quarta-feira, 2 de janeiro de 2013

Chávez em coma induzido há vários dias

Chávez em coma induzido há vários dias
O jornal espanhol "ABC" avança, esta terça-feira, que Hugo Chávez está há vários dias em coma induzido. O mesmo jornal noticia que estaria a ser planeado o desligar das máquinas de assistência de vida artificial.

O arcebispo de Caracas afirmou, entretanto, que as dúvidas relacionadas com o estado de saúde do presidente da Venezuela, Hugo Chávez, vão ser totalmente esclarecidas a 10 de janeiro.

Está previsto que Chávez, reeleito em outubro passado, tome posse no dia 10 de janeiro em Caracas para um novo mandato presidencial de seis anos (2013-2019).

"Em primeiro lugar, vamos rezar todos pela saúde do presidente Chávez que como afirmou o vice-presidente [Nicolás] Maduro é, neste momento, delicada, vamos pedir a Deus que lhe dê força para estes momentos e, por outro lado, pedir que a incerteza seja totalmente dissipada no dia 10 de janeiro", afirmou Jorge Urosa.

O cardeal, que falava ao canal de televisão privado Globovisión, indicou que nesse dia se irá saber "como tem evoluído a saúde do presidente". O religioso sublinhou que todos os venezuelanos devem ter "uma grande confiança na sensatez de todos os líderes políticos (...) no sentido que devem seguir o que está previsto na Constituição" do país.

A saúde de Chávez, hospitalizado em Cuba em "estado delicado" após uma nova intervenção cirúrgica contra um tumor cancerígeno na zona pélvica, realizada no passado dia 11 de dezembro, tem mantido a Venezuela num clima de incerteza durante as últimas semanas.

O ministro da Ciência e Tecnologia venezuelano, Jorge Arreaza, que está em Havana a acompanhar o chefe de Estado e a respetiva família, afirmou na segunda-feira que Chávez estava "tranquilo e estável". Na mesma ocasião, o ministro pediu aos venezuelanos para não acreditarem em boatos.

Um dia antes, no domingo, Nicolás Maduro, que também está em Havana, indicou que o estado de saúde do Presidente venezuelano "continuava delicado" depois de sofrer "novas complicações" pós-operatórias provocadas por uma infeção respiratória.

O fim do ano na Venezuela foi marcado pelo cancelamento dos eventos públicos que pretendiam assinalar a entrada de 2013 e pela celebração de várias cerimónias religiosas para pedir a recuperação do Presidente venezuelano.

Chávez, de 58 anos, no poder desde 1999, anunciou a 8 de dezembro de 2012 o ressurgimento do cancro que lhe foi diagnosticado em 2011. Poucos dias depois, o governante partia para a Havana para realizar novos tratamentos.

A eventual ausência de Hugo Chávez na tomada de posse abriu uma intensa discussão no país sobre a constitucionalidade de um possível adiamento da cerimónia.

Fonte: Jornal de Notícias

Nenhum comentário:

Postar um comentário