sexta-feira, 27 de janeiro de 2012

Novo máximo no risco de bancarrota portuguesa: 68,69%


A probabilidade de incumprimento da dívida portuguesa subiu ao final da tarde para 69,4%, e acabou por fechar em 68,69%. Máximos nos juros a 5, a 6 e a 10 anos.

probabilidade de incumprimento (default) da dívida portuguesa continua a bater recordes, subiu, ao final da manhã, segundo o balanço das 12H30 da CMA DataVision, para 67,69%, e ao final da tarde disparou para 69,4%. Acabaria por fechar em 68,69%, um novo máximo em valor de fecho, no último balanço do dia daquela agência de informação financeira. Na quarta-feira fechara em 67,05%.

Portugal liderou quinta-feira as subidas no indicador de probabilidade de default em mais de oito dezenas de países monitorizados pela CMA DataVision. 

O custo dos credit default swaps (seguros contra o risco de incumprimento da dívida a 5 anos) atingiu um pico de 1390,37 pontos base ao final da tarde, e acabou por fechar em 1365,30 pontos base, um novo máximo de fecho.

Depois de ter ultrapassado esta semana a barreira dos 1300 pontos base, que fez notícia nos media financeiros mundiais, o custo dos cds aproxima-se, agora, de novo patamar.

No mercado secundário da dívida, as yields (juros) das obrigações do Tesouro fixaram novos máximos nos prazos a 5, a 6 e a 10 anos, com valores de fecho de 19,45%, 20,37% e 14,8% respetivamente, segundo dados da Bloomberg.

Fonte: ExameExpresso
Imagem: Paulo Castelo

Nenhum comentário:

Postar um comentário