quinta-feira, 25 de novembro de 2010

Saúde: Remédio Caseiro Para a Dor de Dentes

Alho – Corte um dente de alho ao meio e aplique-o directamente no local. Arde um pouco, mas alivia passados uns momentos.







Remédio Caseiro para o Alívio Natural da Dor de Dentes
A Cura de Cáries Dentárias por meio de Dieta Regeneradora

Um tratamento alternativo simples e quase que totalmente gratuito concebido para aliviar e cessar a dor de dente e restaurar os dentes à sua funcionalidade para aqueles que desejam ou necessitam prescindir de dentistas; também tem por objectivo evitar os procedimentos dentários, inclusive os possíveis ou provados riscos à saúde inerentes às práticas da odontologia convencional.

Georg Christoph Lichtenberg (1742 - 1799), primeiro professor alemão de física experimental e conhecido como autor e crítico de arte em razão dos seus tratados científicos e aforismos satíricos, escreveu o seguinte no seu “caderno de borrões”:
"A invenção de um remédio infalível para dor de dente, que cesse imediatamente a dor, valeria tanto ou mais que a descoberta de mais um planeta.”



Já que o meu melhor amigo e eu descobrimos o que parece ser realmente um remédio infalível par dores de dente (que testamos com êxito por inúmeras vezes), posso apenas balançar a cabeça em perplexidade (e horror) pelo fato de estarmos como “prisioneiros” e à mercê da “indústria dentária”... Como muitos e a maioria do mundo ocidental, fui criada ouvindo dos dentistas e da mídia que, uma vez tenha você uma dor que denota a presença de uma cárie, nada há que possa fazer para verdadeiramente ajudar ou curar, já que os dentes, uma vez atacados e amolecidos por cáries, nunca irão se curar ou se regenerar. Tudo o que poderá supostamente fazer é tomar algum analgésico, remédio caseiro ou erva de que tenha notícia para temporariamente aliviar ou talvez parar a dor, enquanto corre a um dentista de emergência ou cirurgião bucal, o mais rapidamente possível, já que ele/ela detém as únicas ferramentas eficazes para reparar “adequadamente” a cárie e consertar o dente com o uso de broca, de obturações (e de cobrança em dinheiro). E, naturalmente, uma vez tenha você bactérias formadoras de cáries a corroer o sue dente, não há método conhecido nessa Terra, para fazê-las parar, fora de um consultório dentário e da cadeira do dentista.

Conhecimento sobre o assunto é bem outro agora – ao menos com respeito aos meus próprios dentes e também o é para outros que seguem princípios similares.

Também creio que se houvesse sido ensinada desde o início o que sei hoje ser verdadeiro sobre a força de auto-cura do corpo humano – que inclui os meus dentes e as minhas gengivas – teria todos os meus dentes belos e saudáveis, ao invés de ter tido quatro dentes extraídos e outros seriamente danificados pela necessidade de serem furados para a inserção de três pontes (duas das quais já removidas, por decisão própria). Teria eu também tido a oportunidade de evitar terríveis dores físicas, não bastasse o gasto financeiro.

O simples procedimento de alívio da dor de dente (por favor não o elimine pelo fato de ser tão simples – eu também o fiz, no início) e a subseqüente reconstrução de esmalte dentário saudável, descritos a seguir, em verdade operaram milagres para mim, até mesmo nas dores de dente mais terríveis e em cáries muito profundas. Em verdade, certa vez experimentei uma dor de dente tão terrível e extrema que me pôs em estado de choque por um momento, era como um raio atravessando a minha mandíbula e além dela, e uma das minhas cáries tinha alcançado a raiz, quando a minha dentista de então me relatou a estar perfurando com uma broca. Logo lhe disse para cessar a perfuração (ela planejava tratar o canal). Em seguida curei, sozinha, o dente carcomido pela cárie, usando o método descrito abaixo, que explicarei com maiores detalhes no futuro, enquanto que nessa oportunidade apresento apenas os seus elementos essenciais.

MELHOR MÉTODO PARA CURAR UMA DOR DE DENTE: COMO SE LIVRAR DE UMA DOR DE DENTE, MESMO SENDO ELA GRAVE, INTENSA E TERRIVELMENTE INSUPORTÁVEL.

Dissolva uma quantidade suficiente de sal marinho não refinado em água morna (temperatura do corpo) para preparar uma forte solução e lave a sua boca com ela (por meio de bochechos), permitindo que a água salgada percorra toda a boca de forma vigorosa (se a dor permitir) ou apenas permitindo que a salmoura aja em sua boca( ela provocará ensalivação). A dor de dente, especialmente quando extremamente aguda, poderá cessar instantaneamente ou talvez leve algum tempo antes de desaparecer, mas ela será debelada (no meu caso esse método sempre funcionou e o maior tempo que levou para cessar, num caso de dor aguda, foram cerca de dois minutos. Também já testemunhei
algumas outras pessoas que relataram terem tido alívio quase instantâneo para dor de dente, com mesmo método). Repita o processo de lavagem e bochechos com salmoura – até mesmo durante vários dias, no caso de a dor voltar ou não cessar por completo – tantas vezes quanto necessário. Também se pode alojar alguns cristais de sal diretamente sobre o dente ou gengiva que dói.

