segunda-feira, 23 de abril de 2012

"Guerra económica" dos EUA e UE à banca suíça pode colocar 20 mil pessoas no desemprego, alerta presidente do UBS

O presidente executivo do banco suíço UBS, Sergio Ermotti, diz que a Suiça está a ser atacada pelos Estados Unidos e União Europeia e que esta guerra pode levar 20.000 pessoas a perder o seu emprego nos próximos anos. 

"A Suíça está a ser atacada desde 2008. Nós estamos no meio de uma guerra económica", afirmou Sergio Ermotti numa entrevista ao jornal alemão SonntagsZeitung.

Segundo o responsável, Estados Unidos e União Europeia encetaram uma guerra económica contra o sistema financeiro suíço, em particular contra os seus maiores bancos, o UBS e o Credit Suisse. 

Sergio Ermotti, que tomou posse como presidente executivo do UBS em novembro de 2011, esta guerra irá levar a uma perda significativa dos ativos gerados pelos bancos suíços, que terão de se adaptar reduzindo custos e através de processos de fusões e aquisições. 

Consequentemente, "penso que a praça financeira suíça irá perder cerca de 20 por cento dos seus postos de trabalho nos próximos anos. São 20 mil empregos", disse. 

As declarações do responsável surgem após uma semana onde foi notificado da abertura de uma investigação judicial em França às atividades do banco, que se mostrou disponível para colaborar "plenamente" com as autoridades francesas, aberto a 12 de abril, e onde se suspeita de fraude fiscal. 

O inquérito surge numa altura complicada para o banco e para o sistema financeiro suíço, que teve de chegar a acordo para a troca de informação com a Alemanha, Reino Unido e Áustria, mas cujas negociações foram suspensas em frança devido à campanha eleitoral. 

Nesta altura, pelo menos 11 bancos suíços estão a ser alvos da justiça nos Estados Unidos por alegadamente encorajarem os seus clientes a colocar o seu dinheiro nestes bancos os seus fundos não declarados. 

Fonte: Lusa

Nenhum comentário:

Postar um comentário