos seus hortofruticultores, que viram praticamente paralizadas as suas exportações para a Alemanha, país que absorve normalmente dois terços do total da produção espanhola deste tipo de verduras.

Desde que foi detectado o primeiro caso na semana passada, pelo menos 16 pessoas morreram, na maioria mulheres de idade avançada, com E.coli Hemorrágica e outras 1.400 foram contaminadas, incluindo 570 residentes em Hamburgo.

Fonte: Económico

Mulher alega ter filmado ‘Big Foot’

O mito continua: uma norte-americana alega ter captado com a sua câmara o famoso ‘Big Foot’. Para justificar a sua crença, a mulher partilhou no You Tube um vídeo onde é visível uma criatura peluda a andar pela floresta de Downriver Park, em Spokane, no estado de Washington.

Segundo a versão britânica do jornal ‘Metro’, a norte-americana diz que, ao ver as imagens, “tudo lhe parece demasiado real”.

No entanto, nestas coisas, há também quem defenda que se trata de uma fraude. O referido vídeo tornou-se, entretanto, um fenómeno de popularidade no You Tube e nas redes sociais.



Fonte: Correio da Manhã

Portalegre: Destruíram parede de banco para roubar 80 mil euros, já são 22 assaltos sem serem apanhados

Depois de 21 assaltos em que os alvos foram caixas multibanco, rebentando a parede em volta com máquinas retroescavadoras roubadas, entre o Alentejo e o Algarve, ontem de madrugada o plano era mais arrojado. E apetecível, os 80 mil euros na caixa-forte do Millennium BCP em Portalegre. Conseguiram, mas não contavam com o mau tempo e atolaram o carro da fuga, quando levavam o cofre do banco. O gang falhou o 22º roubo milionário – mas, mais uma vez, escapou para Espanha sem ser incomodado pela polícia.

O crime ocorreu pela 01h00 e estava a correr bem até à fuga, depois de rebentada a parede do banco com a retroescavadora e roubado o cofre-forte. Fugiram, mas um carro ficou atolado na lama, ao fim de dois quilómetros, e, pressentindo a proximidade da PSP, não hesitaram em abandonar tudo. Fugiram a pé e foram roubar um outro carro para a fuga.

"Eles ainda tentaram arrombar o cofre com a máquina mas já não tiveram tempo", disse ao CM fonte da PSP, que entretanto tinha recebido um alerta da central de alarmes.

O gang, que começou a atacar a 14 de Janeiro de 2010 (ver cronologia dos assaltos) e desde então é investigado pela PJ de Faro, sem sucesso, voltou a pé de uma zona descampada até Portalegre onde, no bairro dos Assentos, ao pé do banco que tinham assaltado, roubaram em segundos um carro para a fuga. Depois, "terão escapado pela EN246 que liga Portalegre a Elvas", acrescenta a mesma fonte.

Nesta última cidade, o grupo abandonou o veículo e dirigiu-se a um stand, onde furtou mais dois carros, um Citröen C3 e um C4. Por último, seguiram para Espanha – país de onde partem para cada assalto. Serão do leste europeu ou até espanhóis, mas a PJ ainda não os terá identificado.

Ontem, no banco, "ficou tudo partido. Devem ter escolhido o cofre porque estas paredes têm um aspecto frágil", disse um cliente.

NOVE ATM ATACADOS À BOMBA

Em três semanas, um outro gang atacou à bomba nove caixas ATM. O último caso conhecido ocorreu na última quarta-feira, no Hotel Isidro, em Setúbal, depois de terem falhado o assalto a uma outra máquina multibanco em Aveiro. Esta é, aliás, uma das marcas do grupo – atacar de norte a sul do País.

O primeiro ataque ocorreu a 4 de Maio, em Vila Franca de Xira, seguido de Alcobaça, a 10 e 12, Nazaré (a 14), Torres Vedras (19), Setúbal e Póvoa de Varzim (20), Amarante (24) e novamente em Setúbal, a 25. O grupo usa gás acetileno para fazer explodir máquinas e levar milhares de euros em dinheiro.

Fonte: Correio da Manhã

Educação: Medida do Ministério penaliza professores, hora extra paga a 30 cêntimos

A redução do montante a pagar aos professores por horas extraordinárias, introduzida no início do ano pelo Ministério da Educação, tem provocado situações caricatas, com docentes a receberem quantias irrisórias pelo trabalho extra.