Para mim esse tratamento revelou-se mais eficaz que o óleo de “tea tree” (que para mim é muitíssimo útil nos casos de dores mais tênues e para quando desejo aplicá-lo com o propósito de deixar a minha boca e dentes “esterilizados”) e também mais eficaz que tudo o mais que experimentei como analgésicos alopáticos e o tradicionalmente e amplamente recomendado remédio de cozinha para dor de dente, o extrato de cravo-da-índia (ou o puro óleo de cravo-da-índia, vendido em farmácias, que mostrou-se inútil no meu caso). Outros analgésicos tradicionais vendidos em farmácias, como o Tilenol, o Ibuprofen (Motrin, Advil, Nuprin) e o hidrocodone (Vicodin), em verdade poderão até piorar a dor e/ou deteriorar ainda mais a saúde dentária em razão de acrescentarem mais toxinas à boca e aos dentes, pelo menos quando são aplicados reiteradamente).

O tratamento com água salgada parece funcionar bem em detnes que doem ou em abscessos gengivais (dentes e gengivas infeccionados com pus) por meio da drenagem gradual do pus. (Obviamente que, se os restos de alimentos que ficam presos entre os dentes são a causa da dor de dente, bochechando amplamente a água salgada por toda a boca da forma descrita acima, ajudará a liberar partículas presas. Também o uso de fio dental e de palitos pode ajudar).

Não aconselho o uso de sal refinado para a preparação da solução salina, ou salmoura, principalmente se ele contiver traços de alumínio.

Para aqueles que gostariam de ter mais ajuda para suas dores de dentes e remédios para dor, compilei uma extensa lista adicional de remédios caseiros simples, de ervas, e naturais.

Como a solução salina poderá funcionar para cessar e curar a dor de dente:
sobre as causas da dor de dentes e de gengivas

Creio que a água salgada morna funciona da seguinte forma: segundo o meu conhecimento, a dor de dente resulta do fato de o nervo dentário ser atacado por bactérias causadoras de cáries e/ou de outros tipos, ao caminharem nas cercanias desse nervo por meio de um dente “amolecido” (que perdeu a sua dureza saudável natural em razão de uma carência de minerais em sua estrutura cristalina, assim permitindo que bactérias se desloquem através das “fendas” até áreas mais profundas do dente. Na verdade, o esmalte dentário, quando saudável, é o tecido mais duro do corpo humano!). Em outras palavras, a dor é causada por infecção bacteriana que se aloja e se espalha numa área fragilizada. A lavagem com salmoura (provavelmente, quanto mais concentrada for ela, tanto melhor) funciona de deuas maneiras: primeiramente por meio de osmose, ao puxar para for a moléculas e atacar bactérias das gengivas que circundem o nervo (e possivelmente o próprio dente fragilizado); em segundo lugar, por meio do sal que diretamente extermina essas bactérias patógenas pelo contato e que depois são jogadas para for a, por meio dos repetidos bochechos (lavagens).

A fim de acrescentar outras perspectivas interessantes sobre causas de dores nos dentes e gengivas, propondo-se uma explicação adicional sobre o porquê de a água salgada ser tão eficaz no alívio imediato da dor de dente, eis algumas definições apresentadas pelo dentista “Paul Revere”(pseudônimo) em seu livro de 1970, sobre “odontologia alternativa” intitulado “Dentistry and Its Victims” (A Odontologia e Suas Vítimas); essas definições foram extraídas do capítulo que trata da “Dor de Dente e o seu Controle”:

“Apesar de a polpa ser a fonte mais comum da dor de dente, ela não é um nervo. (Mas quando as pessoas falam “o nervo”, geralmente referem-se à polpa). Uma condição de leve irritação da polpa é chamada de hiperemia pulpar. Uma polpa hiperêmica geralmente se mostra sensível ao frio e pode se mostrar também sensível à pressão da mordida ou à ação de sucos alimentares, principalmente os sucos doces ou ácidos. A hiperemia pode ser episódica: os sintomas frequentemente desaparecem por completo durante longos períodos e reaparecem durante períodos mais curtos. Tive pacientes cuja hiperemia reaparecia duas vezes ao ano, nas mudanças de estação, durante anos a fio. A maioria de nós já teve dias quando era impossível comer algo frio...sem sentir dor.

A inflamação da polpa, ou pulpite, causa dor mais aguda que a gerada pela hiperemia pulpar.
A inflamação pode ter a sua origem em várias causas: trauma, de um sopro ou de escavação com broca; irritação em razão da cárie e a consequente invasão
por bactérias; efeitos tóxicos de material restaurador com proteção inadequada; ou mudanças de temperatura. Qualquer tecido, inclusive a polpa, costuma inchar quando se inflama. Mas, diferentemente de outros tecidos, que geralmente estão livres para se expandir, a polpa encontra-se confinada por paredes inelásticas de dentina. Ao se inflamar, a polpa incha e origina pressões enormes no interior do dente. São essas pressões a causa direta das piores dores de dente. (E á aqui, naturalmente, que o efeito osmótico da água salgada age, exercendo um imediato puxão desidratante na área em questão, baixando assim a sua pressão interna. Parece-me claro, no entanto, que mais que um efeito de “ordenha” ocorre, já que a lavagem repetida com água salgada (se seguida de uma dieta regeneradora de dentes) poder dar início a uma cura de longo prazo do dente cariado, provavelmente, como mencionado, em razão do completo extermínio de bactérias agressivas).
As gengivas podem ser a causa de muita dor, principalmente se houver nelas alguma inflamação. A dor nas gengivas resulta de lesões infecciosas, de dentes sisos a crescer e de irritações como ferimentos gengivais causados por dentaduras. Há muitas outras causas de dor bucal; o importante é saber que se trata, sempre, de aviso sobre uma condição anômala real a ser corrigida. Nunca testemunhei causa alguma que pudesse honestamente chamar de dor de dente psicossomática. Embora, às vezes, uma dor de dente seja muito difícil de ser localizada com precisão e ser tratada, essa dor é muito real e raramente, talvez nunca, tem origem psicossomática”.

