sexta-feira, 18 de maio de 2012

FMI suspende contactos com Atenas até às eleições de 17 de junho

Christine Lagarde
O Fundo Monetário Internacional (FMI) indicou hoje que vai suspender os contactos com a Grécia até às eleições legislativas e não vai cooperar com o novo governo transitório hoje empossado.

"Aguardamos com interesse estabelecer contacto com o [futuro] governo logo que seja formado", disse em declarações aos media Davis Hawley, um porta-voz da instituição.

Ao ser questionado sobre o grau de cooperação com o governo de transição que hoje assumiu funções em Atenas, dirigido pelo presidente do Conselho de Estado, Panayiotis Pikramenos, 67 anos, o mesmo responsável precisou que o FMI apenas pretende discutir com o executivo formado "após as eleições" de 17 de junho.

"O essencial é que a nossa missão [em Atenas] recomece após as eleições. Não posso precisar uma data específica", acrescentou.

O governo técnico que hoje foi empossado na Grécia, que integra uma maioria de académicos e altos funcionários, tem como objetivo principal preparar as novas eleições legislativas, na sequência dos resultados inconclusivos do escrutínio de 6 de maio, e gerir os assuntos correntes.

O executivo transitório não deverá dispor do apoio do Parlamento eleito no início do mês e que deverá ser dissolvido na sexta-feira para permitir o prazo de um mês de férias antes de cada eleição legislativa, como prevê a Constituição.

Em março o FMI concedeu à Grécia um novo empréstimo de 28 mil milhões de euros, após o envio de 30 mil milhões de euros em maio de 2010, tendo já disponibilizado dois terços do montante.

A entrega de uma segunda fatia deste empréstimo, avaliada em 1,6 mil milhões de euros estava inicialmente prevista para o início de maio, mas após a convocação de novas eleições apenas deverá ser disponibilizada quando for anunciado um governo com maioria parlamentar.

 O FMI suspendeu os contactos com a Grécia até que se cumpram as novas eleições, marcadas para dia 17 de junho

Nenhum comentário:

Postar um comentário