sexta-feira, 24 de junho de 2011

O GNR, o Advogado e o sinal de STOP


Um Advogado conduzia distraído quando, num sinal de STOP, passa sem parar, em frente a uma viatura da GNR.

GNR: - Ora muito boa tarde. Documentos e carta de condução, fáchavor...

Advogado: - Mas por quê, Sr Guarda?

GNR: - Não parou no sinal de STOP, ali atrás.

Advogado: - Eu abrandei, e como não vinha ninguém...

GNR: - Exactamente... Documentos e carta de condução, fáchavor...

Advogado: - Você sabe qual é a diferença jurídica entre abrandar e parar?

GNR: - A diferença é que a lei diz que num sinal de STOP, deve-se parar completamente. Documentos e carta de condução, fáchavor...

Advogado: - Ou não, Sr Guarda. Eu sou advogado e sei das suas limitações na interpretação de texto de lei. Proponho-lhe o seguinte: Se você conseguir explicar-me a diferença legal entre abrandar e parar, eu mostro-lhe os documentos e você pode multar-me. Senão, vou-me embora sem multa.

GNR: - Afirmativo, concordo... Pode fazer o favor de sair da viatura, Sr. Advogado?

O advogado desce e então a patrulha da GNR saca dos cassetetes, e aquilo é porrada que até ferve, para cima do Advogado. Socos pra tudo quanto é lado, lambadas, biqueiradas nos dentes... O Advogado grita por socorro, e implora para pararem.

E o GNR pergunta:
- Quer que eu pare ou que abrande...!?

Advogado: - PARE!... PARE!... PARE!...

GNR: - Afirmativo, documentos e carta de condução, fáchavor...

Nenhum comentário:

Postar um comentário