Além das causas de dor de dente acima mencionadas, pode haver também outras causas de dor de dente, como abscesso, um dente impactado e problemas com a mordida (oclusão inadequada), mas aqui o meu interesse é menos com a precisão do diagnóstico que com a ajuda efetiva e com o alívio real de longa duração, que se baseia em tratar as causas primeiras, tanto da dor como da cárie dentária, o que por sua vez podem ser encontradas na dieta. Em verdade o dentista “Paul Revere”, acima citado, escreve em “A Odontologia e Suas Vítimas” que se alguém perguntar a dez dentistas sobre o diagnóstico de um memo dente, esse alguém obterá dez diagnósticos diferentes – uma observação cuja precisão foi confirmada por um dos meus dentistas do passado.

(Uma observação possivelmente importante a se fazer aqui é a seguinte:
aparentemente, uma dor de dente ou de mandíbula pode ser eventualmente causada por um problema que se origina em outro lugar do corpo, tal como no coração (por exemplo, um ataque cardíaco ou de angina), nos seios da face ou orelhas (por exemplo, infecções no ouvido). Li que alguns pacientes de angina podem ocasionalmente apresentar como único sintoma de seu problema cardíaco dores de dentes ou de mandíbula. Parece, portanto, que nem toda dor de dente é o que aparenta ser pois pode, na verdade, indicar problemas mais sérios.)

(Ok,that was not meant to scare anyone or to pander to hypochondriacs with too much time on their hands ;-) but a just-in-case addition in order not to risk misleading anyone. Also see Cláusula de Desresponsabilização.)

Cura e Regeneração de dentes por meio de Dieta: restaurando cáries sem dentista ou livrando-se de cáries sem obturações = saúde bucal por meio de tratamento dentário natural

O procedimento descrito acima, para cessar a dor de dente constitui apenas o primeiro passo a tomar, já que o meu objetivo não é apenas diminuir ou temporariamente anestesiar a dor, antes de obter tratamento dentário emergencial ou a execução de serviços dentários “adequados”. O próximo e mais importante passo é efetuar uma cura de longa duração da dor de denteao auxiliar os meus dentes a se remineralizarem, ou seja, a formarem um novo e duro esmalte e assim restaurá-los à funcionalidade (Costumo evitar os dentistas – vejam abaixo uma das exceções – pois não desejo carregar obturações, coroas, pontes ,etc, cheias de material estranho, de metais e/ou químicos tóxicos e perigosos na minha boca com o seu possível ou provado perigo à saúde como a amálgama de mercúrio e outros metais maléficos que escapam e penetram no corpo, contaminação radioativa,etc. Já li que o simples fato de se cavar um dente com uma broca provoca um trauma nesse dente, comparável a uma cirurgia executada em qualquer outro órgão do corpo).

Sinto que a remineralização do dentes, acima mencionada, é melhor executada por meio de uma mudança dietética ou adaptação (sem contar, nesse momento, com as abordagens psicológicas, emocionais, mentais ou espirituais, que também têm seu lugar e tempo também, até mesmo no campo da cura e regeneração dentárias): de acordo com as observações e os estudos aprofundados realizados pelo eminente pesquisador de saúde bucal e dentista, Dr. Weston A. Price, DDS, como também em informações de outros dentistas como o Dr. George W. Heard, para que os dentes sejam saudáveis e/ou mantenham ou recuperem sua condição saudável, necessitam eles receber uma nutrição rica em minerais, em elementos-traço, vitaminas e vários fito-nutrientes combinados, evitando-se todo e qualquer alimento refinado, principalmente açúcar e farinha branca. Os elementos saudáveis são encontrados principalmente nos alimentos crus, ou seja, alimentos frescos e não processados. Por essa razão consumo majoritariamente (e aconselho a outros que façam o mesmo) uma dieta vegetariana crua rica em minerais composta de alimentos orgânicos e frequentemente incluo algas marinhas nessa dieta, enquanto que evito todos os alimentos refinados como açúcar e farinha branca e também sou cuidadosa quanto aos alimentos ácidos (laranjas, grapefruit, vinagre, tomates,etc) e os açúcares e adoçantes naturais altamente concentrados como o mel, frutas secas, etc1.

