quinta-feira, 3 de janeiro de 2013

"Messi? Só Pelé marcou 1284 golos" (ou talvez não)

"Messi? Só Pelé marcou 1284 golos" (ou talvez não)
O mítico Mário Zagallo diz que Messi não pode ser comparado a Pelé e afirma que mais ninguém atingiu os 1284 golos na carreira. Mas não é bem assim...

Já não bastava a polémica com o número de golos apontados num só ano civil: Lionel Messi fez 90 em 2012, algo que foi apontado como recorde absoluto, mas na Zâmbia reclamam que o desconhecido Chitalu fez 107 em 1972. Agora, o desacordo entre o número de golos volta a cruzar-se com Messi, desta vez por causa de Pelé.

Mário Zagallo, campeão mundial pelo Brasil em 1958 e 1962 como jogador e em 1970 como selecionador, afirmou que "Messi é o melhor do mundo, por tudo o que já fez e continua a fazer" no Barcelona, mas "por favor, não o comparem a Pelé", pois "mais ninguém vai marcar 1284 golos", o registo da carreira do ex-astro do Santos.

Os números, porém, não são bem assim. O registo de 1284 golos de Pelé inclui jogos particulares e não oficiais, por isso no que toca a competições oficiais o registo cai para 767 golos, menos, até, que o compatriota Romário, que apontou 772 golos oficiais. Lionel Messi, aos 25 anos, já tem 319 golos oficiais, isto contando apenas com jogos pelas equipas principais de Barcelona e da seleção da Argentina.

Alcançar a marca de 1284 golos em jogos também não oficiais parece, efetivamente, uma marca inalcançável até para Messi, mas a verdade é que há registos superiores ao de Pelé: o bem conhecido alemão Gerd Müller, por exemplo, fez 1461 golos entre as décadas de 60 e 80, ele que detinha o anterior recorde europeu de golos num ano civil, agora superado por Messi.

O recorde absoluto (entre os conhecidos) pertence a Josef Bican, que entre os campeonatos e seleções de Áustria e República Checa fez 1468 golos. E, importa dizer, disputou menos 457 jogos do que Pelé, que cumpriu 1375 partidas na sua carreira. O 'rei' é apenas quarto nesta hierarquia, ainda atrás de Arthur Friedenreich (1329 golos).

Fonte: DN.PT

Nenhum comentário:

Postar um comentário