O CM teve acesso ao recibo de ordenado de uma docente da área de Lisboa a quem foram creditadas duas horas extraordinárias, pelas quais auferiu de remuneração 44,60 euros. Sobre esse valor foram descontados 44 euros de IRS. "É ridículo, mas estamos a cumprir a lei", disse ao CM fonte da direcção da escola em causa.

Mário Nogueira, secretário-geral da Fenprof, afirma que situações destas se têm multiplicado e lembra que ainda está em vigor o pré-aviso de greve às horas extraordinárias. "A alteração da forma de cálculo representou uma redução de 30 por cento na remuneração de horas extra e a tutela junta o salário às horas , com o IRS a incidir sobre o total. Como essa professora deve estar na fronteira de um escalão de IRS, ao juntar o montante recebido em horas extraordinárias passou para o escalão seguinte e descontou mais", explica o dirigente sindical. Mário Nogueira já teve conhecimento de situações em que professores "chegam a ganhar menos por fazerem horas extra". Recorde-se que a Fenprof já expôs a situação junto da ministra da Educação, Provedoria de Justiça e Assembleia da República.

Fonte: Correio da Mahã

segunda-feira, 30 de maio de 2011

H1N1: Mortes por vacinas acobertadas mundialmente

Alimentos: O Último Segredo Exposto



Nasa decifra o sinal de socorro de um planeta fora do nosso Sistema Solar

Nasa decifra o sinal de socorro de um planeta fora do nosso Sentenced galáxia

Artigo encontrado no lote 7 arquivos ufológicos liberados recentemente pelo Ministério da Defesa, publicado nos Arquivos Nacionais.
Curiosamente, um dos arquivos com um artigo publicado no Weekly World News (15 de setembro de 1998 Vol. 19 N º 51) com a história da Nasa sobre como detectar e decodificar um sinal de perigo com base em matemática de um planeta condenado fora de nossa galáxia.

O sinal foi detectado em janeiro de 1998, entretanto muitos meses são necessários para decifrar a mensagem.

Para sua comodidade, este artigo foi transcrito:

especialistas da Nasa afirmam ter interceptado uma chamada de socorro intergaláctica de uma civilização alienígena que atingiu um valor máximo e já estava perto da morte quando os tigres dente de sabre ainda percorriam a terra!

O SOS de 80.000 anos, foi recebido e registrado no final de janeiro (1998).

Mas só nas últimas semanas, os astrônomos e especialistas em linguagem de rádio ter encontrado a chave para a linguagem complexa com base na matemática que lhes permitiram traduzir o apelo frenético de socorro.

A mídia mundial tem sido estranhamente silenciosa sobre a surpreendente mensagem, apesar de longos relatórios científicos estão agendadas para a publicação de duas revistas, rádio astronomia e do universo.

Segundo uma fonte sênior da NASA em Houston, o cientista espacial russo Victor Yulakow que lidera uma equipe de investigação da ONU de um observatório operado pelo Estado 50 milhas a noroeste de Moscou.

Dr. Kulakov disse que o sinal que emana de um ponto para além da galáxia mais próxima à nossa - Andromeda - e foi enviado pelos seres que tinha sido, aparentemente, uma civilização mais avançada que a nossa aqui na Terra.

"O simples fato de receber e decodificar a mensagem é a prova além de qualquer dúvida que os seus conhecimentos e tecnologia, talvez tenha sido a nosso alcance." Dr. Kulakov disse.

"E enquanto nós temos anos de estudo pela frente, posso dizer com certeza que a morte de sua civilização não era o resultado de uma catástrofe cósmica. Foi o resultado da civilização, girando sobre si mesmo, possivelmente com armas nucleares devastadoras."

Dr. Kulakov recusou a fornecer qualquer uma das revistas com uma transcrição da mensagem, mas dizia-se que começou com a confissão de culpa, "Help", e passou a dar detalhes da localização da posição exata planeta condenado.

Houve um relato muito lúcido da devastação apocalíptica, explosões infernal, mortes e doenças ", disse ele.

"Um meteoro chuveiro? Talvez. Mas o que me impressiona, e este é apenas um sentimento, uma confissão de culpa para trás. É como se os remetentes das mensagens são reconhecidos culpados do que aconteceu."

Seja como for, o fato é que, aparentemente, não tinha meios para evacuar a restante população. Interplanetário viajar para o espaço estava disponível para eles, mas apenas um nível muito limitado. A mensagem é muito claro que eles estavam presos em seu mundo, "disse o Dr. Kulakov.