Além disso o dentista, Dr. Heard, opina em seu livro Man Against Toothache [O Homem contra a Dor de Dente) que o leite FRESCO oriundo de vacas que se alimentamde capim rico em minerais e micro-elementos, constitui fonte excelente de todos os elementos necessários para a manutenção e a restauração da saúde bucal, enquanto que o leite pasteurizado perde todos os valores construtivos e preventivos, em relação aos dentes (e possivelmente todas as outras qualidades salutares). De sorte que, se você usar laticínios, o esforço na procura de leite orgânico fresco pode valer a pena, principalmente no verão, época em que as vacas criadas naturalmente costumam se alimentar nos campos. O livro “O Homem contra a Dor de Dente”, do Dr. Heard mostra claramente que há uma enorme diferença em valor nutricional entre o leite orgânico fresco e o pasteurizado, como também entre o leite de vacas que se alimentam de capim rico em minerais e aquele oriundo de vacas que pastam em solos menos férteis (ou que se alimentam com comida de qualidade inferior). Em verdade, o eminente defensor da Higiene Natural, Dr. Herbert M. Shelton, dedica boa parte do seu livro Orthotrophy (Ortotrofia), à grande diferença nos valores salutares e protetores da saúde existentes entre os leites fresco e o pasteurizado.2

Se os dentes estiverem incialmente muito sensíveis para mastigar ou para permitir contato com alimentos, a elaboração de sucos ou de uma pasta macia num liquidificador e a sua ingestão por meio de um canudo poderá ajudar (enquanto que se deve evitar beber ou comer qualquer substância que possa irritar os dentes como alimentos quentes ou frios). É importante, no entanto, que os dentes tenham contato com alimentos naturais bem mastigados para permitir que extraiam diretamente minerais e tudo o mais que necessitem a fim de proporcionar a sua regeneração natural (a boa mastigação não é, assim, apenas um fator importante à boa digestão, ou seja um dos pilares centrais para um corpo saudável, mas também para a saúde e a regeneração dos seus dentes. Em verdade, a melhor circulação de sangue e de linfa nas gengivas, dentes e outros tecidos da boca, decorrente da mastigação completa dos alimentos deve, por si só, melhorar a desintoxicação e a nutrição das células dentárias).

Em combinação com a escovação e limpeza necessárias e o banho de sol para a produção de Vitamina D(pré-requisito para a adequada assimilação do cálcio pela estrutura dentária), esse tipo de dieta rica em minerais e micro-elementos deverá capacitar os dentes a se remineralizarem suficiente ou idealmente, ou seja, formar novo esmalte endurecido que permita o uso normal do dente.

Outro importante método, a meu ver, é o uso de remédios homeopáticos para fortalecer e curar deentes e gengivas. Considero a Homeopatia uma opção energética curativa de muito valor e, certa vez a utilizei com sucesso, paa trazer uma infecção de raiz até o topo do dente com uma formação sobre a gengiva que permitiu muito pus ser gradualmente expelido, assim aliviando a infecção e a dor que a acompanhava.

1. A razão pela qual a ingestão de alimentos refinados ou refinados como o açúcar e a farinha branca, assim como alimentos ácidos como o vinagre e frutas azedas, deveria ser diminuída ou evitada para preservar o esmalte dos dentes consiste no seguinte: de acordo com fontes que considero confiáveis, dois fatores - um, estrutural, e outro nutricional - formam a base da cárie dentária. A fraqueza estrutural dos dentes por um lado (devido à mineralização insuficiente = falta de minerais) e o ataque por ácidos que vasam cálcio dos dentes por outro. Ácidos, por sua vez, se originam de comestíveis ácidos mas são, particularmente, um sub-produto da decomposição bacteriana de restos de comida e de substâncias refinadas (farinha branca, açúcar) e da alta concentração de açúcares naturais (como a que se encontra em frutas desidratadas, etc). Daí vem a altíssima importância de se limpar e bochecar quaisquer restos de comida e, mais particularmente, a prevenção dos depósitos de placa bacteriana (onde proliferam germes).

2. Entendo que devido à variação de legislações estaduais não seja sempre fácil comprar leite orgânico cru. Fiquei surpresa com a facilidade de se encontrar leite orgânico cru aqui em Berlim (na realidade, leite "Demeter", i.e. de qualidade biodinâmica que segue os mais altos e rígidos padrões orgânicos). Só precisei pedir na loja de produtos naturais mantida por uma família na esquina e soube que bastava fazer um pedido especial para que fornecessem leite de vaca, cabra ou égua biodinâmico, uma vez por semana e de acordo com minhas especificações. Pessoalmente, eu jamais utilizaria derivados de leite convencionais devido à tremenda e indizível crueldade envolvida em sua “produção”, sem mencionar os antibióticos, pus e outras toxinas e elementos nocivos presentes no leite convencional, e ocasionalmente adoto uma dieta estritamente vegetana.

Sol e Vitamina D

Se for escassa a luz solar disponível ou se você sente que os seus dentes estão enfraquecendo, eu tomaria pílulas de vitamina D (geralmente a base de óleo de fígado de bacalhau ou do próprio tecido hepático do peixe). Também exponho os meus dentes e gengivas diretamente à luz solar, poderoso fator “desinfetante” e curador, em si própria.

Higiene Oral e Dentária: Limpeza de Dentes e da Boca

Parece muito importante evitar todas as pastas que contenham glicerina, já que, para que os dentes se remineralizem, a superfície dentária necessita estar limpa e “acessível”. Isso se faz impossível, entretanto, pela glicerina que cobre a superfície com um substância pegajosa, de difícil remoção. Pessoalmente, uso com frequência uma escova de dentes elétrica com água e sal marinho, com soda ou com puro sabão de plantas sem perfume – mais sobre isso, no futuro. Também sigo a tendência de não escovar os dentes quando sinto não haver necessidade para tal, como após comer apenas alimentos naturais e/ou quase que inteiramente crus e com baixo teor de açúcar. Nesse caso, simplesmente os lavo bem com água ou com uma forte salmoura. Também limpo regularmente a língua. E já que trato desse assunto, lembro-me do pesquisador de saúde dentária Weston A. Price (que viajou por todo o mundo à procura do segredo de dentes saudáveis) relatando que em suas investigações sobre povos que prerservam naturalmente os dentes saudáveis por meio do consumo de alimentos não processados, descobriu que nenhum deles limpa os dentes. No livro “O Home contra a Dor de Dente”, o Dr. George Heard relata histórias semelhantes como o caso de uma senhora com mais de 80 anos que possuía todos os dentes saudáveis e que nunca havia usado uma escova de dentes.

