domingo, 25 de novembro de 2012

Turcos "estão fartos da dupla moral" da União Europeia

Os turcos "estão fartos da dupla moral" da UE e "sentem-se os menos europeus" quando fazem filas para obter vistos nos consulados dos Estados-membros, disse hoje o subsecretário do Ministério para a União Europeia turco.

À margem de uma conferência sobre as relações entre a Turquia e a União Europeia, organizada pela Universidade Lusíada em Lisboa, Haluk Ilicak disse à Lusa que a Turquia é o único país candidato à adesão cujos cidadãos são obrigados a obter um visto para entrar no território.

O responsável afirmou que exigir vistos aos cidadãos turcos viola os protocolos que o país tem com a União Europeia e lembrou que há decisões do Tribunal Europeu de Justiça a condenar essas práticas, mas os Estados-membros não aplicam as decisões judiciais.

Recordando que o apoio popular à adesão à UE na Turquia desceu para 35%, quando no início das negociações, em 2005, era de 78%, Ilicak afirmou: "As pessoas estão fartas da dupla moral contra a Turquia pela UE".

Na sua intervenção na conferência, o governante afirmou que os cidadãos turcos são discriminados quando entram na UE: "Sentem-se os menos europeus quando fazem filas para obter vistos nos consulados dos Estados-membros".

"Os estudantes turcos e os empresários são os mais prejudicados", acrescentou, explicando que, devido à demora na obtenção dos vistos, os primeiros perdem as primeiras semanas e os segundos perdem feiras e reuniões de negócios.

Além disso, lamentou que isto aconteça quando os produtos turcos entram livremente no mercado europeu: "Como se pode explicar que os produtos circulem mais facilmente do que os produtores? É desumano e é concorrência desleal".

Para Ilicak, o argumento de que a Turquia será um peso para a UE devido à entrada de imigrantes nos Estados-membros "não tem fundamento" num momento em que, segundo estatísticas alemãs, o número de alemães com ou sem nacionalidade turca que se estabeleceram ou restabeleceram na Turquia é, pela primeira vez em décadas, maior do que o número de turcos a emigrar para a Alemanha.

As negociações de adesão da Turquia à União Europeia começaram em 2005, mas têm sido atrasadas devido a entraves impostos por alguns Estados-membros, como a França.

Desde que, em Julho, a presidência rotativa da UE foi assumida por Chipre, que mantém um diferendo com Ancara, as negociações ficaram praticamente bloqueadas.

Fonte: Económico

Nenhum comentário:

Postar um comentário