Acampamento do Rossio ignorado pela imprensa !

http://www.jornaldenegocios.pt/images/2011_05/portas_del_sol_madrid_espanha_manif.jpg

Estão acampados no Rossio há mais de uma semana, mas têm passado ao lado das televisões. Novos e velhos estão juntos e debatem o futuro do País.

Deus quer, o homem sonha, a obra nasce. Deixando a dimensão teológica de fora, tudo o resto do verso de Fernando Pessoa se aplica na perfeição ao movimento que se instalou na praça do Rossio desde o passado dia 19.

Indignados, descontentes e inspirados pelo que aconteceu na Porta do Sol em Madrid, vários portugueses juntaram-se, primeiro, na embaixada de Espanha, e depois no Rossio, onde estão concentrados há oito dias seguidos. Há música, ioga, debates… É a busca pela democracia verdadeira, que nem a chuva demove. Nem a ausência de mediatismo.

Fonte: Prova Final

Incrível Máquina de Fazer Chuva! Será que a Nasa causou a inundacao do Mississippi?



Água? Bebe-a tu!!!

Era só um....mas comeram todos!!!

Desfile de Loiras em Latvia...

EMEL: Tarifas de Estacionamento vão custar o dobro a partir de Julho em Lisboa

As novas tarifas de estacionamento em Lisboa da Empresa Pública Municipal de Mobilidade e Estacionamento (EMEL) vão ser aplicadas no início de julho, disse hoje fonte da empresa. A mesma fonte não precisou, no entanto, em que dia os novos preços vão entrar em vigor.

A Assembleia Municipal de Lisboa aprovou no dia 19, com votos contra do PSD, CDS e PPM e a abstenção do MPT, o novo regulamento de estacionamento da capital, que extingue a tarifa única e aumenta os preços em "três por cento” dos lugares.

O novo regulamento EMEL cria duas coroas de estacionamento na cidade, a exterior e a interior.

Dentro da zona interior, no centro da cidade, existem ainda "eixos vermelhos", isto é, ruas de grande procura de estacionamento, mas onde há metropolitano, corredores de autocarros ou parques subterrâneos a 100 ou 200 metros.

Entre os "eixos vermelhos" encontram-se o Chiado, a Rua da Escola Politécnica, as laterais da Avenida da Liberdade, a Avenida da República (entre o Saldanha e o Campo Pequeno), a Avenida 5 de Outubro, a Rua Guerra Junqueiro e a zona da Estefânia.

Segundo o vereador da Mobilidade, Nunes da Silva, a zona interior faz uma coroa entre a Avenida Almirante Reis e a Rua de São Bento, apanhando ainda a Avenida de Berna, a Avenida João XXI e o Areeiro, por exemplo. Toda a área que lhe é circundante constitui a coroa exterior.

É nestas zonas que os preços aumentam: com a aplicação do novo regulamento, uma hora de estacionamento nestas ruas vai passar a custar o dobro, ou seja, 1,60 euros. A segunda hora deixa de custar 1,80 euros e passa a custar 3,20, indicou Nunes da Silva. Aqui, o estacionamento passa a ser permitido apenas por duas horas.

Na zona exterior apenas a primeira hora tem o mesmo valor: 0,80 euros. Na segunda, terceira e quartas horas a tarifa tem uma redução de 0,20, um e 2,05 euros, respetivamente.

MCL (SYP).

Fonte: Lusa/SAPO

Espanha: Telefónica anuncia novos cortes "8500 despedimentos"

IMTT: Estado emitiu mais de 3 mil cartas de condução falsas

Existem milhares de cartas de condução falsificadas a serem utilizadas em todo o país.

Pelo menos 3700 formulários foram produzidos com irregularidades em delegações regionais do Instituto de Mobilidade e Transportes Terrestres (IMTT), permitindo a emissão de cartas de condução falsas, avança hoje o Diário de Noitícias.

Os casos foram denunciados há três anos ao IMTT - entidade que herdou a competência de emitir cartas de condução da extinta Direcção-Geral de Viação (DGV).

Ao que o DN apurou, a única medida tomada pelo IMTT na sequência das denúncias foi rescindir litigiosamente o contrato que tinha com a empresa responsável pelo processamento das cartas, pela sua digitalização e pela segurança. O processo está em tribunal e inclui uma acusação de "espionagem industrial".