(That said, I recently realized that once teeth have been more seriously damaged by diet and dentistry, cleaning is likely to be a highly important and possibly the most important factor when trying to avoid further damage to one’s teeth. In fact Dr. Nara devotes the vast majority of his book How to Become Dentally Self-Sufficient to the subject of religiously applied proper daily cleaning and dental hygiene as the only way to forestall continued deterioration of (predamaged) or otherwise endangered teeth.)

A Dra. Hulda Clark aconselha em seu livro “A Cura para Todas as Doenças”: “Não use pasta de dentes, nem mesmo as encontradas nas lojas de alimentos naturais. Para limpar os dentes, use água comum ou soda de boa qualidade – mas dissolva-a na água; se não o fizer ela ficará excessivamente abrasiva. Ou escove com água oxigenada de uso oral, não o tipo comum. Não use fio dental; use linha de pesca de fio único, para 1-2 Kg. O fio dental possue antissépticos a base de mercúrio (com poluição por tálio). Jogue fora a sua escova de dentes velha – os solventes não são lavados. Não use soluções comerciais para lavagem bucal. Use salmoura (preparada com sal que não contenha alumínio) ou peróxido de hidrogênio (H2O2) para uso oral (algumas gotas n'água)”. Não use água oxigenada, entretanto, se tiver metal em sua boca. porque ela provocará a lixívia desse metal.
Mau Hálito

A lavagem completa da boca e o gargarejo com uma forte solução salina também produz maravilhas quanto aos sintomas do mau hálito (aparentemente exterminando bactérias que produzem mau odor). Em razão dessa sua ação bactericida, já testemunhei ser ela recomendada para o alívio de garganta inflamada.
Quando Visito o Dentista

Já se vão sete anos desde que venho me tratando com êxitode problemas dentários (hoje eles são poucos e raros e apenas ocorrem quando cometo o erro dietético de ingerir açúcar branco ou farinha branca), usando o método acima descrito. Permiti uma exceção à minha política de “zona livre de dentista”: tinha um dente com uma cavidade muito profunda, em que a obturação havia caído. Geralmente não interfiro nesse tipo de dente e os deixoformar uma nova e endurecida camada de esmalte por meio de dieta adequada e de limpeza. Nesse caso específico, o buraco era tão profundo e “intrincado” que se mostrava impossível de limpar, com resíduos de alimentos que continuavam aprisionados no seu interior e apodreciam, causando dor. Assim, decidi que essa cavidade fosse vedada com uma obturação de resina.

Há outros remédios simples e naturais, ou caseiros, para dor de dente ?

Dificilmente se pode pensar numa forma mais econômica para aliviar e curar um dente fora de controle, que a salmoura ( que, como mencionamos, também parece ser muito eficaz em relação aos abcessos dentários). Como mencionei, os analgésicos, o muito recomendado óleo de cravo-da-índia e o óleo de tea tree (aplicados diretamente sobre a área afetada pela cárie) mostaram-se inócuos para mim nas dores de dentes graves (embora nunca tenha experimentado aplicar um pedaço fresco de cravo-da-índia, que possivelmente poderia ser mais eficaz). Além disso, sal e água estão quase sempre disponíveis (como mencionei, até mesmo o sal grosso sozinho, quando diretamente aplicado ao dente enfermo ou à área de grande desconforto, também funciona para mim) enquanto que alguns dos remédios listados abaixo, a base de ervas ou não, que testemunhei serem recomendados para dentes doloridos, podem ser mais difíceis de encontrar.

Óleo de Tea Tree: O óleo essencial de tea tree constitui um potente bactericida e é a minha segunda melhor escolha como remédio para dor de dente e gengiva. Funcionou muito bem comigo em casos de dores menores de dentes e gengivas (aplicado puro, diretamente na área afetada). Possui a vantagem adicional de poder ser levado no bolso, de sorte que estará sempre disponível em caso de necessidade. Pareceque o bochecho da boca com água + óleo de tea tree proporciona alívio rápido para gengivas inflamadas. Advertência: use óleo orgânico de tea tree, sempre que possível. Segundo fui informada, o óleo de tea tree elaborado com plantas dessa árvore da lavoura convencional (não orgânica) contém altos níveis de resíduos de pesticidas tóxicos.

Imposição de Mãos: peça a um(a) amigo(a) para por a sua mão sobre a área dolorida, com intenção de cura. Esse método funcionou, certa feita, de forma maravilhosa para mim, possivelmente levando o dente a ativar o processo de auto-cura (foi aquele dente do qual a dentista queria tratar o canal). Ao por a minha própria mão sobre a bochecha que cobria o dente dolorido também foi muito eficaz para mim, nas dores mais fracas, trazendo alívio quase instantâneo (apenas um certo alívio que me permitiu dormir durante várias horas).

