sexta-feira, 5 de abril de 2013

Coreia: Militares alertam para possível ataque no dia 15

O regime de Kim Jong-un poderá fazer disparos de míssil no próximo dia 15, data de aniversário do seu avô e fundador do regime comunista na Coreia do Norte.

A Coreia do Norte mobilizou um segundo míssil de médio alcance para a sua costa leste e implantou-os nas plataformas móveis. O Ministério da Defesa, que confirmou a mobilização de um primeiro míssil na quinta-feira, recusou comentar a informação avançada.

"Confirma-se que a Coreia do Norte transportou, no início desta semana, dois mísseis Musudan de médio alcance de comboio para a costa leste, implantando-os em viaturas equipadas com plataformas de lançamento", disse fonte oficial citada pela agência sul-coreana Yonhap.

O míssil Musudan foi apresentado, pela primeira vez, numa parada militar, em Outubro de 2010, acreditando-se ser dotado de uma capacidade de alcance de cerca de 3.000 quilómetros, passível de atingir alvos na Coreia do Sul e no Japão.

"O Norte está, aparentemente, disposto a disparar estes mísseis, sem avisar", acrescentou o mesmo responsável à agência de notícias sul-coreana. Fontes militares ouvidas pela Yonhap dizem que o regime liderado por Kim Jong-un poderá fazer disparos de míssil no próximo dia 15, data de aniversário do seu avô e fundador do regime comunista na Coreia do Norte, Kim Il-sung, o qual faleceu em 1994.

Coreia do Sul pondera retirada de trabalhadores de Kaesong

A Coreia do Sul poderá retirar os seus trabalhadores do complexo industrial conjunto com a Coreia do Norte se a situação se tornar insustentável à medida que as tensões entre os dois países aumentam, afirmou hoje o ministro da Unificação.

"Penso que podemos ter de retirar os trabalhadores sul-coreanos de Kaesong para a sua própria segurança caso a situação assim o exija", disse o ministro da Unificação, Ryoo Kihl-Jae.

Contudo, a actual ameaça para a sua segurança não é "tão elevada", ao ponto de se considerar uma retirada, disse Ryoo, acrescentando que qualquer acção seria tomada após consulta das 123 empresas sul-coreanas que operam no complexo industrial.

Ainda assim, a Coreia do Sul destacou hoje dois navios com sistemas para interceptar mísseis nas costas do Mar Amarelo e Mar do Japão face a movimentos que indicavam que o Norte poderia estar a preparar um lançamento.

Fonte: Economico

Nenhum comentário:

Postar um comentário