domingo, 25 de novembro de 2012

Separatismo faz parte dos planos da Nova Ordem Mundial

Após o término das eleições nos EUA, várias petições formam enviadas a Casa Branca com milhares de assinaturas de norte-americanos que pediam a divisão do país em vários estados independentes. Propostas separatistas semelhantes estão presentes fortemente na Espanha e também no Reino Unido.

O separatismo e a partição das grandes nações representam passos indispensáveis ​​para a Nova Ordem Mundial, alerta o historiador e escritor Webster Griffin Tarpley.

Em um artigo opinativo para o canal Press TV, o autor de livros contrários aos sistemas bancários e políticos dos EUA, disse que a Nova Ordem visa a destruição do Estado-nação soberano, e sua substituição por um império universal presidida pelo Fundo Monetário Internacional, Banco Mundial, Organização Mundial do Comércio, o Banco de Compensações Internacionais e Otan.

Para Tarpley, micro-estados não teriam qualquer poder de decisão no Mundo proposto por empresários e governantes.

“O congressista republicano Ron Paul é totalmente favorável a esse sistema. Ele notoriamente disse na Câmara dos Deputados em 13 de março de 2001, que não há nada a temer da globalização, o livre comércio e uma moeda única em todo o mundo. Esses três elementos são, de fato, a destruição garantida de nações existentes”.

Tarpley diz que a ONU já está trabalhando para a fragmentação dos países para deixar o mundo mais fraco e refém de suas decisões. “Eles querem dividir o Paquistão em quatro partes, o Irã em cinco partes, e a Líbia em três, bem como esculpir a Turquia, Síria, Iraque e Irã, criando um Curdistão independente. O Iraque já está dividido em três partes, como resultado da ocupação dos EUA. O Sudão também já aparece dividido em duas partes”.

“Separatismo não faz nada para coibir instituições financeiras e organizações, mas ajuda a abandonar qualquer luta ideológica ou de agitação contra eles. A divisão ajuda o império, enfraquecendo as nações”, diz Tarpley.

Fonte: IAnotícia

Nenhum comentário:

Postar um comentário