O exercício e o aumento do fluxo de sangue e de linfa: um amigo contou-me que quando estava com uma terrível dor de dente, ao mover-se (sair e andar de bicicleta) aliviava a dor. De modo análogo, ao baixar a minha cabeça o máximo possível (aumentando assim o fluxo sanguíneo para a cabeça e a boca) ajudou-me a ter alívio de uma terrível dor de dente, cessando-a temporariamente (ela voltou, quando retornei à posição original). Outro amigo relatou-me que o uso da goma de mascar melhorava a sua dor de dente.

Exposição ao sol: a exposição de meus dentes e gengivas diretamente à luz do sol (como mencionei acima) também permitiu acalmar dentes e gengivas doloridas. A razão está (dentre outras) no fato de que a luz ultra-violeta (UV), com comprimento de onda entre 260-280 nm possui propriedades bactericidas, ou seja, extermina bactérias (a radiação UV é, em realidade, usada como técnica de esterilização).

Fortalecendo seus dentes: Quando meus dentes (ou um deles) dóe (m), pode ser também um sinal de que o dente simplesmente necessita de fortalecimento (remineralização)ou de limpeza (por exemplo, de partículas de alimentos presas entre dentes adjacentes).

Raiz de gengibre: disponível em lojas de horti-fruti-granjeiros, é tida como eficaz no alívio instantâneo da dor de dente. Corte um pedaço de raiz de gengibre, retire dele a casca e cubra diretamente o dente afetado com ele. Morda-o, se possível, e mastigue-o vagarosamente para permitir que o seu suco se espalhe ao redor do dente dolorido. Guarde o gengibre que restou em um recipiente, no seu refrigerador. Use-o toda vez que seja necessário fazê-lo.

Equinácea: Diz-se que o melhor remédio para a dor de dente seria a raiz fresca de equinácea (Experimenta-se o uso da tintura de equinácea).

Folhas de banana da terra: corte/mastigue folhas frescas e as ponha sobre o dente dolorido, misture com algum sal se for possível.

A Prata Coloidal: segundo o meu conhecimento, funciona com eficiência semelhante à da salmoura, embora seja muito mais cara e tenha outras desvantagens.

Extrato ou óleo de cravo-da-índia, ou um pedaço fresco dele: O óleo de cravo-da-índia parece ter efeito bactericida e analgésico, tanto para infecções dentárias como gengivais. Como mencionei, experimentei óleo de cravo-da-índia não orgânico para uma dor de dente muito grave, sem ter obtido alívio, mas creio que se tivesse aplicado um pedaço fresco desse cravo, poderia ter tido melhor sucesso. Creio também que o uso de óleo de cravo-da-índia orgânico poderá fazer uma grande diferença.

Também, apenas para registro, o escritor Viktoras KULVINKAS recomenda no seu clássico livro Survival Into The 21st Century (Sobrevivência no Século XXI), o uso desuco de capim de trigo para dores de dente e a sua cura, de sorte que vale a pena tentar, se você o tem disponível (o capim-de-trigo é fácil de plantar em casa).

Há, naturalmente também, a homeopatia: se você pesquisar por “homeopatia para dor de dente”, “tratamento homeopático para dores de dente”, etc. encontrará muitas sugestões como o mercúrio, camomila, belladonna, coffea, Plântago maior, silício, calcárea fluórica (Calc-f), calcárea phophorica (Calc-p), Staphisagria( Staph), Crosoto (Creos), Spigelia(Spig), Arnica (Arn) como também relatos pessoais sobre como algumas pessoas diminuíram a sua dor de dente e trataram e conseguiram alívio para várias dores relacionadas com gengivas ou dentes.

Peróxido de Hidrogênio para consumo oral: algumas gotas na água como enxaguatório bucal (evite-o se tiver, como já foi mencionado, metais em sua boca), poderá ajudar também a aliviar a dor de dente, já que o H2O2 oxida outras substâncias.

Tratamento dentário com Ozônio: li sobre o caso de uma pessoa que teve êxito em curar cáries com ozônio. Na verdade, a terapia com ozônio é empregada em alguns consultórios dentários como poderoso e indolor tratamento antisséptico, desinfetante e germicida contra cáries e infecções dentárias e gengivais. Esse tratamento, que não tem efeitos colaterais, extermina bactérias, vírus e fungos em segundos e geralmente torna os antibióticos desnecessários.

Visão Global dos Casos: Creio ser uma boa alternativa alternar remédios. Por exemplo: certa vez usei água salgada repetidamente contra uma dor rebelde de dente e gengiva (relacionada a uma infecção que havia se desenvolvido sob uma ponte que ficou frouxa, ver abaixo) e senti que o sal, a certa altura, tornou-se ele próprio um elemento de irritação para o nervo( perceptível quando ocorria um forte aumento da dor, tão logo punha eu a salmoura em minha boca). Quando mudei para o emprego do óleo de tea tree orgânico, intercalado (aplicado topicamente), tudo correu bem.

Entorpecendo a Dor

Não creio que quaisquer dessas receitas voltadas ao entorprecimentoda dor de dente sejam tão eficientes,naturais e fáceis de aplicar como a água salgada, nem que tratem e curem a causa principal: as bactérias agressivas. Para ser tão completa como possível, eis aqui a lista de sugestões para se obter alívio temporário da dor de dente, por meio do entorpecimento da dor.