As recentes detenções pela Polícia Judiciária (PJ) de quatro funcionários da delegação regional de Lisboa do IMTT são apenas a ponta do icebergue. O DN teve acesso a uma extensa e exaustiva documentação que mostra que todas as delegações regionais aprovaram formulários com irregularidades para produzir cartas falsificadas.

É impossível nesta altura ter um número preciso das cartas de condução falsificadas que estão em circulação. Para tentar detectar o máximo de casos possível, a GNR já deu ordens aos seus militares para que verifiquem todos os pormenores das cartas de condução e que confirmem se esses dados são os mesmos que constam nos documentos de identificação

Fonte: Económico

Como criar os "Meus Mapas" no Google Maps

Vila Nova de Gaia: “Salva-te filho, eu já não aguento mais”

Virgílio Assunção morreu afogado depois de ter salvo o filho Márcio, de 12 anos.

O pequeno Márcio, de 12 anos, gritava por socorro no mar. E estava prestes a afogar-se, ontem de manhã, numa praia não vigiada em Miramar, Gaia. Ao ver o filho aflito, Virgílio Assunção, de 50 anos, não hesitou, conseguiu nadar até ao menino e tentou a todo o custo voltar para terra. A corrente da água era, no entanto, muito forte - e Virgílio já só teve tempo de conseguir ajudar o filho a subir para uma rocha. O adulto acabou arrastado e morreu minutos depois.

"Salva-te filho, que eu já não aguento mais. Vou ficar aqui", ainda disse Virgílio à criança antes de morrer. O pequeno Márcio ainda se colocou de pé na rocha, a gritar por socorro, mas quando olhou de novo para o pai já aquele boiava na água sem vida. O irmão mais novo do menino, com 10 anos, e a mãe assistiram a tudo e ficaram em estado de choque. Os Bombeiros Voluntários da Aguda foram de imediato chamados ao local e durante 35 minutos tentaram reanimar Virgílio, mas já não havia nada a fazer.

O afogamento ocorreu por volta das 11h40, altura em que Virgílio, a mulher e os dois filhos mais novos estavam na praia. "A mãe e o menino mais novo ficaram na areia e o pai e o Márcio foram até à água porque estavam com muito calor", explicou ao CM Miguel Castro, amigo da família.

O menor acabou, no entanto, por se afastar do pai e a certa altura foi puxado pela corrente. "Ele ouviu o meu irmão gritar e nadou logo até à beira dele, mas não conseguiu voltar. Ele morreu para salvar o filho, foi um herói", disse ontem ao CM, lavado em lágrimas, Bruno, de 23 anos, o filho mais velho de Virgílio, que estava a trabalhar na altura da tragédia.

Márcio ainda foi transportado para o hospital, mas teve alta horas depois. A mãe do menino ficou muito transtornada com a morte do marido e teve também que receber tratamento hospitalar. "Os três filhos estão destroçados, eram muito unidos e o pai era o ídolo deles", disse Jorge Silva, amigo da família.

Fonte: Correio da Manhã

Inquérito comprova: Mulheres avaliam-se pelo peso

Um inquérito realizado no Reino Unido comprovou aquilo em que muitos homens já tinham reparado e algumas mulheres suspeitavam: quando conhecem outra mulher, a primeira coisa em que elas reparam é... no peso da outra! Mais de metade das inquiridas admitiu que a primeira coisa que faz é avaliar se a outra é mais gorda ou mais magra que ela. Só depois olham para a maquilhagem e para a roupa...

Fonte: Correio da Manhã

Homem mantinha mulher e filhos cativos no Brasil, oito anos sem sair à rua

Um homem foi preso numa zona rural do Estado de São Paulo, Brasil, por manter a mulher e os quatro filhos presos em casa há mais de oito anos. As crianças, entre os dois meses e os oito anos, nunca tinham saído à rua.

Alertada por uma denúncia anónima, a polícia da cidade de Pereira Barreto, a 621 km de São Paulo, encontrou a mulher, de 33 anos, e os quatro filhos todos muito sujos, desnutridos e com marcas de agressões. A mulher contou que o marido a trancou em casa quando ela tinha 25 anos e ficou grávida do primeiro filho, e que a espancava quase diariamente.

Fonte: Correio da Manhã

Sintra: Miúda de 14 anos leva 17 facadas

Rapariga ficou desfigurada após discussão com amiga por causa de um telemóvel.

