sexta-feira, 29 de julho de 2011

Habitação: Saiba quanto vai subir a sua prestação da casa

Para os contratos a rever em Agosto, não há boas notícias. Na maioria dos casos, a prestação do crédito à habitação vai sofrer a maior subida em três anos.

Muitas famílias, ao regressarem de férias no final de Agosto vão receber mais uma notícia desagradável. Apesar do mês ainda não ter terminado, uma coisa é certa, quem revir a prestação mensal do empréstimo da casa no final de Agosto será confrontado com uma factura mais elevada, independentemente do indexante que tenha escolhido para o seu crédito. Isto porque, as taxas Euribor a três, seis e 12 meses estão agora mais elevadas face à última revisão da prestação. Tomando como exemplo um empréstimo à habitação no valor de 150 mil euros a pagar em 30 anos e com um ‘spread' no valor de 1,5%, a prestação ficará entre 22 e 67 euros mais cara, consoante o indexante escolhido.

No caso dos empréstimos associados à euribor a seis meses- o mais utilizado nos contratos de crédito à habitação existentes em Portugal- tratar-se-á mesmo da maior subida de prestação nos últimos três anos. Para estes casos, a prestação vai subir 45,74 euros. Os detentores deste tipo de contratos vão passar a pagar uma prestação de 658,42 euros, quando nos últimos meses estavam a pagar 612,26 euros. No caso dos contratos associados à euribor a 12 meses, a subida de encargos ainda será maior (66,8 euros). Contudo, também afectará um número muito reduzido de famílias já que, segundo dados do Banco de Portugal relativos a Setembro de 2010, apenas 2% dos empréstimos para compra de casa utilizam como referência esse indexante. Mais modesto será o acréscimo dos encargos com os empréstimos associados à euribor a três meses. A prestação deverá aumentar 22,26 euros, para 640,28 euros.

A subida dos encargos com a casa não é uma novidade. Desde o início do ano passado que as taxas de juro praticadas pelos bancos nos novos contratos de crédito vêm a subir. Segundo o boletim estatístico do Banco de Portugal, em Maio a taxa média praticada pelos bancos era de 3,6%, acima do mínimo de 2,17% em vigor em Janeiro de 2010. Essas subidas estão relacionadas com a evolução da política monetária conduzida pelo Banco Central Europeu. Desde o início do ano, por duas vezes que o BCE procedeu a dois incrementos nas taxas de juro de referência, para os actuais 1,5%, tendo como intenção o controlo das pressões inflacionistas.

Alguns economistas acreditam que ainda este ano possam ocorrer novas subidas dos juros, que muito provavelmente também terão como resultado o encarecimento dos encargos com as prestações. Ainda assim, a generalidade dos agentes do mercado acredita que essa subida decorrerá de forma gradual. Por exemplo, de acordo com os valores da negociação de contratos de futuros sobre a Euribor a três meses na NYSE Liffe, os agentes do mercado antecipam que em Dezembro de 2012, a Euribor a três meses se situe nos 1,825%, o que compara com os actuais 1,610%.

Mas, por outro lado, também é esperado que os ‘spreads' praticados pelos bancos mantenham a actual tendência de subida perante as dificuldades de financiamento que as próprias instituições financeiras enfrentam.

Esta será assim uma boa altura para as famílias que ponderam contratar um crédito à habitação avaliarem até que ponto reúnem condições para cumprir os seus compromissos face ao expectável encarecimento do crédito à habitação. Mesmo quem já tem um crédito deverá preparar o seu orçamento de forma a prevenir o impacto que uma eventual subida dos encargos com juros possa vir a ter nas suas carteiras. Por exemplo, uma família que tenha um crédito à habitação no valor de 150 mil euros, a pagar em 30 anos, indexado à Euribor a seis meses e um ‘spread' de 1,5% irá pagar a partir de Agosto uma prestação de 658,42 euros. Mas se a Euribor subir mais 1%, os encargos mensais subirão 85,47 euros por mês. Caso haja uma subida da Euribor na ordem dos 2%, os encargos com a prestação mensal aumentam 176,21 euros.

Quanto irá pagar a partir de Agosto

Euribor a três meses
Quem tiver um crédito à habitação no valor de 150 mil euros, a pagar em 30 anos, com um ‘spread' de 1,5% e indexado à Euribor a três meses e revir a prestação da casa em Agosto, irá pagar uma prestação mensal de 640,28 euros. Ou seja, mais 22,26 euros do que o que acontecia até agora.

Euribor a seis meses
Os encargos também sobem para quem tem empréstimos à habitação associados à Euribor a seis meses. Neste caso, um empréstimo de 150 mil euros irá pagar no próximo mês uma prestação de 658,42 euros. Ou seja, mais 45,74 euros do que 612,68 euros que ainda está a pagar.

Euribor a 12 meses
É nos créditos indexados à Euribor a 12 meses que ser irá notar um aumento maior dos encargos. Quem tiver um financiamento no valor de 150 mil euros e revir a prestação da casa no próximo mês irá pagar mais 66,8 euros, face à prestação actual (622,18 euros).

Fonte: Económico

Nenhum comentário:

Postar um comentário