Massagem com os Dedos
Antes de conhecera salmoura, frequentemente eu usava os meus dedos para esfregar e massgear a área dolorida, geralmente em combinação com a aplicação do óleo de tea treetopicamente sobre o dente ou gengiva inflamados.

Frio e Gelo
O frio ajuda a diminuir o inchaço que pode estar causando a dor. Quando você tem uma infecção, a aplicação de tratamentos frios deverá reduzir o inchaço e desconforto na área afetada.
As dores de dente não advindas de infecção parecem piorar com o frio, mas podem ser aliviadas com aplicações de vapor úmido(garrafa com água quente, etc)

Água Fria
Bochechar com água fria do lado da boca onde há dor de dente, tem sido relatado como método eficaz para o alívio imediato da dor.

Gelo dentro da Boca
Experimente segurar um cubo de gelo sobre o lado de sua boca onde há dor, mastigá-lo, se possível, ou chupá-lo. Repita o processo, segundo a necessidade. A água fria ou gelada funciona da mesma maneira.

Massagem com Gelo
Já vi recomendação de se massagear com gelo a área afetada, para aliviar dores de dente (esfregando um cubo de gelo sobre a área dolorida) para entorpecer as extremidades nervosas( nalguns casos esse procedimento poderá agravar a dor).

Bolsa de Gelo
O pressionar de uma bolsa de gelo ou de outra substância gelada (procure em sua geladeira!) sobre a bochecha, poderá trazer alívio temporário.

Acupressão
Teve efeito curto ou nenhum para mim (pode ser que funcione melhor com você). Aconselha-se a pressionar/esfregar sobre o lado do dedo indicador oposto à baseda unha.

Mil-em-rama
A raiz do mil-em-rama é também um anestésico. Para aliviar a dor de dente, aplique a raiz fresca ou as folhas sobre as gengivas e dentes.

Sugestões Miscelâneas para o Alívio da Dor de Dente e para o Fortalecimento de Dentes de Gengivas

Dennis Knicely recomenda, em seu interessantíssimo artigo Cura Natural para os Dentes, o seguinte:
“Outra fórmula de alívio para Dor de Dente: Misture partes iguais de: pimenta-de-caiena, valeriana e alface selvagem.
Óleo de Prímula ou Óleo de Cravo-da-Índia ajudam a aliviar a dor de dente. O extrato de semente de grapefruit elimina bactérias associadas às infecções.
A escovação com pó de clorofila pode cessar a cárie dentária e a infecção gengival. Para fortalecer dentes e gengivas e para auxiliar na remoção de tártaro, corte um morango em dois e esfregue-o sobre os dentes e gengivas. Deixe-o no local durante 45 minutos e enxágue com água morna.
O flúor natural, de brotos de centeio ou seus flocos, fortalece o esmalte dentário.
A casca de Carvalho Branco auxilia a fixar dentes amolecidos.

Fórmula Calcificante com Ervas: Misture partes iguais de: alfafa, cavalinha, musgo-da-irlanda, lobélia, palha de aveia. Pode-se preparar um chá ou triturar essas ervas e acondicionar o pó em cápsulas.
Extrato de baunilha: bocheche ou ponha algumas gotas sobre o dente dolorido.
Dente de Alho: esmague-o e misture-o com pasta de amendoim; aplique-o sobre o dente que dóe.
Palitos de Cúrcuma (haldi): queime-o, triture-o até que se torne um fino pó e use-o como pó dentário.
Óleo de Orégano: ponha algumas gotas diretamente sobre os dentes ou gengivas.
Castanhas ou óleo de castanha de caju: pode ajudar na cura de abscessos.
Sachê de chá- aproxime-o do dente dolorido e chupe-o.

Cura de Bolsas Gengivais (Periodontite)

Não entrarei em maiores detalhes dessa vez, mas já consegui, em certa ocasião, curar facilmente profundas bolsas gengivais. De acordocom a Enciclopédia Britânica, a periodontite “começa pela deposição de uma placa bacteriana sobre o dente, abaixo da gengiva, irrritando e erodindo os tecidos vizinhos. Nesse estágio a condição é reversível, mas se for deixada sem tratamento a margem inflamada da gengiva começa a retroceder, expondo as raízes do dente; eventualmente o osso alveolar que apóia os dentes também é afetado, afrouxando os dentes a ponto de que possam vir a cair. A remoção dos depósitos que formama placa e dos tecidos amolecidos afetados pode cessar mas não fazer retroceder a deterioração alveolar...a causa da periodontite está na higiene bucal falha, que leva à deposição de placas...”

Foi-me assegurado, reiteradamente, que a terapia cirúrgica apenas (a remoção dos acréscimos subgengivais e a erradicação de organismos patógenos, controla eficazmente a infecção periodontal) permitiu me ajudar, em razão do estado avançado da periodontite em minhas gengivas. Mas não acreditei nisso. Como curei as minhas gengivas? Muito simples: comprei uma escova elétrica que remove placas dentárias e escovo regularmente os meus dentes e gengivas com ela. Simultaneamente melhorei a minha dieta (que havia relaxado), voltando a comer apenas alimentos naturais, com especial ênfase para as algas marinhas. Em dias ou em poucas semanas (apenas me recordo que a melhora aconteceu rapidamente e sem esforço), todos os sintomas de periodontite ou de deposição de placa dentária findaram e não mais ocorreram. As minhas gengivas tornaram-se saudáveis e com bom aspecto, desde então.