Quem viu os dois jovens esfaqueados, depois de atacados por uma rapariga de 17 anos, com um x-acto, só lhes via uma cor: a do sangue. "Mal dava para ver a cara da rapariga, e o rapaz jorrava sangue do braço. Foi horrível", conta ao CM uma testemunha do crime brutal, anteontem à noite, em Mem Martins, Sintra.

Uma menor de 14 anos, ao que tudo indica na sequência de uma discussão por causa de um telemóvel, foi esfaqueada 17 vezes pela amiga, tendo ficado desfigurada. Um jovem de 21, que tentou parar o ataque, também foi esfaqueado. A agressora já foi detida pela Secção de Homicídios da Judiciária e vai amanhã a tribunal.

O ataque teve lugar num jardim em frente a um prédio da rua José Afonso - Poeta da Liberdade. Um grupo de seis amigos reuniu-se em casa de um deles e duas das raparigas começaram a discutir, situação que se prolongou na rua. Foi então que uma delas, de 17 anos, atacou brutalmente a de 14. Esta tinha ferimentos na cara, cabeça, peito e braços. Um rapaz de 21 também foi esfaqueado. Os jovens refugiaram-se junto a um café, onde receberam assistência. A agressora fugiu mas foi detida.

"SÓ OUVIA A MIÚDA A GRITAR PELO TELEMÓVEL"

Maria Manuela Santos, 62 anos, moradora do prédio onde a discussão teve início, relatou ao CM como tudo começou. "Ouvia-se muito barulho e gritos e pensei mesmo que ainda iam atirar alguma das raparigas pela janela. Só ouvia uma miúda a gritar pelo telemóvel e outra a dizer para a deixarem ir", contou a moradora do 5º piso. "Eles depois saíram todos de casa e, quando fui à janela, só já ouvi uns a perseguirem outros. E parece que uma delas foi esfaqueada, bem como um rapaz. Não posso continuar a viver assim, na entrada do prédio era só sangue".

Fonte: Correio da Manhã

Lisboa: Terror em comboio no Rossio

Trinta jovens, de bairros problemáticos da Linha de Sintra, invadiram de repente o comboio no Rossio, Lisboa, em direcção a Sintra, pelas 23h00 de anteontem.

Sem bilhete e a maior parte de capuz na cabeça, espalharam o terror entre dezenas de pessoas, que foram obrigadas a correr nas carruagens. O comboio acabou por parar em Benfica – e, na estação, à espera do gang, já estavam vários agentes da PSP, que conseguiram capturar catorze elementos. Foram levados para a esquadra e acabaram colocados em liberdade. Foram apenas identificados.

Ao que o CM apurou, junto de fonte policial, alguns passageiros foram ameaçados de morte e outros de que iriam ser roubados. O pânico foi geral e obrigou os revisores a alertar a PSP sobre a situação.

Na estação de Benfica estava já montada uma operação policial para abordar o grupo de jovens. "A comunicação que a PSP recebeu foi de que havia distúrbios no interior do comboio e que os passageiros estavam desesperados e a querer abandonar as carruagens. Até agora não há registo de que alguém tenha sido efectivamente roubado", disse ao CM fonte oficial da PSP.

A par dos passageiros do comboio também os revisores das carruagens se tornaram alvo das ameaças do gang – que não tinha bilhetes válidos para exibir. Luís Bravo, presidente do Sindicato Ferroviário da Revisão Comercial Itinerante (SFRCI), teme que este ano se repita a violência de 2010 no que toca a roubos e agressões a passageiros e revisores.

"No ano passado foi uma autêntica razia. Todos os dias dos meses de Verão passado tivemos situações de violência no interior dos comboios. Tivemos várias reuniões com o Ministério da Administração Interna a reivindicar um reforço policial. O máximo que conseguimos foi mesmo a presença do Corpo de Intervenção da PSP aos fins-de-semana nas praias e nas estações de comboios. Mas isto não pára e queríamos que os gratificados da PSP fossem também distribuídos nos comboios", disse ontem ao CM o sindicalista.

Fonte: Correio da Manhã

Santa Maria da Feira: Vítima teve de ser hospitalizada, leva marretada por 20 euros

Dois jovens, armados com uma marreta, agrediram o funcionário de uma gasolineira, em Lourosa, Santa Maria da Feira, para roubar 20 euros em moedas. O presidente da junta de freguesia ainda lhes moveu uma perseguição automóvel, mas os assaltantes desapareceram no trânsito.

