sexta-feira, 26 de agosto de 2011

WikiLeaks: "Eurodeputados e jornalistas em cruzada" fazem "manchetes baratas" com caso dos voos CIA, embaixada EUA

A embaixada norte-americana em Lisboa considerou, em 2006, que "eurodeputados e jornalistas em cruzada continuam a fazer manchetes baratas" com os alegados voos ileagais da CIA em Portugal, reporta telegrama diplomático divulgado hoje pela WikiLeaks.

O telegrama da diplomacia norte-americana em Portugal, com data de 15 de Dezembro de 2006 e referência 06LISBON2841, refere-se à demissão de Henrique Freitas da vice-presidência da bancada social-democrata, numa acção de "protesto pela cooperação do seu partido com os partidos de esquerda para investigar os alegados voos da CIA sob comando do Governo socialista", que sempre negou tais voos. O telegrama em causa realça que "a ideia de um dirigente do PSD defender o Governo do PS ao protestar formalmente contra a cooperação do seu partido com a esquerda é deliciosamente irónica".

No mesmo documento lê-se: "A cobertura noticiosa afirma que Freitas resignou devido aos voos da CIA. No entanto, a demissão não foi em protesto contra tais voos mas em protesto contra a continuada e infundada suposição de que os voos tenham acontecido". Para a embaixada dos Estados Unidos da América, "a incapacidade de provar uma negação quer dizer que a teoria dos voos da CIA vai continuar a fazer manchetes". Henrique Freitas demitiu-se, a 13 de Dezembro de 2006, da vice-presidência da bancada do PSD também por divergências pela forma como a direcção parlamentar atuou durante a visita da comissão do Parlamento Europeu sobre os supostos voos da CIA.

Durante a sua deslocação a Lisboa, a 6 de Dezembro, os eurodeputados da comissão temporária do Parlamento Europeu sobre os voos da CIA não tiveram uma sala na Assembleia da República para se reunirem com os deputados portugueses, recusada pelo presidente do Parlamento, Jaime Gama. Perante a impossibilidade de realizarem a reunião na Sala do Senado, os membros da comissão temporária acabaram por se reunir numa sala do grupo parlamentar social-democrata, onde estiveram durante cerca de vinte minutos com os representantes do PSD, CDS, PCP e BE, o que desagradou a Henrique Freitas.

A WikiLeaks vai divulgar até ao final do dia de hoje mais de cem mil novos telegramas da diplomacia norte-americana em todo o mundo, adiantou a organização, que começou na quarta-feira a publicar telegramas até agora desconhecidos, incluindo relatórios diplomáticos confidenciais. Além de Portugal, já hoje foram divulgados pela WikiLeaks documentos da diplomacia norte-americana relativos a Angola, Moçambique e Timor-Leste, entre outros.

Fonte: DN.PT

Nenhum comentário:

Postar um comentário