Como sempre, o ignoraros conselhos dos “especialistas” e o confiar na capacidade de auto-curado meu corpo (se tiver o apoio adequado) foi coroado de grande sucesso.

Conclusão

A adoção do programa acima citado (inclusive o uso de pílulas de vitamina D no inverno, quando sinto a necessidade de fortalecer meus dentes) tem reiteradamente funcionado maravilhosamente comigo, restaurando dentes com dores horríveis (causadas geralmente, como mencionei, pelo consumo de açúcar e farinha branca ou de açúcares naturais concentrados, como nas passas de uva *), primeiramente promovendo uma condição indolor (que às vezes leva vários dias para se conseguir) e, então, recuperar a sua funcionalidade indolor. Quando não consumo substâncias nocivas, meus dentes permanecem bem, apesar das cáries remanescentes. O que parece ter ocorrido é que todas essas cáries foram cobertas e vedadas com uma nova camada protetora de esmalte rígido, embora os “buracos”, eles próprios, permaneceram (mas não apresentam progresso algum em deterioração dentária, desde que eu controle bem minha dieta, inclusive a produção (ou consumo) de vitamina D). E por falar nisso, esse procedimento tem tido tanto êxito que me permite, vez por outra, comer chocolate branco orgânico e biscoitos integrais doces (adoçado com açúcar mascavo orgânico ou com açúcar natural, menos processado) sem vir a sentir qualquer sintoma de erosão dentária e a sua conseqüente dor. No entanto, tenho de ter cuidado para não me exceder, já que observei que os dentes podem se tornar fracos durante certo período de tempo, sem que o percebamos e, de repente, apresentarem um dano maior em razão de uma carência em sua firmeza estrutural, como a quebra de um pedaço, principalmente no inverno, o que leva mais tempo para reparar por meio de uma dieta otimizada).
* Pude observar que o enfraquecimento dos dentes pode também ser induzido por uma “mono-dieta” exclusiva; por exemplo, alimentando-se quase ou totalmente de macarrão integral, durante algum tempo. Portanto, o meu conselho é a adoção de uma dieta variada e, como mencionei, sempre consumir alimentos orgânicos crus e alga marinha.
Adendo e Cláusula de Desresponsabilização Importantes

Por favor entendam que o texto acima (que estou compartilhando na esperança de que lhe beneficiará tanto quanto o fez a mim) reflete a minha experiência pessoal de sucesso, sobre como fazer cessar uma dor de dente e como conseguir curar naturalmente os dentes, bem como o que li sobre experiências semelhantes de outros. Isso significa que o método descrito poderá não funcionar com você ou funcionar APENAS após mudanças que venham a se adequar ao seu caso pessoal. Por exemplo, não sei se funcionou para dor proveniente de canais do dente ou os chamdos dentes mortos. Também sei do caso de um amigo (fumante regular de charutos e consumidor de doces) que experimentou o meu método numa dor intensa de gengiva e dente, de origem desconhecida, sem sucesso durante vários dias, sugerindo que os microorganismos, nesse caso, tinham desenvolvido imunidade ao efeito “esterilizante” da salmoura. Tal comportamento poderá também resultar do fato de a sua dor se localizar numa parte da boca onde ele tem um ponte. Em verdade, o tempo mais longo que me levou para obter alívio para uma dor de dente com salmoura (mais de dois dias) foi quando a dor provinha de uma área coberta por uma ponte. Faz sentido que a água salgada leve mais tempo para agir em tal área, já que a maior parte dela está coberta com uma “vedação” artificial (que também removeria se não estivesse disposto a pagar mais uma pequena fortuna pelo trabalho de alguns minutos, de um dentista).

O que finalmente o ajudou foram analgésicos em pílulas distribuídos comercialmente, com metade da pílula aplicada localmente e a outra metade ingerida, enquanto que a lavagem da boca com água e óleo de tea tree e algumas gotas desse óleo aplicadas no local (ele estava em jejum durante quase toda a experiência, já que a sensibilidade do dente/gengiva e a dor não lhe permitiam comer). A condição indolor assim alcançada ajudou-o a dormir satisfatoriamente (processo muito importante para que o corpo faça o seu trabalho de cura e de desintoxicação) e surgiu um abscesso no dia seguinte, que (juntamente com a dor) gradualmente retrocedeu, enquanto ele voltava a lavar a boca com salmoura e assim drenava o abscesso com água salgada. Ele nunca mais necessitou de dentista, também...

(Isso dito, aconselharia a qualquer um livrar-se de pontes sob as quais apareceram dores insistentes, tão logo lhe seja possível. Quando esperei para que fosse feito esse trabalho, o que aconteceu, no meu caso, foi que o respectivo pivô “apodreceu” de forma imperceptível até ser finalmente liberado de sua prisão. A concomitante infecção de canal, num dos casos foi curada, como acima mencionado, por meio de um remédio homeopático que um naturopata espiritualista escolheu sob medida para mim por meio do uso de um bio-tensor ( um pêndulo de “alta tecnologia”).

Antes de descobrir o meu remédio pessoal com salmoura, também usei certa vez um analgésico, com muita eficiência – não o ingerindo (que não funcionou no meu caso) mas pondo-o diretamente sobre a área dolorida, o que fez cessar a dor em minutos.

E, sim, também pude observar claramente o impacto da mente (e da imposição de mãos, como foi mencionado) sobre a experiência (ou a ausência) da dor de dente.

Nenhum comentário:

Postar um comentário