O assalto aconteceu pelas 22h45 de sábado, quando uma carrinha Toyota, branca, parou nas bombas e o passageiro saiu a dizer que era um assalto. Manuel Pereira Gomes, de 64 anos, pensou que era uma brincadeira. "Só quando o atingiu com a marreta, na mão e na cabeça, é que percebeu que era a sério", contou ao CM Manuel Silva, proprietário das bombas de gasolina Garagem Silva, na EN1, no lugar da Vergada.

"Eu não tenho dinheiro", afirmou Manuel Gomes. Os ladrões, muito jovens, pegaram nas moedas que estavam em cima de uma mesa e fugiram. "Ouvi os gritos, atravessei a rua, mas já estavam a entrar para o carro e só tive tempo de lhes atirar com uma botija de gás que atingiu a porta do passageiro e partiu o vidro", explicou um colega da vítima que estava nas imediações. "Estava a passar, quando me apercebi do assalto e tentei persegui-los durante vários quilómetros", disse ao CM Sérgio Ribeiro, presidente da junta de Lourosa. "Eles conduziam como loucos, sem luz, e com as matrículas tapadas", continuou o autarca. Manuel Gomes foi socorrido pelos bombeiros de Lourosa e transportado para o Hospital de Santa Maria da Feira, onde recebeu tratamento hospitalar.

Fonte: Correio da Manhã

CP: Greve afecta 90% dos comboios

A circulação de comboios está a ser muito afectada hoje de manhã devido à greve de 24 horas dos revisores e operadores de bilheteira com 90 por cento de supressões registadas, adiantou à agência Lusa a porta-voz da CP.

"A situação está muito complicada. Até às 6:00 tínhamos 90 por cento de supressões e tal como tínhamos previsto esta situação vai manter-se durante o dia", adiantou à Lusa a porta-voz da CP-Comboios de Portugal, Ana Portela.

De acordo com Ana Portela, prevê-se hoje a supressão de quase todos os comboios, sendo que até às 6:00 não houve nenhum a circular no Porto e em Lisboa realizaram-se quatro. "Realizaram-se apenas dois comboios na Linha do Sal e outros tantos na Linha de Cascais. No que diz respeito aos regionais realizou-se apenas um", contou.

Ana Portela adiantou ainda que não há nenhum comboio Alfa a circular por opção da empresa que prefere fazer Intercidades porque "levam mais pessoas, param em mais sítios, servindo assim mais população". "Esperamos fazer alguns Intercidades mas ainda é cedo para adiantar alguma coisa", disse a porta-voz da CP, realçando que a supressão vai estar ao longo do dia muito perto dos 100 por cento.

A greve de 24 horas dos revisores e operadores de bilheteira foi convocada pelo Sindicato Ferroviário da Revisão Comercial Itinerante (SFRCI). O presidente do sindicato, Luís Bravo, adiantou hoje que até às 6:30 a adesão á greve era de 95 por cento. "Às 6:30, a adesão à greve era de 95 por cento. Desde as 22:00 que não circula nenhum comboio nas zonas urbanas de Lisboa e Porto", disse à Lusa o presidente do SFRCI.

Segundo o responsável, está apenas previsto para hoje de manhã um comboio Intercidades com destino ao Porto.

O SFRCI protesta contra o facto de ainda não ter sido posto em prática o acordo assinado, a 21 de Abril, entre a Comissão Executiva da CP e os sindicatos que representam os trabalhadores da empresa. Além disso, os grevistas discordam da redução, a partir de 1 de junho, da oferta de comboios das áreas urbanas, com especial incidência nas linhas urbanas de Cascais e de Sintra.

Fonte: DN.PT

Central Nuclear Japão: Sistema de refrigeração do reactor 5 de Fukushima parou

Sistema de refrigeração do reactor 5 de Fukushima parou
A Tokyo Electric Power (Tepco), operadora da central nuclear japonesa de Fukushima, anunciou hoje a paragem do sistema de refrigeração do reactor número cinco e garantiu que os trabalhos para retomar a sua actividade estão em marcha.

De acordo com um despacho da agência japonesa Kyodo, as bombas de injecção de água no reactor e as piscinas de combustível da unidade cinco pararam no sábado pelo que a Tepco está a trabalhar para colocar em funcionamento os sistemas auxiliares.

A temperatura do reator aumentou 68 para 87 graus enquanto que a água da piscina subiu de 41 para 44 graus.

Os reactores cinco e seis da unidade de Fukushima são os únicos que não foram afectados pelo grave terramoto seguido de tsunami a 11 de Março e estavam mantidos em "paragem fria" o que significa que estavam estabilizados e refrigerados por uma corrente interna de água.

O reactor cinco estava ligado à rede eléctrica externa e não tinha sofrido qualquer explosão ou incêndio como aconteceu com as unidades 1, 2, 3 e 4, nem sofreu danos no edifício do reactor faz uma retenção primária nem nas piscinas de combustível usado.

Os engenheiros da Tepco esperaram conseguir retomar as funções de refrigeração da unidade cinco nas próximas horas e não acreditam na subida rápida da temperatura no complexo.

No caso dos reactores afectados, a Tepco está a utilizar bombas especiais externas até que consiga instalar no complexo um novo sistema de refrigeração em ciclo contínuo de água.

O Japão enfrenta a sua pior crise nuclear de sempre e já encerrou unidades de produção de energia com recurso ao nuclear devido a receios que um novo sismo provoque o caos no país.

Fonte: DN.PT

Crise: Manifestação em Madrid vai continuar

Ainda não há prazos para o fim do protesto na capital espanhola.

Os participantes no acampamento do movimento 15 de Maio/Democracia real já, instalado há duas semanas na Puerta del Sol (Madrid) vão continuar “por agora”, definindo depois “como” e “até quando”.

Uma decisão tomada na assembleia em que participaram milhares de pessoas – e que milhares de outras acompanharam pela internet – durante a qual se analisaram vários dos problemas associados à decisão de permanecer.

No entanto, e apesar da decisão de permanecer, continua por definir até quando e em que condições, com os responsáveis pela gestão do acampamento a destacarem inúmeros problemas que já se notam na cidade improvisada.

A assembleia de hoje contou com dezenas de intervenções.

Um dos porta-vozes da comissão legal do movimento garantiu à assembleia que as autoridades avisaram que caso se mantenha o respeito e a segurança que tem caracterizado o protesto até aqui, não haverá intervenção policial “esta noite”.

Este movimento espanhol já levou à criação de protestos noutras cidades da Europa.




Fonte: Renascença

Dívida: Risco de falência da Grécia ameaça nova crise do euro

Em Bruxelas já estarão a ser estudados quais os impactos na zona euro de uma renegociação parcial da dívida grega.

A zona euro arrisca-se a viver esta semana uma nova vaga de contágio do risco de incumprimento dos países ditos periféricos, face aos indícios cada vez mais fortes de que a Grécia não está a cumprir o seu programa do resgate e não será capaz de honrar por completo a sua dívida. Enquanto que em Bruxelas é estudado o impacto na zona euro de uma renegociação parcial da dívida grega, a ‘troika', que continua em Atenas, vai nos próximos dias dar o seu veredicto sobre os esforços orçamentais dos gregos. Se o parecer for negativo, o relatório vai bloquear a próxima ajuda de 12 mil milhões ed euros e, segundo o governo grego, atirará o país para a falência técnica.

A revista alemã ‘Der Spiegel' citava no sábado um relatório preliminar da ‘troika' onde se lê que a Grécia "falhou todas as metas orçamentais [que tinham sido] acordadas". "O governo gastou mais do que acordado no programa de assistência. E além disso, a receita dos impostos é menor do que tinha sido requerida", cita a revista. A notícia foi prontamente desmentida pelo Fundo Monetário Internacional (FMI), a instituição que juntamente com a Comissão Europeia e o Banco Central Europeu (BCE) constituem a ‘troika'. "São falsas as notícias" sobre o relatório da ‘troika', diz o Fundo, porque, como frisa George Papaconstantinou, ministro de finanças grego, "as negociações vão continuar e serão fechadas nos próximos dias". Porém, a novela da crise do euro tem sido escrita com encontros secretos e um imenso rol de desmentidos que se acabam por confirmar.

O comissário Olli Rehn avisou na passada semana que a situação na Grécia "está muito complicada e difícil". É por isso que o Comité Económico e Financeiro, que assessora o Eurogrupo e Ecofin, está a estudar as consequências de uma renegociação ou restruturação da dívida grega e apurar se seria possível fazê-lo sem activar um caso de [incumprimento do] crédito, anunciou o ministro das finanças holandês, Jan Kees De Jager.





Fonte: Económico